Notícias

Projeto aborda questões sobre acessibilidade por meio da fotografia

Iniciativa realizada na EMEF Prof. Aurélio Arrobas Martins estimula a percepção dos estudantes sobre a escola e seu entorno

Publicado em: 25/03/2019 14h43 | Atualizado em: 30/11/2020

AURELIO_ARROBAS_740x430.jpg

Por meio de projeto realizado na Escola Municipal de Ensino Fundamental (EMEF) Professor Aurélio Arrobas Martins, da Diretoria Regional de Educação Itaquera (DRE-IQ), a professora de Arte Natalia Fernandes usou a fotografia como ferramenta de percepção do entorno da comunidade escolar. No trabalho realizado com os alunos, ela faz um convite à valorização dos detalhes do cotidiano, sensibilizado os olhares para que se reconheçam através da própria história e a do seu entorno. “O projeto foi implementado na unidade no ano de 2016, mas só em 2018 foi reformulado e ganhou o protagonismo dos alunos do 9º ano no desenvolvimento do Trabalho Colaborativo Autoral (TCA)”, explica Natalia.

O projeto leva o nome “Meu território, meu olhar – acessibilidade” e busca revelar, por meio do olhar dos estudantes, os pontos que podem ser melhorados tanto na escola como em seu entorno, fazendo com que os alunos assumam o papel de protagonistas e responsáveis por propor mudanças e ações. A professora realizou atividades que tiveram o olhar voltado para as dificuldades vividas pelos colegas com deficiência.

Natalia conta que os estudantes envolvidos no projeto perceberam que os alunos com deficiência não conseguiam acessar todos os espaços da escola. Incomodados com essa realidade, iniciaram um trabalho de registros por meio de fotos e vídeos para visualizar e abrir reflexões e conversas sobre o assunto, principalmente sobre as dificuldades no acesso às aulas de Educação Física e à sociabilização no intervalo.

A partir das constatações, os alunos propuseram algumas ações para mudar essa realidade. “Por exemplo, adotamos o “Intervalo Acessível”, quando uma ou duas vezes na semana os alunos tomavam o lanche juntos em um lugar acessível para todos, bem como realizavam aulas de Educação Física adaptadas, com atividades dentro da sala de aula”, explica a professora. “Depois de apresentarmos nosso TCA, fomos escolhidos pela DRE Itaquera para partilhar nosso trabalho no encontro estudantil realizado no CEU Aricanduva. Após essa apresentação, o Centro de Formação e Acompanhamento à Inclusão (CEFAI) da DRE Itaquera nos convidou pra conhecermos o Centro Paralímpico, o que foi uma experiência fantástica pra nós”, conta Natália.

O trabalho também resultou em um vídeo, que pode ser acessado neste link.

Notícias Mais Recentes

Relacionadas

Fotografia de Gravação De Vídeo Em Libras (1)

SME e TV Cultura produzem 3.330 vídeos inéditos em Libras com ajuda de instrutores surdos

Publicado em: 13/05/2022 4h14 - em Secretaria Municipal de Educação

Visita Ao Theatro Muinicipal 02
Fotografia mostra seis pessoas em pé e uma sentada. A pessoa sentada é uma mulher, veste camiseta preta e está com os braços cruzados sobre a mesa. Ao seu lado esquerdo, há uma repórter, ela veste a camisa laranja da

Estudantes surdos produzem reportagens em vídeo em Libras pelo Imprensa Jovem no CIEJA Perus I

Publicado em: 13/05/2022 12h03 - em Diretoria Regional de Educação Pirituba

foto de uma sala com bebês, o chão é forrado com placas coloridas de emborrachado e alguns almofadões. Alguns bebês olham para a câmera. Ao fundo, Duas mulheres interagindo com eles

SME faz nova convocação de aprovados em concurso em diversos cargos

Publicado em: 13/05/2022 10h25 - em Secretaria Municipal de Educação

fotografia de parque de uma escola com os muros Grafitados

EMEI da periferia da zona sul tem seus muros e paredes grafitados por 25 artistas

Publicado em: 11/05/2022 10h53 - em Secretaria Municipal de Educação

1 2 3 4 1.237