Notícias

Poesia na Escola: Os versos da realidade por estudantes da periferia

Estudantes participam de lives com poetas e escritores de diversos gêneros da literatura para falar sobre processo criativo, história de vida, autores e poetas preferidos

Publicado em: 17/07/2020 13h23 | Atualizado em: 01/10/2021
Imagem com 5 fotos de alunos e o título "Projeto Poesia na Escola" na parte superior.

Pensando em incentivar novos escritores e poetas a produzirem conteúdos literários no extremo leste da capital, um grupo de professores da Escola Municipal de Ensino Fundamental (EMEF) Prof . Paulo Renato Costa Souza, pertencente ao Centro Educacional Unificado (CEU) Água Azul, decidiu criar o “Projeto e 1º Concurso Poesia na Escola ” para estudantes do 6º ao 9º ano das Unidades Educacionais da Diretoria Regional de Educação (DRE) Guaianases.

O “Projeto Poesia na Escola” tem como principais objetivos: incentivar a produção literária dos estudantes, dando visibilidade ao material inédito produzido, valorizar os estudantes escritores, proporcionando formas de expressão por meio da escrita em tempos de pandemia e distanciamento social por conta do Covid -19 (Coronavírus).

O projeto teve início em junho deste ano e surgiu a partir de uma sequência de transmissões ao vivo (lives) organizadas pelo professor Fernando Toledo do CEU EMEF Água Azul.

A partir da live “Slam na escola: um evento que cola”, o professor decidiu criar um projeto capaz de estimular a escrita e a leitura dos estudantes por meio de suas próprias produções literárias. Ação teve a participação da educadora da Rede Municipal, Cleia Teixeira, que também desenvolve pesquisa sobre o Slam (batalha de poesia) no Programa de Mestrado Profissional em Letras, pela Universidade de São Paulo (PROFLETRAS/USP).

Quatro professores foram convidados para participarem do Projeto. Desta forma, a Comissão Organizadora passou a ser composta pelos professores (as) Anísio Silva, Cleia Teixeira da Silva Oliveira, Fernando de Toledo Cardoso, Gilvete Cândida dos Santos Brito e José Wilton dos Santos, educador na EMEF Armando Cridey Righetti, da Diretoria Regional de Educação (DRE) São Miguel.

A produção literária dos jovens estudantes no “Projeto Poesia na Escola”, vem sendo realizada em reuniões online, registradas em pautas, atas, vídeos e imagens. Além disso, estão ocorrendo outras ações voltadas aos estudantes do Ensino Fundamental II do CEU EMEF Água Azul. O material pode ser acessado no Facebook da Unidade Educacional .

Com intuito de promover a inclusão e a representatividade, todos os poemas estão sendo transformados em vídeos a partir da escrita autoral de poemas por representantes de diversos segmentos da comunidade escolar: gestores, educadores, ex-alunos, pessoas com deficiência e também estudantes imigrantes.

O primeiro poema transformado em vídeo foi publicado no dia 08 de junho nas redes sociais da Unidade Educacional. Sua autoria foi de um dos membros da Comissão Organizadora, o educador José Wilton dos Santos. A produção audiovisual foi intitulada como “A Praia Mais Bela”.

Ao todo, serão postados 11 poemas, sempre às segundas-feiras. Nas duas últimas semanas haverá a publicação de 2 vídeos, sendo um na segunda e outro na quinta-feira. Os vídeos contam com intérprete de Língua Brasileira de Sinais (LIBRAS).

O vídeo de Guilherme Ferreira (18) obteve mais de 60 mil visualizações na página da Unidade Educacional.  O jovem com paralisia cerebral é aluno da Associação da Casa dos Deficientes de Ermelino Matarazzo, ele utiliza cadeira de rodas para se locomover. Em seu vídeo, decidiu abordar temáticas voltadas à importância do respeito às diferenças e à afirmação de suas identidades.

Além dessa ação, a Comissão Organizadora do Projeto ministra, às sextas-feiras, aulas para todos os alunos do Fundamental II do CEU EMEF Água Azul, por meio da plataforma Google Meet. Os encontros liderados pela Prof ª Gilvete Cândida e pelo Prof. Anísio Silva buscam ampliar o repertório literário dos estudantes, preparando-os para a produção de seus textos autorais.

As lives também fazem parte das ações do Projeto, são totalmente acessíveis com interpretação em LIBRAS realizada por Maria Aparecida Cavalcante Martins e Edvânia Guimarães dos Santos Barros. Os poetas e escritores de diversos gêneros, inclusive da literatura marginal, foram convidados para falar sobre o seu processo criativo, história de vida e autores preferidos, além de compartilharem dicas preciosas sobre o ato de escrever.

No último dia 02/07 o encontro foi com Jéssica Campos, poeta slammer (participante de batalhas de poesia) da Zona Sul, no Capão Redondo em São Paulo. O escritor e poeta desde o início dos anos 90, Danton Medrado, foi o convidado da segunda live, realizada dia 09/07, sob mediação do Prof º José Wilton.

Sérgio Vaz participou da terceira edição no último dia 16/07. Além de escritor e poeta, é agitador cultural nas periferias de São Paulo, criador da Cooperifa (Cooperativa Cultural da Periferia) e um dos criadores do Sarau da Cooperifa, movimento que transformou um bar da periferia da Zona Sul de São Paulo em um Centro Cultural.

O convidado Sérgio Vaz, a intérprete Maria Aparecida e a mediadora Profª Cleia, num momento de descontração na live após Vaz elogiar a presença e a importância das intérpretes de Libras para proporcionar acessibilidade às pessoas com deficiência auditiva).

O convidado Sérgio Vaz, a intérprete Maria Aparecida e a mediadora Profª Cleia sorriem após Vaz elogiar a presença e a importância das intérpretes de Libras para acessibilidade das pessoas com deficiência.

Neste encontro, mediado pela Prof ª Cleia Teixeira, Sérgio Vaz relatou sobre como é seu processo de escrita, a atual conjuntura da educação pública brasileira e os efeitos causados pela pandemia do Covid – 19.

Foram mais de 2.300 visualizações simultâneas, 30 compartilhamentos na rede e muitas reações positivas do público. Vale destacar que o encontro foi aberto ao público e teve grande participação de estudantes de outras Unidades Educacionais da DRE Guaianases. A live foi realizada pela plataforma StreamYard, transmitida ao vivo no Facebook do CEU EMEF  Água Azul Prof. Paulo Renato Costa Souza.

Alunos e alunas integrantes da Academia Estudantil de Letras (AEL) Sérgio Vaz fizeram apresentações poéticas durante o evento. A Comissão Organizadora promoveu uma Gincana Literária com perguntas sobre as obras e a vida do agitador cultural durante o bate-papo. Ao final da live, as 5 pessoas que responderam corretamente ganharam um livro do poeta, intitulado “Flores de Alvenaria”. Para assistir à live, acesse a página da escola no Facebook .

 

 

Notícias Mais Recentes

Relacionadas

Ensino Médio Foto

Ensino Médio na Rede Municipal de São Paulo está com inscrições abertas

Publicado em: 12/08/2022 5h47 - em Secretaria Municipal de Educação

fotografia de professora com crianças de educação Infantil
Ilustração com retrato de Marina Colasant

Marina Colasanti será homenageada pela Academia Estudantil de Letras

Publicado em: 12/08/2022 12h43 - em Secretaria Municipal de Educação

Banner de divulgação do V Seminário Agosto Indígena - 2022 - Indígenas na cidade, São Paulo Terra Indígena. Fotografia estilizada de crianças indígenas brincando em uma árvore. Ao fundo, imagem estilizada de pontos turísticos da cidade de São Paulo.

SME promove seminário ‘Agosto Indígena’ no Theatro Municipal de SP nesta segunda (15)

Publicado em: 11/08/2022 4h42 - em Secretaria Municipal de Educação

Quatro estudantes estão sentadas em suas carteiras, há um livro na frente deles. Uma menina aparece à frente da fotografia, os outros estão desfocados mais ao fundo.

Dia do Estudante: Veja sete curiosidades da Rede Municipal de São Paulo

Publicado em: 11/08/2022 1h23 - em Secretaria Municipal de Educação

1 2 3 1.262