Notícias

Seminário Mediação de Conflitos: Diálogos para uma escola acolhedora e inclusiva

Formação promove diálogo e compartilhamento de práticas sobre mediação, escuta e comunicação não violenta

Publicado em: 24/07/2018 15h19 | Atualizado em: 30/11/2020

seminario_mediacao_740_x_430.jpg

No dia 19 de julho, das 8h às 17h, aconteceu no auditório da Uninove, Campus Vergueiro, o Seminário “Mediação de Conflitos: Diálogos para uma escola acolhedora e inclusiva”, organizado pela Divisão de Gestão Democrática e Programas Intersecretariais (DGP) da Coordenadoria dos CEUs e da Educação Integral (COCEU) da Secretaria Municipal de Educação (SME).

Participaram servidores que compõem a comissão de mediação de conflitos nas unidades educacionais da Rede Municipal de Ensino (RME) no cargo base/função de Agente de apoio, Agente escolar, Auxiliar Técnico de Educação e Secretário de escola.

A formação foi realizada por meio de exposições orais e dialogadas, com apreciação de vídeos e problematização de práticas. Os palestrantes falaram sobre a interface entre o Currículo da Cidade, a mediação de conflitos e o Projeto “Respeitar é Preciso!”, comunicação não violenta e mediação de conflitos: como agir em situações cotidianas.

A Professora Tatiana Cristina Pereira (SME/DGP) iniciou as apresentações falando sobre o tema “A interface entre o Currículo da Cidade, as Comissões de Mediação de Conflitos e o Projeto Respeitar é preciso!”. “Esses três documentos não estão apartados das nossas ações, estão juntos. Conseguimos fazer, a partir desses documentos, uma proposta de projeto político-pedagógico com a cara dos nossos estudantes”, observou Tatiana.

Em seguida, a Professora Glacilda Pinheiro Correia discorreu sobre “Escuta empática”. “O desejo de ajudar e cooperar com o próximo é algo natural do ser humano. O medo nos paralisa de nos aproximar das pessoas, por isso, essa proposta de educação precisa ser trabalhada em uma rede de cooperação de conhecimento e, assim, se transportar para a rede de convivência da escola”, disse Glacilda.

Para falar sobre a comunicação não violenta, o Procurador do Município de São Paulo, Doutor Maurício Tonin, apresentou alguns pontos importantes sobre o trabalho com Mediação de conflitos. “O trabalho do mediador vai além da reunião da Comissão de Mediação na unidade escolar. O tempo inteiro, educadores e profissionais do quadro de apoio estão atuando como mediadores de conflito, por isso é importante conhecer o “Método da comunicação não violenta”, formas de abordagem e de diálogo para conseguir entender e resolver as situações” esclareceu Tonin.

Após a apresentação, os palestrantes se juntaram para responder perguntas do público sobre os temas apresentados.

Na parte da tarde, os participantes participaram de oficinas referentes aos temas “Mediação de Conflitos”, “Comunicação não violenta” e o Projeto “Respeitar é Preciso”, pelos formadores Maurício Tonin, Celinha Nascimento, Regina Dourado e Cristiane Sabino.

Notícias Mais Recentes

Relacionadas

Mapeamento das Experiências de Educação Integral em Tempo Integral na RME

Mapeamento das Experiências de Educação Integral em Tempo Integral na RME

Publicado em: 18/12/2015 3h16 - em Diretoria Regional de Educação Butantã

Compromisso com uma educação pública de qualidade social para todos e todas

Compromisso com uma educação pública de qualidade social para todos e todas

Publicado em: 18/12/2015 3h12 - em Diretoria Regional de Educação Butantã

Arte e emoção marcam comemoração dos 10 anos da Imprensa Jovem

Arte e emoção marcam comemoração dos 10 anos da Imprensa Jovem

Publicado em: 18/12/2015 2h37 - em Programas e Projetos

Alimentação na Mesma Mesa na EMEF Luiz Tenório de Brito

Alimentação na Mesma Mesa na EMEF Luiz Tenório de Brito

Publicado em: 18/12/2015 11h27 - em Diretoria Regional de Educação Campo Limpo

Atendimento durante as férias de janeiro

Atendimento durante as férias de janeiro

Publicado em: 18/12/2015 11h06 - em Secretaria Municipal de Educação

1 1.212 1.213 1.214 1.215 1.216 1.285