Notícias

Projeto CIEJA Etnias concorre a Prêmio Municipal de Educação em Direitos Humanos

Classificada em segundo lugar, a ação trouxe o debate sobre questões étnicas e raciais aos educandos

Publicado em: 04/10/2016 14h56 | Atualizado em: 30/11/2020
Projeto_CIEJA_Etnias_Premio_Direitos_Humanos_740_x_430.jpg

O Projeto CIEJA Etnias, realizado pelo Centro Integrado de Educação de Jovens e Adultos (CIEJA) Clóvis Caitano Miquelazzo, está concorrendo à edição de 2016 do Prêmio Municipal de Educação e Direitos Humanos. Desenvolvido em 2015, o projeto se classificou em segundo lugar para a premiação.
Um estudo de perfil dos seus educandos permitiu que as equipes gestora e docente do CIEJA Clóvis Caitano Miquelazzo concluíssem que as marcas étnico-raciais contribuem para a marginalização desses alunos, em sua maioria migrantes nordestinos de origem africana e indígena. O estudo foi o ponto de partida para a elaboração do projeto, que teve como principal objetivo promover o debate sobre questões étnicas com seus alunos.

Com uma abordagem interdisciplinar, a iniciativa se desdobrou em subprojetos, os quais abordaram questões referentes a preconceito racial, aos direitos da pessoa indígena e à inclusão dos novos imigrantes (internos e externos) na sociedade. Cada um deles ficou sob a responsabilidade de um professor, mas as aulas foram pensadas em conjunto para que os três tópicos fossem discutidos com todos os educandos.

Ao final, o projeto realizou uma mostra do material produzido, com instalações e obras de arte conceitual construídas durante as aulas. Ela ficou exposta durante o Novembro Negro no Centro Educacional Unificado (CEU) Meninos e, no Dezembro Imigrante, na Diretoria Regional de Educação (DRE) do Ipiranga.

Sobre o prêmio: o Prêmio Municipal de Educação em Direitos Humanos é um projeto anual da Coordenação de Educação em Direitos Humanos (EDH), da Secretaria Municipal de Direitos Humanos e Cidadania (SMDHC), em parceria com a Secretaria Municipal de Educação (SME) de São Paulo. Ele tem como objetivo incentivar, promover e colaborar para o fortalecimento da educação em direitos humanos na rede municipal de ensino através da divulgação de projetos que tratem sobre o assunto na escola.

Em sua quarta edição, o prêmio abrange quatro categorias de projetos os quais podem ser inscritos: de unidades escolares, de professores, de estudantes e de grêmios. A cerimônia de premiação ocorre, todo ano, no dia 10 de dezembro, Dia Internacional dos Direitos Humanos. Os projetos vencedores recebem livros e materiais diversos do acervo da Coordenação EDH, além de uma quantia em dinheiro a depender da sua colocação e categoria. Também é organizado um livro com todos os relatos vencedores, disponibilizado online.

Veja algumas imagens do Projeto.

Notícias Mais Recentes

Relacionadas

Fotografia de duas mulheres na frente de um grupo de crianças contando histórias infantis

Narrativas de Refúgio é tema de apresentação que ocorre em 10 CEUs da capital

Publicado em: 23/05/2022 11h37 - em Secretaria Municipal de Educação

Estudante está olhando pelo telescópio.

Estudantes da EMEF Paulo Duarte estão ‘De olho no Céu’

Publicado em: 20/05/2022 4h54 - em Secretaria Municipal de Educação

Logotipo do Parlamento Jovem

Estudantes do 6º ao 9º do Ensino Fundamental podem se inscrever para o Parlamento Jovem 2022

Publicado em: 20/05/2022 1h04 - em Secretaria Municipal de Educação

Fotografia de uma estudante da Educação de Jovens e Adultos. Ela possui cabelos grisalhos, usa óculos e máscara de proteção individual. Ela está sentada atrás da sua carteira escolar e sobre a mesa tem seu material escolar.

Matrículas abertas para a Educação de Jovens e Adultos

Publicado em: 20/05/2022 8h00 - em Educação de Jovens e Adultos

Fotografia de uma réplica de uma pirâmide, mostrando um cartaz e um quadro.
1 2 3 1.239