Notícias

Projeto Patrulheiros do Futuro da EMEF Ulysses da Sylveira é gratificado no Prêmio Paulo Freire

Iniciativa teve como tema central a preservação do meio ambiente

Publicado em: 24/09/2018 15h53 | Atualizado em: 30/11/2020

patrulheiros_do_futuro_EMEF_ulysses_PRINCIPAL_740_x_430.jpg

Na segunda-feira, 17 de setembro, aconteceu no Salão Nobre da Câmara Municipal de São Paulo a premiação da 13ª edição do prêmio Paulo Freire. Todos os anos são avaliadas e premiadas as unidades escolares e educadores da Rede Municipal que tenham projetos de aprimoramento da qualidade de ensino nas escolas municipais. Foram 81 projetos inscritos e doze premiados nas categorias Educação Infantil, Ensino Fundamental I, Ensino Fundamental II/Ensino Médio e Educação de Jovens e Adultos.

A Escola Municipal de Ensino Fundamental (EMEF), Ulysses da Sylveira Guimarães da Diretoria Regional da Educação (DRE) Capela do Socorro participou do Prêmio Paulo Freire com o Projeto Patrulheiros do Futuro. A ação foi idealizada pelas professoras do fundamental I, Ludimilla de Paiva, Nádia Daenekas, Márcia do Rio e Daniele Rodrigues, professora de inglês, e promoveu a educação ambiental para estudantes e a comunidade local.

Foram três etapas de organização para o Patrulheiros do Futuro existir. A primeira consistiu em formação dos professores sobre o tema por meio de filmes, jogos, dinâmicas, livros e encontros culturais com indígenas da aldeia Tenondé Porã, seguido por estudo de meio com visita à trilha Billings, bairros Vargem Grande, Marsilac, área rural e Mirante da Cratera e Ponte Alta. A segunda foi a fase de compartilhamento, na qual os estudantes criaram uma campanha para conscientizar a comunidade e um espetáculo aliado aos projetos Hip-Hop, Flauta, Arte Cênica e Teatro da EMEF. A peça, intitulada “Alice no país dos Animais”, foi apresentada na própria unidade, na Escola Municipal de Ensino Infantil (EMEI) Luiz Gonzaga do Nascimento e na Escola Estadual Alexandre Marcondes Filho

Na última etapa do projeto, os estudantes realizaram uma exposição com salas temáticas para a comunidade e para as crianças da EMEI convidada, José Roschel Christi, explicando sobre as obras expostas e o tema central. A professora Ludimilla de Paiva conta que a iniciativa superou as expectativas. “O projeto proporcionou não apenas uma Educação Ambiental crítica, mas também a sensibilização dos estudantes em relação à problemática do tráfico de animais silvestres e à degradação do meio ambiente, em especial a Mata Atlântica, já que a escola está localizada em uma área de fragmentação dessa mata, estimulando-os a mobilizarem-se em prol de uma mudança significativa para si e para sua comunidade”, observa Ludimilla.

Notícias Mais Recentes

Relacionadas

ilustração de crianças usando uniforme escolar azul e branco, com silhueta da cidade ao fundo com balões representando idiomas variados simbolizados pelas bandeiras dos países.

Estudantes da Rede Municipal de SP podem manifestar interesse em aprender idiomas no CELP

Publicado em: 19/01/2022 11h05 - em Secretaria Municipal de Educação

Imagem de uma mão sobre o computador.

SME abre processo seletivo interno para coordenador de Polo UniCEU

Publicado em: 14/01/2022 5h27 - em Secretaria Municipal de Educação

fotografia de professora atendendo um garoto em sua mesa. Todos usam máscara facial.

SME publica classificação definitiva dos candidatos para eventual contratação

Publicado em: 14/01/2022 10h30 - em Secretaria Municipal de Educação

fotografia de dois notebooks sobre uma mesa
Imagem com diversas antenas.

Prefeitura sanciona Lei das Antenas

Publicado em: 13/01/2022 12h07 - em Secretaria Municipal de Educação

1 2 3 1.211