Notícias

Missão “Educação Além do Prato” em Brasília

Educadoras premiadas com a segunda colocação no prêmio acompanharão visita da delegação do Camboja

Publicado em: 04/07/2016 13h05 | Atualizado em: 30/11/2020
missao_educacao_alem_do_prato_em_brasilia_740_x_430.jpg

Entre os dias 3 e 7 de agosto, duas professoras e duas merendeiras da Rede Municipal de Ensino (RME) acompanharão, em Brasília, uma visita de estudo da Delegação do Camboja sobre o Programa de Alimentação Escolar desenvolvido no Brasil. A ação, promovida pelo Centro de Excelência Contra a Fome do Programa Mundial de Alimentos da Organização das Nações Unidas (PMA-ONU), compõe o reconhecimento pela segunda colocação no Prêmio Educação Além do Prato, realizado pelo Departamento de Alimentação Escolar (DAE) da Secretaria Municipal de Educação (SME).

Viajarão a merendeira Herlandia Freire dos Santos e a professora Marister Alves de Moraes, da Escola Municipal de Ensino Fundamental (EMEF) do CEU Alto Alegre, da Diretoria Regional de Educação (DRE) São Mateus, e a merendeira Maria de Fátima Araújo Brotas e a diretora Rosana Gonzaga Dobre Batista, do Centro de Educação Infantil (CEI) Missionária Dorothy Stang, da DRE Itaquera. A diretora do DAE, Erika Fischer, acompanha as vencedoras na viagem.

Em Brasília, as representantes da SME terão a oportunidade de trocar experiências sobre o Programa de Alimentação Escolar desenvolvido na cidade de São Paulo e compartilhar a experiência de sucesso no Premio Educação Além do Prato com representantes do Supremo Conselho Econômico Nacional, do Ministério da Educação e Juventude, do Ministério da Agricultura, do Ministério do Interior e do PMA de Camboja.

Viagem ao Senegal – Entre 8 e 12 de junho, as duas professoras e as duas merendeiras vencedoras do Prêmio Educação Além do Prato visitaram Dacar, capital do Senegal, onde acompanharam uma missão técnica do Centro de Excelência contra a Fome do Programa Mundial de Alimentos da ONU (PMA). Saiba mais clicando aqui.

Sobre o Prêmio Educação Além do Prato – A Prefeitura de São Paulo, por meio do Departamento de Alimentação Escolar (DAE) da Secretaria Municipal de Educação, lançou em maio de 2014 o Prêmio “Educação Além do Prato”. Esta ação de política pública pretendeu fomentar estratégias integradas de incentivo ao consumo de frutas, legumes e verduras em conjunto com a valorização dos cozinheiros nas escolas, com o objetivo de ampliar os espaços para reflexão sobre alimentação na comunidade educacional, com a participação efetiva dos alunos. 

Todas as escolas da rede puderam participar. Cada uma pôde inscrever um projeto relatando as ações de mobilização em torno do tema da alimentação e o processo de busca e seleção de uma receita – na categoria Prato Quente ou Prato Frio. As receitas inscritas poderão ser incluídas nos cardápios do Programa de Alimentação Escolar do município.

Foram inscritas 292 escolas (10,3% da rede), com ampla representatividade dos perfis educacionais: 155 Centros de Educação Infantil (0-3 anos), 64 Escolas de Educação Infantil (4-5 anos), 64 Escolas de Ensino Fundamental (6-14 anos), 3 Centros de Educação e Cultura Indígena, 1 Escola de Educação Bilíngue para Surdos e 5 outros.

A premiação dos projetos vencedores do prêmio aconteceu em dezembro de 2014, em cerimônia realizada no Palácio das Convenções do Anhembi (Auditório Elis Regina). Além da viagem à África aos vencedores, os segundos colocados realizarão uma viagem à Brasília para participar de evento promovido pelo PMA no final de junho. Os terceiros colocados tiveram direito a uma experiência gastronômica no Restaurante Tordesilhas, na zona oeste da cidade. Todos os finalistas também participaram de workshops promovidos em parceria com a Faculdade de Saúde Pública (FSP-USP) e com o SENAC. 

Saiba mais sobre o prêmio “Educação Além do Prato” por meio dos vídeos:

Vídeo 1 
Vídeo 2  

Sobre o Programa de Alimentação Escolar – A ampliação da aquisição de produtos da agricultura familiar, somada à redução da compra de alimentos processados e à intensificação dos controles de qualidade, tem levado mais saúde para os pratos de 925 mil alunos da rede municipal de educação da cidade de São Paulo. Atualmente, o Programa de Alimentação Escolar da cidade de São Paulo serve cerca de 2 milhões de refeições por dia, atendendo a quase 2.800 unidades escolares. É considerado um dos maiores programas de alimentação escolar do mundo.

Entre as medidas adotadas pela Prefeitura, está a redução em 50% da frequência em que produtos com baixo valor nutricional são servidos nas escolas. Alimentos como o bolo, que era servido semanalmente, e salsicha, que era quinzenal, passaram a fazer parte do cardápio, respectivamente, quinzenal e mensalmente. A redução de sódio em 100% na margarina, do açúcar em 17%, dos bolos servidos no lanche e a isenção de gordura trans em todos os alimentos também fazem parte das ações. Os produtos vêm sendo substituídos por frutas e outros alimentos in natura.

Agricultura Familiar – Até 2012, apenas 1% dos recursos do Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE) eram investidos em produtos da agricultura familiar. Em 2014, este índice subiu para 17%, com a compra de gêneros como arroz orgânico, arroz parboilizado, suco de laranja integral, suco de uva integral (sem adição de açúcar), feijão carioca, banana, entre outros. Em 2015, já foram investidos aproximadamente R$ 25 milhões em produtos da Agricultura Familiar – carne suína, arroz comum, arroz parboilIzado, feijão preto, feijão carioca, farinha de mandioca, suco de uva, suco de laranja, iogurte e frutas cítricas.

Sobre o Centro de Excelência contra a Fome – É um fórum global para diálogo de políticas e aprendizagem Sul-Sul sobre programas de alimentação escolar e segurança alimentar e nutricional. O Centro de Excelência, uma parceria entre o PMA e o governo brasileiro, foi criado para apoiar governos na África, Ásia e América Latina no desenvolvimento de soluções sustentáveis contra a fome. O Centro provê aconselhamento sobre políticas e programas, assistência técnica, oportunidades e reúne nações do hemisfério sul e as ajuda a desenvolver seus próprios programas.

Notícias Mais Recentes

Relacionadas

Imagem mostra, em primeiro plano, uma criança se alimentando. Ela está com uma colher na boca e um prato em sua frente. Ao fundo, outras crianças também comendo e funcionarias da escola auxiliando
Programação de dezembro- imigrante e cultura inclusiva

Migração e acessibilidade são eixos centrais da programação dos CEUs em dezembro

Publicado em: 06/12/2021 6h29 - em Secretaria Municipal de Educação

Mão infantil segurando massinha de modelar
mão feminina preenchendo gabarito de prova de concurso

SME convoca candidatos aprovados em lista específica de Negro, Negra ou Afrodescendentes

Publicado em: 04/12/2021 1h30 - em Secretaria Municipal de Educação

Imagem de uma professora sentada do chão. Ela segura um caderno com uma figura e mostra para a criança que está em pé em sua frente.

SME amplia em 1.068 o número de cargos para a Educação Infantil Municipal

Publicado em: 03/12/2021 5h08 - em Secretaria Municipal de Educação

1 2 3 1.212