Notícias

Mães iniciam trabalho nas escolas municipais de São Paulo nesta segunda-feira

No primeiro dia, 3.156 mulheres já assumiram suas vagas nas unidades educacionais, onde atuarão na implementação dos protocolos sanitários

Publicado em: 01/03/2021 12h46 | Atualizado em: 02/03/2021
Mães em ambiente escolar conversam com diretor - inicio no trabalho nas escolas municipais
Mães conversam com diretor da EMEF Fernando Azevedo

Começou hoje (1º de março) o trabalho das mães escolhidas para participar do Programa Operação Trabalho (POT) Volta às Aulas. Das 4.543 mulheres selecionadas inicialmente, 3.156 compareceram entre sexta-feira e domingo aos postos aos postos do CATE (Centro de Apoio ao Trabalho e Empreendedorismo) da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico, Turismo e Trabalho e tiveram suas contratações oficializadas.

As mulheres que foram convocadas para o cargo, mas não puderam comparecer nos dias agendados, ainda podem procurar um dos 13 postos do CATE entre 10h e 16 h para regularizar sua situação

São pré-requisitos para aderir ao projeto ter mais de 18 anos, residir na cidade de São Paulo, estar desempregada há mais de quatro meses, não receber benefícios como seguro-desemprego e não ter renda familiar superior à metade do valor do salário mínimo.

Elas auxiliarão na implementação do cumprimento dos protocolos sanitários e de distanciamento social nas unidades de ensino municipais e receberão um benefício de R$ 1.155,00 mensais. O projeto foi desenvolvido em conjunto pelas secretarias municipais de Educação, Saúde e de Desenvolvimento Econômico, Turismo e Trabalho de São Paulo.

No total, serão aplicados R$ 34,7 milhões. As inscrições reuniram um total de 91.783 mulheres, média de 20 candidatos por vaga.

Prioritariamente, o programa admitiu mães de alunos de escolas públicas ou mulheres que morem nas comunidades onde elas estão situadas, com idades entre 18 e 50 anos. A carga horária será de 30h semanais, divididas em 24 horas de atividades nas frentes de trabalho e seis horas destinadas a cursos de qualificação profissional. O tempo do contrato será de 6 meses.

Cada uma das 1.535 unidades da rede municipal de ensino manterá três mulheres selecionadas para o projeto e 20% das vagas foram destinadas preferencialmente a jovens com idades entre 18 e 24 anos.
Entre as funções desempenhadas pelas inscritas no programa está a constante conscientização e orientação com respeito às normas de distanciamento social e ao cumprimento das determinações dos protocolos sanitários. As vagas serão distribuídas entre unidades educacionais espalhadas pelas 13 Diretorias Regionais de Ensino (DREs). O secretário municipal de Educação, Fernando Padula, reforçou que essas mulheres não substituirão os trabalhadores efetivos ou terceirizados que atuam nas unidades educacionais.

Notícias Mais Recentes

1 2 3 1.213