Notícias

Crianças do CEU EMEF Paraisópolis elaboram problemas matemáticos com uso de tecnologia

Projeto selecionado pela comissão do Prêmio Educador Nota 10 integra os 50 finalistas de 2019

Publicado em: 26/07/2019 13h43 | Atualizado em: 30/11/2020

programandoproblemascapa_740x430.png

No dia 6 de julho, a Fundação Victor Civita, instituição responsável pelo prêmio Educador Nota 10, divulgou os 50 finalistas da 22ª edição – 2019, entre os projetos selecionados está o trabalho realizado pela Professora de ensino fundamental I, Mônica Zonta, na Escola Municipal de Ensino Fundamental (EMEF) CEU Paraisópolis, da Diretoria Regional de Educação Campo Limpo.

O projeto intitulado “Programando problemas” teve duração de aproximadamente dois meses no ano de
2018, com uma turma de 32 crianças do 3º ano do ensino fundamental. A proposta buscou o aprimoramento do estudo da matemática, por meio da união das diferentes tecnologias para aprendizagem.

A professora Mônica, responsável pelo projeto, optou por trabalhar com este tema após observar nos estudantes dificuldades na interpretação de situações problema. Com base nestas informações, Mônica decidiu realizar um trabalho que envolvesse o uso de tecnologia e matemática, incentivando o protagonismo das crianças durante todo o processo.

O projeto percorreu as seguintes etapas:

Criando situações problema – No início do projeto, a professora dividiu a turma em 6 grupos, em seguida entregou um netbook para cada equipe criar uma situação problema envolvendo adição ou subtração. Após esse momento, cada grupo resolveu sua própria situação problema e dos outros grupos.

programandoproblemas1_740x430.jpg

Conhecendo códigos de programação – Dando continuidade a proposta, as crianças receberam um conjunto de códigos da área de programação, elaborado pela professora, para conhecer e utilizar na resolução de novos problemas. A turma leu as orientações para execução dos códigos, tiraram dúvidas e compreenderam a função de cada um antes de partir para a prática.

programandoproblemas_740x430.jpg

Explorando computadores e programas – As crianças puderam explorar as máquinas apertando botões, reconhecendo menus e se familiarizando com o equipamento. Posteriormente, iniciaram o trabalho com o programa gratuito chamado, Visual Studio Code, um editor de códigos desenvolvido pela Microsoft para diferentes sistemas operacionais, como: Windows, Linux e macOS, da Apple.

As crianças elaboraram problemas utilizando a linguagem de programação JavaScript, seguindo as orientações do dicionário de códigos que haviam estudado nas aulas anteriormente. Fizeram a lista com o nome de cada um, em seguida digitaram os problemas, trazendo à compreensão a ideia de variável, tanto na situação problema quanto na programação.

Hospedando na internet – Após o término dos trabalhos, a professora Mônica buscou informações sobre como hospedar os problemas elaborados pela turma na internet, para que todos pudessem acessar em qualquer hora e lugar.

Utilizando QR Code – Com os problemas publicados na internet, perceberam que o link para acessar os problemas estava extenso, especialmente no celular, onde a maioria dos estudantes acessam a internet fora da escola. A professora Mônica perguntou às crianças se conheciam o QR Code, um código de barras que pode ser escaneado usando a maioria dos telefones celulares equipados com câmera. Esse código é convertido em texto, um endereço de internet, um número de telefone, uma localização, um e-mail, um contato ou um SMS de texto.

Em seguida, trouxe diversos panfletos com QR Codes e utilizou com os estudantes para que verificassem a eficiência do mecanismo. Após conhecerem a tecnologia, optaram pela utilização da ferramenta escaneando os problemas publicados na internet. Durante esta ação, a turma discutiu formas de realizar pesquisa na internet.

Experimentando o uso de variáveis na programação – Nesta etapa, as crianças, com auxílio da professora, elaboraram situações problema para cada grupo e uma para resolução coletiva. Por meio da utilização de conceitos como input de dados, números randômicos e variáveis, aprenderam como programar esses problemas no computador.

Na programação criada por cada grupo, o usuário insere números em lacunas dentro do texto. Esses números são lidos, armazenados em variáveis na memória do computador e posteriormente utilizados no cálculo, por exemplo: “João foi à feira e comprou _ frutas. Em casa, tinha mais __. Com quantas frutas ele ficou?”. Em seguida, o programa utiliza os valores inseridos pelo usuário para calcular a resposta e exibe uma mensagem com o resultado.

Já no problema coletivo, o computador sorteia valores com base em regras definidas na programação e insere dentro do enunciado do problema. Exemplo: “Seu João foi à feira e comprou 5 frutas. Em casa, tinha outras 10. Com quantas frutas ele ficou?”, o usuário, então, preenche com a resposta. O computador verifica a resposta e, por meio de caixas de mensagem, informa se o usuário acertou ou errou. Para criar essas mensagens ao usuário, os estudantes tiveram que pensar, inclusive, em frases para aparecer como resultado daquela opção (“Parabéns, você acertou!”; “Você errou, tente novamente!”).

Com a utilização de hospedagem web e dos QR Codes, os estudantes obtiveram acesso online para consulta e posterior estudo. “

Apresentação na Mostra Cultural – A Mostra Cultural de Paraisópolis é um evento que acontece anualmente nas dependências do CEU Paraisópolis e conta com a participação de escolas e instituições da região.

Em setembro, data do último evento, o tema foi: “Matemática: caminhos para a descoberta”, as crianças participaram apresentando aos visitantes, de maneira expositiva, o trabalho desenvolvido para que todos pudessem conhecer e experimentar a resolução de problemas fazendo uso das diferentes tecnologias utilizadas.

programandoproblemas2_740x430.jpg

Para Mônica, idealizadora do projeto, programar com as crianças foi uma experiência muito rica, tendo grandes possibilidades de repetição. “Trazer a tecnologia para a sala de aula nos aproxima e aprimora todos os saberes, enquanto desenvolvíamos o projeto, revisamos o texto do problema, pensamos em números, calculamos mentalmente, desenvolvemos raciocínio lógico.”. Tivemos momentos de intensa aprendizagem e motivação, aponta a professora.

Confira os problemas criados e programados pelos estudantes:

Problema de produção coletiva

www.aisthesis.com.br/monica/ceu/problemas/problemas_3oc/problema_inverso/

Problema do grupo 1

www.aisthesis.com.br/monica/ceu/problemas/problemas_3oc/problema_1/

Problema do grupo 2

www.aisthesis.com.br/monica/ceu/problemas/problemas_3oc/problema_2/

Problema do grupo 3

www.aisthesis.com.br/monica/ceu/problemas/problemas_3oc/problema_3/

Problema do grupo 4

www.aisthesis.com.br/monica/ceu/problemas/problemas_3oc/problema_4/

Problema do grupo 5

www.aisthesis.com.br/monica/ceu/problemas/problemas_3oc/problema_5/

Problema do grupo 6

www.aisthesis.com.br/monica/ceu/problemas/problemas_3oc/problema_6/

Notícias Mais Recentes

Relacionadas

Fotografia de professor escrevendo em lousa escolar

Prefeitura de SP abre cadastro para professores de Educação Infantil, Fundamental e Médio

Publicado em: 29/11/2021 5h38 - em Secretaria Municipal de Educação

Imagem mostra um celular sendo segurado por uma pessoa e outra mostrando um cubo ao fundo. Abaixo, um fundo verde e bege com o texto

SME realiza 2ª Semana de Tecnologias com palestras e oficinas

Publicado em: 29/11/2021 4h44 - em SME/NTC/NEER

Banner Dezembro Migrante

Dezembro Migrante contará com lives formativas para educadores

Publicado em: 29/11/2021 2h43 - em Secretaria Municipal de Educação

fotografia da cantora Monica Salmaso usando chapéu de caipira

Estudantes e educadores são convidados a participar de workshop online com a cantora Mônica Salmaso

Publicado em: 29/11/2021 11h59 - em Secretaria Municipal de Educação

Imagem mostra três meninos brincando em um brinquedo inflável e sendo molhados por um jato de água.
1 2 3 1.210