Educação Integral

A Educação Integral é uma concepção que tem como premissa o compromisso com a formação do ser humano, a aprendizagem e o desenvolvimento integral de todos os bebês, crianças, adolescentes, jovens e adultos ao longo da vida. Isso significa que o trabalho pedagógico amparado pela Educação Integral independe do tempo em termos quantitativos e considera todas as dimensões de vida dos envolvidos (intelectual, social, cultural, emocional e física) como parte indissociável do processo de aprendizagem e de uma formação comprometida com o exercício da cidadania. Compreende, portanto, que uma educação de qualidade, inclusiva e universal, considera um currículo integrador dos diferentes contextos sociais, culturais, saberes locais, econômicos e dos conhecimentos historicamente construídos, que amplie os espaços de participação, reflexão e consciência com o compromisso de se constituir uma sociedade de direitos, promovendo o protagonismo dos estudantes.

A Educação Integral é uma proposta contemporânea, inclusiva, sustentável e fundamental para a superação das desigualdades. Na condição de concepção, sustenta-se por quatro princípios: equidade, inclusão, contemporaneidade e sustentabilidade (WEFFORT, ANDRADE, COSTA, 2019) – Documento “Educação Integral: Política São Paulo Educadora”, 2020, p. 13.

Entendida como aquela que promove o desenvolvimento dos estudantes em todas as suas dimensões (intelectual, física, social, emocional e cultural) e a sua formação como sujeitos de direito e deveres, a Educação Integral não se define pelo tempo de permanência na escola, mas pela qualidade da proposta curricular, que supera a fragmentação e o foco único em conteúdos abstratos. Busca promover e articular conhecimentos, habilidades, atitudes e valores que preparem os estudantes para a realização do seu projeto de vida e para contribuírem com a construção de um mundo melhor. Reconhece a cidade como espaço educativo e constrói aprendizagens significativas, nas quais os estudantes têm voz e vez, fruto de um trabalho colaborativo, norteado pela gestão democrática e pela construção de parcerias.

Na expansão do tempo de permanência na escola, a Secretaria Municipal de Educação investe em dois programas que compõem a Política São Paulo Educadora, com atividades no campo das novas tecnologias da comunicação, invenção criativa, cultura, arte, orientação de estudos, sustentabilidade, convivência, esportes e saúde.

No “Mais Educação São Paulo”, as atividades acontecem no período complementar ao que as crianças e jovens estão matriculados e tem participação optativa a partir das prioridades estabelecidas no Projeto Político Pedagógico.

Já no “São Paulo Integral”, a jornada escolar é ampliada para, no mínimo, 7 horas diárias por todos os dias da semana; para os estudantes das turmas indicadas no momento da adesão ao Programa.

Seja com extensão de jornada ou sem, a Rede Municipal de Ensino de São Paulo reconhece que Educação Integral se faz na articulação diária entre conceito e prática a partir de quatro princípios: equidade, inclusão, contemporaneidade e sustentabilidade.

Comparativo De 2016 A 2021 De Adesoes Ao Spi

Alunos Beneficiados:

2016: 13.421

2017: 17.442

2018: 10.722

2019: 17.839

2020: 28.590

2021: 31.692

 

AÇÕES

 FORMAÇÃO:

Curso da “Educação Integral: Política São Paulo Educadora” oferecido aos agentes implementadores da Educação Integral (GT São Paulo Educadora e POEIs) e membros do Grupo de Trabalho “São Paulo Educadora”, em novembro de 2020, publicado em DOC dia 24/10/2020.

 Teve como objetivos: 

  1. Apresentar o conteúdo do Documento “Educação Integral: Política São Paulo Educadora” aos profissionais da Rede Municipal de Ensino de São Paulo;
  2. Subsidiar o trabalho pedagógico na concepção da Educação Integral nas diferentes Unidades Educacionais da Cidade de São Paulo;
  3. Contribuir para a reflexão coletiva no que se refere aos melhores caminhos para planejar, avaliar e articular um trabalho integrado e integrador;
  4. Possibilitar aos educadores e a toda a comunidade escolar repensar sobre como o trabalho pedagógico pode dialogar com os diferentes contextos sociais, políticos, econômicos e culturais dos diferentes territórios da cidade.
  5. Identificar as possibilidades de práticas pedagógicas desenvolvidas na perspectiva dos princípios da Educação Integral e da Cidade Educadora;
  6. Proporcionar discussões sobre o papel da Educação Integral em tempos de crise, durante e pós pandemia e possibilidades de atuação nos territórios com as Experiências Pedagógicas neste momento;
  7. Contribuir para a reflexão sobre os desafios das políticas públicas educacionais na nossa cidade no mundo pós pandemia.

Conteúdo Programático:

1 – Princípios e concepções da Educação Integral – serão apresentadas, além das concepções e conceitos da Educação Integral do Currículo da Cidade de São Paulo, as compreensões históricas deste processo no Brasil, das bases legais que amparam políticas públicas de Educação Integral e da importância da formação integral das crianças no século XXI, de modo a integrar saberes e educar para transformar.

2 – Educação Integral no Brasil: um breve panorama histórico e contextual e a trajetória da Educação Integral no município de São Paulo – como a concepção da Educação Integral se materializa em programas indutores de trabalho pedagógicos entre Unidades Educacionais, comunidade e território. Iniciativa e ações que favoreceram e fortaleceram diálogos intersecretariais entre política pública educacional e as demais políticas econômicas, culturais e sociais na perspectiva da Educação Integral.

3 – Os desafios de se pensar o Currículo na perspectiva da Educação Integral – o currículo do ponto de vista técnico e do ponto de vista mais crítico e político. Impactos nas configurações de tempos, espaços e agrupamentos.

4 – Diretrizes de implementação da Política São Paulo Educadora e princípio da Educação Integral no Currículo da Cidade de São Paulo – redimensionamento das diretrizes para o fortalecimento da implementação da concepção (ou concepções) da Educação Integral bem como da Política São Paulo Educadora.

5 – Avaliação da e na Educação Integral – reflexões para se pensar critérios e indicadores de avaliação e acompanhamento de um currículo para uma Educação Integral e integradora.

6 – O papel da Educação Integral em tempos de crise, durante e pós pandemia e possibilidades de atuação nos territórios com as Experiências Pedagógicas neste momento.

7 – Desafios das políticas públicas educacionais na nossa cidade no mundo pós pandemia.

Grupo de Trabalho (GT):

Instituído pela Portaria nº 5.693, de 23 outubro de 2020 o Grupo de Trabalho “São Paulo Educadora” tem a finalidade de implementação, acompanhamento e avaliação do Programa “São Paulo Integral” instituído nas Escolas Municipais de Educação Infantil (EMEIs), Escolas Municipais de Ensino Fundamental (EMEFs),  Escolas Municipais de Ensino Fundamental e Médio (EMEFMs), Escolas Municipais de Educação Bilíngue para Surdos (EMEBSs) e nos Centros Educacionais Unificados (CEUs) da Rede Municipal de Ensino (RME), nos termos da Instrução Normativa SME nº 26 de 03 de setembro de 2020. O Grupo de Trabalho mencionado é constituído por 09 (nove) representantes da SME, sendo 1 (um) de cada Coordenadoria: Coordenadoria dos Centros Educacionais Unificados – COCEU, Coordenadoria Pedagógica – COPED, Coordenadoria de Gestão de Pessoas – COGEP, Coordenadoria de Gestão e Organização Educacional – COGED, Coordenadoria de Tecnologia da Informação e Comunicação – COTIC, Coordenadoria de Alimentação Escolar – CODAE, Coordenadoria de Compras – COMPS, Coordenadoria de Planejamento e Orçamento – COPLAN e 1 (um) representante do Gabinete da SME e 8 (oito) representantes de cada DRE, sendo 2 (dois) da Divisão Pedagógica – DIPED; 2 (dois) da Divisão dos Centros Educacionais Unificados e da Educação Integral – DICEU, 2 (dois) da Divisão de Administração e Finanças – DIAF, sendo 1(um) membro do setor de Atribuição de Aulas e o outro do Setor de Verbas e 2 (dois) Supervisor Escolar.

Compete ao Grupo de Trabalho ora constituído: I – garantir subsídios para implementação e desenvolvimento do Programa; II – propor ações de formação aos profissionais envolvidos; III – articular a intersetorialidade do Programa, especialmente com as Secretarias de Cultura, Esporte, Assistência Social, Saúde, Verde e Meio Ambiente e outras, em âmbitos municipal e local, assim como com as organizações da sociedade civil; IV – acompanhar as aprendizagens das crianças e adolescentes a partir dos registros realizados e das itinerâncias. Publicado no DOC 24/10/2020

 

DADOS

Clique nos links e acesse

1) Documento “Educação Integral: Política São Paulo Educadora”

2) Vídeo de apresentação (book trailler) do documento “Educação Integral: Política São Paulo Educadora” 

3) Vídeo sobre a Educação Integral exibido nas formações com as frentes formativas (DREs e NAEs). O conteúdo dele baseia-se no documento “Educação Integral: Política São Paulo Educadora”. Traz a história da Educação Integral na nossa cidade, concepção e princípios e um pouco da luta tão recente em nosso país pela consolidação, defesa e garantia do Estado Democrático de Direito:

4) Vídeo de orientação a fim de subsidiar as DREs e Unidades Educacionais junto às suas comunidades educativas no processo de adesão ao Programa São Paulo Integral. O vídeo traz os objetivos do Programa, princípios e diretrizes, orienta sobre o processo de adesão, organização do tempo e das turmas, como se configura a expansão curricular e organização da Matriz Curricular, recursos, quadro de módulos e designação do POEI. Toda a orientação realizada através deste material audiovisual, foi baseada também nos questionamentos dos territórios, tem como propósito não somente elucidar sobre o funcionamento do SPI no interior das Unidades Educacionais, mas responder todas as dúvidas:

5) Carta da Educação Integral

6) LIVE – realizada no dia 16 de junho de 2020, na página do facebook da Secretaria Municipal de Educação. Educadores de nossa rede conversaram sobre suas experiências com Educação Integral e mostraram o quanto elas foram transformadoras em suas escolas. Acesse a Live Educação Integral: experiências que transformam

7) Caderno de Orientação sobre a Educação Integral às U.Es

8) Publicação do Documento: “Educação Integral: Política São Paulo Educadora” disponibilizado na versão impressa para todas as Unidades Educacionais em PDF

9) Construção coletiva da Instrução Normativa do Programa SPI-SME nº 26, de 03 de setembro de 2020 e Instrução Normativa nº 30 que altera IN 26

10) O questionário com todas as perguntas e questionamentos respondidos

11) Pesquisa: “Um olhar para os territórios”

12) Link para acessar Sumário Executivo da pesquisa UNICID

13) Link da apresentação da Unicid e Equipe da Educação Integral de SME sobre a pesquisa  ou Webinário da Educação Integral

14) Link do Trabalho realizado em 2020

 

EQUIPE:

Coordenadora da COCEU: Maria de Fátima de Brum Cavalheiro

Assessora da COCEU: Roseli Marcelli Santos de Carvalho

Diretora do NTAA: Lilian Tavares Dias

Equipe Técnica Pedagógica: Adão Eduardo Martins de Lisboa / Roberta Guasti de Paula e Silva Claussen