Notícias

Estudantes da rede municipal participam de obra exposta na Bienal de São Paulo

Ação inédita envolve 553 estudantes na produção de 4 mil cogumelos de argila

Publicado em: 12/09/2018 17h47 | Atualizado em: 30/11/2020

BIENAL_arte_740x430.jpg

Pela primeira vez, a Bienal de Arte de São Paulo conta com uma obra realizada com a participação de estudantes da rede municipal de ensino. Intitulada “Vivam os Campos Livres”, a obra produzida em coautoria com o artista espanhol Antonio Ballester tem em sua composição 4 mil cogumelos feitos de argila pelos alunos e está instalada na entrada da 33ª Bienal de São Paulo, que acontece de 7 de setembro a 9 de dezembro no Pavilhão Ciccilo Matarazzo, no Parque Ibirapuera.

Os cogumelos foram confeccionados sob a orientação de Ballester entre maio e agosto por 553 estudantes, de 5 a 14 anos, de unidades educacionais de Centros Educacionais Unificados (CEUs) de todas as regiões da cidade (Pêra Marmelo (Norte), Capão Redondo (Sul), Butantã (Oeste), Aricanduva e Vila Curuçá (Leste)), com a colaboração de vinte professores, formados em oficinas de cerâmica com artista indicada pelo espanhol.

“Participar de uma obra exposta na Bienal é algo que emociona e enche de orgulho todos os envolvidos”, observa a professora Nádia Nery, da Escola Municipal de Ensino Fundamental (EMEF) Prof. Dr. Paulo Gomes Cardin, do CEU Aricanduva. De acordo com a Coordenadora de Ação Educacional do CEU Capão Redondo, Deborah Hyppolito, os estudantes ficaram encantados com a proposta de produzir cogumelos em argila. “Transformar a matéria-prima em arte foi maravilhoso. Estar presente na Bienal nos traz a certeza do quanto somos capazes de proporcionar, aos alunos da rede municipal, vivências significativas para além dos muros da escola”, ressalta a coordenadora.

Para Deborah Valverde, assessora cultural da Coordenadoria dos CEUs e da Educação Integral (COCEU) da Secretaria Municipal de Educação (SME), esta ação é um marco para a rede municipal de ensino e para a cidade de São Paulo. “Ela é resultado da participação da comunidade escolar em um projeto coletivo e permite que os estudantes vivenciem a oportunidade de expor sua criação ao público, percebendo-se sujeitos da cultura universal”, diz Deborah.

Sobre Antonio Ballester Moreno

Antonio Ballester Moreno participa da 33ª Bienal de São Paulo como artista-curador. Ele vive e trabalha em Madri, na Espanha, e é considerado uma das figuras-chave do cenário jovem da arte espanhola. O seu trabalho é composto por pinturas, colagens e cerâmicas que se materializam por meio de formas geométricas que se referem à natureza.

Suas obras integram coleções como as do Centro de Arte Dos de Mayo (CA2M) (Móstoles – Espanha), Museu de Arte Contemporânea de Castela e Leão (MUSAC) (León – Espanha), Coleção Olbricht, (Berlim – Alemanha) e Colecção Reydan Weiss (Essen – Alemanha).

Galerias de imagens:

Obra dos estudantes na Bienal

Confecção dos Cogumelos

Notícias Mais Recentes

Relacionadas

Fotografia de um bebê e uma professora.

Resultados da prova discursiva e classificação prévia de concurso para ATE e PEI são divulgados

Publicado em: 12/04/2024 9h37 - em Secretaria Municipal de Educação

fotografia mostra parte de um rosto feminino com foco na boca em movimento de fala

SME oferece curso voltado à saúde vocal para os educadores da Rede Municipal

Publicado em: 11/04/2024 5h25 - em Secretaria Municipal de Educação

Professora Lívia e várias crianças andando de motoca na Praça da república.
Alunos de Dança Cigana do CEU Formosa posam para foto

CEU Formosa promove aulas gratuitas de dança cigana para comunidade

Publicado em: 11/04/2024 4h37 - em Secretaria Municipal de Educação

Alunas do CEU Parelheiros participam de aula de Afromix. No palco as professoras conduzem a aula.

CEUs oferecem aulas de dança do Afromix em sua programação

Publicado em: 11/04/2024 11h51 - em Secretaria Municipal de Educação

1 2 3 1.438