Notícias

Imprensa Jovem da EMEF Rivadavia Marques Júnior entrevista psicóloga sobre o jogo Baleia Azul

Estudantes conversam sobre os motivos que levam os jovens a procurar o jogo e como prevenir a adesão a essa prática

Publicado em: 12/07/2017 12h26 | Atualizado em: 30/11/2020

baleia_azul_740_x_430.jpg

Matéria produzida pela Imprensa Jovem da EMEF Rivadavia Marques Junior – DRE São Mateus

O jogo Baleia Azul foi criado na Rússia em 2015 pela internet e se espalhou na Europa nos últimos anos. Esse jogo consiste na realização de 50 desafios malignos, para encorajar os participantes a cometerem suicídio.

Entre os desafios estão: assistir filmes de terror, ouvir músicas melancólicas e mutilar o próprio corpo, até chegar ao último desafio, em que o jovem comete o suicídio.

Entrevistamos a professora Patrícia Peres, psicóloga, que nos explicou os motivos dos jovens participarem desse tipo de jogo. De acordo com a psicóloga, na adolescência, os jovens sentem a necessidade de pertencer a um grupo. Patrícia respondeu algumas perguntas para a nossa equipe:

Jornal Riva Conectado na Noticia: Qual é a sua opinião sobre o jogo baleia azul?

Patrícia Peres: É um jogo que estimula o suicídio, um jogo criminoso, que não pode acontecer nas redes sociais.

JRCN: Por que os jovens são vítimas fáceis desse tipo de jogo?

PP: Acontece uma coisa muito interessante no período da adolescência: os jovens sentem a necessidade de pertencer a um grupo social. Por exemplo: muitos se aproximam por estilos musicais, estilo de roupa e cabelo ou por um determinado esporte, cada um com suas características.

Como é uma fase de descobertas, o jovem está tentando entender qual é o lugar dele na sociedade, qual é o lugar dele no mundo. Então, ele vai procurar um grupo pra pertencer. O problema do jogo Baleia Azul é que ele começa de uma forma muito despretensiosa, muito sem querer, formando um grupo, em que outros jovens também participam, cumprem os desafios que estão sendo pedidos, colocam fotos do que fazem, comentam e incentivam a fazer o jogo até o final. E o jovem que já tem a necessidade de pertencer a um grupo, entra no jogo e começa a fazer as mesmas coisas. Graças a Deus, não é a maioria dos adolescentes que fazem esse tipo de coisa. Se esse período da adolescência não for acompanhado por um adulto, se o jovem não está recebendo orientação correta da família ou da escola, isso gera muita angústia. E, às vezes, se cortar pode fazer parte do alívio dessa angústia.

JRCN: Como prevenir que os jovens participem desse tipo de jogo?

PP: Abrindo para conversa. Os jovens têm que sentir que em algum lugar, seja na igreja, nos grupos que ouvem a mesma música, na escola com os professores, entre a família, ele pode conversar sobre o que está sentindo. E aí, se tem um grupo em que é possível que esse adolescente se expresse, troque ideias, converse e possa falar o que está sentindo, isso já é uma prevenção contra esse tipo de jogo, que não é uma coisa nova. É uma questão recorrente na adolescência. Portanto, a melhor prevenção é a conversa.

Equipe Jornal Riva Conectado na Notícia

Ágatha Cristina C. Cabral
Angélica Pereira de Albuquerque
Kauan de Souza Sampaio
Lilian Soares Gomes
Maria Gabriela Andrade de Souza
Pedro Henrique Reis
Wesley Alves de Souza

Notícias Mais Recentes

Relacionadas

EMEF cria escape room sobre mitologia grega para estimular o raciocínio lógico dos estudantes

EMEF cria escape room sobre mitologia grega para estimular o raciocínio lógico dos estudantes

Publicado em: 02/12/2022 1h47 - em Secretaria Municipal de Educação

foto ilustrativa de estágio

Prática de estágio em escola municipal é reconhecida pela Prefeitura de São Paulo

Publicado em: 02/12/2022 12h18 - em Diretoria Regional de Educação São Mateus

Educador Em Destaque

SME homenageia e premia professores da Rede Municipal no Educador em Destaque 2022

Publicado em: 01/12/2022 4h25 - em Secretaria Municipal de Educação

Uniceu

Quatro polos da Rede UniCEU estão com inscrições abertas para especialização gratuita

Publicado em: 01/12/2022 2h32 - em Secretaria Municipal de Educação

Fotofrafia de uma pessoa com jaleco branco segurando uma escova de dentes gigantes e conversando com uma criança e duas pessoas adultas ao lado dela. Todos estão sorrindo e sentados à mesa que também possui uma dentadura gigante sobre ela.

Secretarias da Saúde e da Educação oficializam Programa Saúde na Escola

Publicado em: 01/12/2022 1h08 - em Secretaria Municipal de Educação

1 2 3 1.300