Núcleo Técnico de Avaliação - NTA

Nta

O Núcleo Técnico de Avaliação (NTA) planeja, coordena e implementa ações centradas na avaliação educacional e avaliação para a aprendizagem, elaborando critérios, metodologias, indicadores e instrumentos relacionados aos processos de avaliação; e ações de formação continuada para aprimoramento das práticas dos Profissionais de Educação em avaliação.

Também fornece informações às demais áreas da Coordenadoria Pedagógica – COPED para subsidiar as políticas de gestão pedagógica, currículo e formação, por meio da articulação entre os resultados e o planejamento escolar.

E realiza ações de acompanhamento sistemático e difusão dos resultados dos processos de avaliação interna e externa da Rede Municipal de Ensino, incluindo dados referentes a indicadores educacionais municipais, estaduais, nacionais e internacionais.

Avaliações anuais da Rede Municipal de Ensino

Além das provas regulares bimestrais de cada disciplina, a aprendizagem dos estudantes da Rede Municipal de Ensino de São Paulo é monitorada pelas seguintes avaliações anuais, aplicadas pela  Secretaria Municipal de Educação, sob coordenação de seu Núcleo Técnico de Avaliação:

De acordo com o artigo 2º da Portaria Nº 2639/17, a Prova Diagnóstica consiste em um instrumento de caráter avaliativo que pretende obter informações sobre os conhecimentos e saberes dos estudantes e indicar elementos que permitem a reorganização e o aperfeiçoamento das práticas educativas e avaliativas da escola, consistindo em mais um elemento formativo de que a escola dispõe.

Por meio dela, os estudantes do Ensino Fundamental e do Ensino Médio possuem os seus conhecimentos avaliados, anualmente, em Língua Portuguesa, Matemática, Ciências Naturais e Ciências Humanas.

Clique aqui e saiba mais sobre a Avaliação Diagnóstica de 2021

Clique aqui e acesse as edições anteriores da Avaliação Diagnóstica


⇒Clique aqui para acessar o Relatório Pedagógico da Prova Diagnóstica São Paulo – 2020

A Provinha e a Prova São Paulo são destinadas à avaliação do Ensino Fundamental do 2º ao 9º anos, sendo censitária (ou seja, para todos os estudantes destas séries) e ocorrendo no mês de novembro. Estas avaliam o desempenho dos estudantes em Língua Portuguesa (Leitura e Produção de Textos), Matemática e Ciências Naturais (essa somente a partir do 3º ano) e são organizadas com base nas Matrizes de Referência da Avaliação do Rendimento Escolar da Rede Municipal de Ensino (RME), de São Paulo.

Seus objetivos estão descritos no Art. 50, da Portaria Nº 2.639/17:

I – reorientação da proposta pedagógica do Ensino Fundamental regular, de modo a aprimorá-la;

II – viabilização da articulação dos resultados da avaliação com o planejamento escolar, a formação dos professores e o estabelecimento de metas para o projeto pedagógico de cada escola;

III – orientação para os trabalhos desenvolvidos com os estudantes que necessitam de reforço na aprendizagem.

As provas, a partir 3º ano, são acompanhadas de questionários para estudantes (visando identificar seus hábitos de estudo), para professores (perfil cultural e socioeconômico e práticas pedagógicas), coordenadores pedagógicos (sobre os processos de gestão pedagógica, o ambiente escolar e seu perfil cultural e socioeconômico), diretores escolares e supervisores (sobre os processos de gestão, o ambiente escolar e seu perfil cultural e socioeconômico).

O tratamento dessas informações permite caracterizar os grupos respondentes e identificar fatores associados ao desempenho dos estudantes.

 

A Prova Semestral é censitária (ou seja, para todos os estudantes das séries a que se aplica) e ocorre no segundo semestre. Aplicada aos estudantes do 2º ao 9º anos do Ensino Fundamental, é organizada com base nas Matrizes de Referência da Avaliação do Rendimento Escolar da Rede Municipal de Ensino (RME), de São Paulo.

Seu principal objetivo é fornecer dados para que as escolas “(re)visitem os percursos”, revendo estratégias e buscando caminhos para efetivar a aprendizagem dos estudantes.

Segundo e terceiro anos são avaliados exclusivamente em Língua Portuguesa e Matemática, 4º e 5º anos em Língua Portuguesa, Matemática, Geografia, História e Ciências Naturais, e os demais anos nos componentes curriculares de Línguas Portuguesa e Inglesa, Arte, Educação Física Matemática, Geografia e Ciências Naturais.

Sugere-se que as provas sejam realizadas em dois dias, para os 2º e 3º anos, e em quatro, para os demais anos-série.

 

⇒Clique aqui e acesse às edições anteriores da Prova Semestral

A Prova EJA, aplicada ao final de cada semestre letivo para as etapas básica II e final, é obrigatória e disponibilizada para os estudantes da Educação de Jovens e Adultos (EJA), inclusive àqueles matriculados em instituições que ofertam educação básica e profissional de forma articulada, realizada nos Centros Integrados de Educação de Jovens e Adultos (CIEJA).

Até o primeiro semestre de 2019, foi utilizada a Matriz de Avaliação do Exame Nacional para Certificação de Competências de Jovens e Adultos (ENCCEJA) para a elaboração do instrumento. Mas, com a implementação do Currículo da Cidade – Educação de Jovens e Adultos, uma nova matriz de referência foi elaborada a partir deste.

As questões que compõem a Prova EJA pertencem aos componentes curriculares de Língua Portuguesa, Matemática, Geografia, História e Ciências Naturais. A prova é realizada digitalmente, no ambiente do SERAp.

O Simulado ENEM ocorre de forma semestral e é destinada aos estudantes do Ensino Médio, cujas questões são elaboradas a partir da Matriz de Referência ENEM, avaliando as áreas do conhecimento que organizam esta etapa da aprendizagem (Linguagens, Códigos e suas Tecnologias, Matemática e suas Tecnologias, Ciências da Natureza e suas Tecnologias e Ciências Humanas e suas Tecnologias). O simulado é realizado em parceria com a Fundação Getúlio Vargas (FGV).

Matrizes de Referência para a Avaliação do Rendimento Escolar

As questões presentes nas Avaliações Externas elaboradas pelo Núcleo Técnico de Avaliação (NTA) estão baseadas nas Matrizes de Referência. Construídas a partir dos Objetivos de Aprendizagem e de Desenvolvimento presentes no Currículo da Cidade de cada área de conhecimento, elas têm como função fundamentar teoricamente o processo avaliativo, ao orientar a elaboração dos itens que estarão presentes nas avaliações.

Outra função importante das Matrizes de Referência é a de orientar a elaboração das escalas de proficiência, responsável por especificar não apenas em quais níveis de aprendizagem encontra-se um estudante ou um grupo deles.

Além disso, as Matrizes de Referência auxiliam a aferir as habilidades cada um é capaz de realizar, auxiliando, com isso, o trabalho de avaliação e planejamento da ação pedagógica.