Notícias

Segundo encontro do Curso Viver Literatura

Luís Gonzaga, Patativa do Assaré e João Cabral de Melo Neto foram as estrelas da tarde.

Publicado em: 08/08/2017 15h24 | Atualizado em: 30/11/2020

curso_ael_740_x_430.jpg

No dia 7 de maio, no auditório da Academia Paulista de Letras, foi realizado o segundo encontro do Curso “Viver Literatura”, promovido pela Secretaria Municipal de Educação (SME), em conjunto com a equipe gestora do Projeto Academia Estudantil de Letras. O curso tem como proposta a ampliação do universo cultural dos professores e a formação da Academia de Letras dos Professores da Cidade de São Paulo (ALP).

Luís Gonzaga, Patativa do Assaré e João Cabral de Melo Neto foram as estrelas da tarde. Para falar sobre eles foram convidados os educadores Cícero Leonardo do Nascimento, Maria de Jesus Campos Sousa, Samir Mustapha e Carlyne Cardoso de Paiva.

O compositor Luiz Gonzaga foi abordado, pois, neste ano, no Projeto AEL, o tema de estudo e trabalho é a “Presença da Literatura na música brasileira”. Para discorrer sobre ele, o jornalista e escritor Gabriel Kwak iniciou a tarde com a fala “Evocação de Luiz Gonzaga: um pouco do que ele foi” , contando “causos” e passagens da vida do Rei do Baião. Kwak, que é diretor da Associação Paulista dos Críticos de Arte (APCA) e, atualmente, trabalha no Portal R7, conheceu o Projeto Academia de Letras, em Campos de Jordão, onde é membro da Academia de Letras daquela cidade, juntamente com Professora Suelizinha, idealizadora da AEL. “Sou um admirador do projeto, desde o início, por se tratar de uma iniciativa pioneira que incentiva a leitura na escola pública”, disse Gabriel.

Após a conversa sobre Luiz Gonzaga, aconteceu a apresentação cultural do aluno Henrique Santos, 11 anos, da Escola Municipal de Educação Fundamental (EMEF) Padre Antônio Vieira, que executou, ao violino, as músicas “When You Wish Upon a Star” (Pinocchio), um trecho da Nona Sinfonia de Bethoven, finalizando com “Asa Branca”, de autoria da dupla Luiz Gonzaga e Humberto Teixeira.

Em seguida, a professora Maria de Jesus, Coordenadora das Salas de Leitura e das AELs, da Diretoria Regional de Educação (DRE) São Mateus, tocou e cantou “Vaca Estrela e Boi Fubá”, poema musicado, de Patativa do Assaré. “Recordo da minha infância, lá no Maranhão, pois minha mãe cantava essa música, enquanto trabalhava nos afazeres de casa”, disse Maria de Jesus.

Na sequência, o professor Cícero, de Língua Inglesa, da Escola Municipal de Ensino Fundamental (EMEF) Alexandre de Gusmão, DRE Guaianases, entrou pelos fundos do auditório, caraterizado como o escritor Patativa do Assaré, tocando um sino, anunciando sua apresentação. Ele mostrou a imagem e o som do pássaro “patativa” e, explicou que o poeta popular, Antonio Gonçalves da Silva, recebeu o pseudônimo de Patativa, por ser sua poesia comparável à beleza do canto dessa ave da região. Falou da biografia e da obra do poeta, exibiu uma animação do Poema “Cabra da Peste” e finalizou declamando “Vaca estrela e Boi Fubá”.

O professor Samir, coordenador do Projeto AEL na DRE Penha, uniu Música e Literatura em sua explanação, falando da importância de Luiz Gonzaga na difusão da obra de Patativa. Exemplificou com as músicas “Vida Sertaneja”, “O Peixe” e “O boi Zebu e as formigas”.

Finalizando, a professora Carlyne, Coordenadora dos Estudos Literários, na AEL Ferreira Gullar, DRE Ipiranga, apresentou o escritor João Cabral de Melo Neto, mostrando os poemas “Autobiografia de um dia”, “o Cão sem pluma”, uma animação de “Um galo sozinho não tece a manhã” e um trecho da minissérie “Morte e Vida Severina”, exibida na Rede Globo.

“Foi uma tarde onde o erudito e o popular se encontraram na obra e na vida dos três gênios, representativos da cultura nordestina”, avaliou a professora Suelizinha.

Notícias Mais Recentes

1 2 3 1.213