Notícias

II Encontro Troca de Experiências

Evento promove a divulgação e compartilhamento de projetos desenvolvidos nas bibliotecas públicas de São Paulo

Publicado em: 08/08/2017 15h35 | Atualizado em: 30/11/2020

troca_de_experiencias_740_x_430.jpg

A Biblioteca Pública Municipal Viriato Correa, localizada na Vila Mariana, recebeu no dia 23 de novembro, às 9h, bibliotecários, coordenadores de bibliotecas, estagiários, auxiliares e profissionais parceiros, todos ligados a projetos de leitura, pesquisa e informação das bibliotecas públicas de CSMB (Coordenadoria de Sistema Municipal de Bibliotecas ) e dos CEUs (Centros Educacionais Unificados). Na ocasião, aconteceu o II Encontro Troca de Experiências, evento promovido pela CSMB em parceria com a COCEU (Coordenadoria dos Centros Educacionais Unificados e da Educação Integral), destinado a divulgar e compartilhar os projetos desenvolvidos nas bibliotecas públicas de São Paulo. O evento foi coordenado por uma comissão composta por três bibliotecários da rede CSMB e três bibliotecários dos CEUs. O cerimonialista do seminário foi o bibliotecário Sandro Luiz Coelho (CSMB), um dos treze selecionados para apresentarem seus trabalhos.

O evento foi iniciado com uma narração de conto africano promovida pela bibliotecária Rejane dos Santos Pereira, do CEU Rosa da China, extraída do livro “Meus Contos Africanos”, de Nelson Mandela (seleção). Em seguida, foi dada a palavra para Cristina Reis Figueira, coordenadora do setor de Programas Especiais – COCEU, e Waltemir Nalles, coordenador do Sistema Municipal de Bibliotecas – CSMB. Cristina enfatizou a relevância do evento por representar uma integração entre as duas Secretarias (Cultura e Educação), um movimento que não pode ser interrompido. E observou com gratidão reverberações de programas de SME nos trabalhos desenvolvidos pelas bibliotecas dos CEUs. Waltemir também destacou essa aproximação das Secretarias e acrescentou que essa rede que está sendo formada demonstra o que é preciso ser feito na cidade de São Paulo: uma política de leitura muito mais integrada. O coordenador de CSMB também lembrou os presentes de incentivarem a comunidade de seus territórios a participar dos conselhos regionais do Plano Municipal de Livro, Leitura, Literatura e Bibliotecas – PMLLLB, que estão com inscrições abertas.

O seminário foi organizado em quatro mesas, com a apresentação de três trabalhos em cada uma. O momento final de cada mesa foi destinado às perguntas da plateia. A primeira mesa foi composta pelos trabalhos “Roda de Leitura na Rede”, representado pelas bibliotecárias Áurea dos Santos e Maria Cecília Coscia Graner, que envolve diversas bibliotecas públicas; “Biblotuber”, apresentado pela bibliotecária da BP Milton Santos Lívia Leoni Domingues Silva e a parceira Fernanda Lé; e “Revelando o Arco-Íris LGBT no Acervo das Bibliotecas Públicas”, apresentado pelo bibliotecário Claudio Roberto da Silva.

Primeira mesa – A primeira mesa, com projetos desenvolvidos por bibliotecas de CSMB, apresentou quebras de paradigmas, seja na atuação do profissional bibliotecário, aprendendo a ser mediador e estimulador da leitura literária, seja na forma de mostrar a “cara” da biblioteca para a comunidade, lançando mão de vídeos e redes sociais, ou numa análise reveladora do próprio sistema de classificação, indexação e cabeçalhos de assuntos adotados pelas bibliotecas públicas. Nesse último aspecto, destaque para o trabalho de pesquisa do bibliotecário Claudio Roberto da Silva. Ele constatou que a tradicional Classificação Decimal de Dewey, adotada pelas bibliotecas públicas da Cultura e da Educação, trata o homossexualismo como doença comportamental (o que remete à premente discussão de identidade de gênero na sociedade) e dificulta o acesso a livros de autores e personagens homossexuais. O bibliotecário fez intenso levantamento dessas obras e vem divulgando esse material no website “Dicas de Leitura”, de CSMB.

Segunda mesa – A segunda mesa foi composta pelos trabalhos “Classificação infanto-juvenil: as seções na Biblioteca Rubem Braga”, apresentado pelas bibliotecárias Beatriz Cristiane de Araújo e Cíntia Mendes, do CEU Cidade Dutra, e “Projeto Coruja”, apresentado por Dagmar Lima da Silva e Márcia Cintra Camargo Rodrigues, do CEU Campo Limpo; “Ressignificação da Biblioteca Menotti Del Picchia”, por Thaís da Silva Farias, e “ InterAção na BP Vicente de Carvalho”, pela bibliotecária Cícera Cleide Mascarenhas Santana, projetos de bibliotecas de CSMB. Uma mesa voltada para novas formas visuais e interativas de fazer com que a biblioteca dialogue com sua comunidade, seja organizando o acervo de forma a atender as solicitações de crianças, jovens e professores, desenvolvendo projetos e espaços especialmente para as necessidades de pesquisa dos alunos ou, no caso dois dois últimos trabalhos, dando uma nova roupagem para os prédios das bibliotecas, seus equipamentos externos e internos, layout e ações culturais, na busca por reverter um histórico de esquecimento e depredação do equipamento público.

Terceira mesa – A terceira mesa foi antecedida por uma prática de mediação lúdico-artística desenvolvida por Lury Hirata, coordenadora da biblioteca do CEU Três Lagos, que fez todos os presentes contribuírem com sua história com abraços, apertos de mão, risadas e aplausos, reforçando a comunhão que permeou o seminário.

Em seguida, a profissional, ao lado de sua parceira, a bibliotecária Jéssica Câmara Siqueira, abriu a terceira mesa com um vídeo emocionante sobre seu projeto. Essa mesa foi composta apenas de trabalhos das bibliotecas CEUs. Além do trabalho de Lury, foi apresentado também o projeto “Círculo de Biblioterapia”, pela bibliotecária do CEU Azul da Cor do Mar Isabelle Saez Moreira, em parceria com a terapeuta complementar Dra. Priscila Ramos Barbosa de Andrade. O projeto despertou a atenção dos profissionais presentes por representar um novo serviço que atende a uma demanda das comunidades em que muitas bibliotecas residem, especialmente as periféricas, com situações de conflitos familiares e preconceito. Fechando a mesa, foi apresentado o “Rolê Literário”, pelas bibliotecárias Sandra Cardoso e Thaís Struc, que exemplificaram na prática seu trabalho, levado de sala em sala da EMEF do CEU Parque Veredas. Ao fim dessa apresentação, Sandra comentou a iniciativa “Bibliotecários Mediadores”, fundada por bibliotecários dos CEUs, que reúne profissionais de biblioteconomia das diversas frentes (pública, privada, comunitária) para trocar experiências e ideias e discutir a mediação em bibliotecas.

Quarta mesa – A última mesa, após uma intervenção de leitura realizada por Sandro Luiz Coelho, contou com os trabalhos “Visão sistêmica do processo de coleta, organização e análise de dados”, por Lygia Brito Santos (Divisão de Planejamento – CSMB); “AEL – Academia Estudantil de Letras”, pelo bibliotecário do CEU Curuçá e professor de língua portuguesa e literatura Raimundo Aldeide de Souza; e “Bibliotecas Públicas Municipais no território e as possíveis ações culturais”, por Sandro Luiz Coelho. No primeiro trabalho, apresentado também pelos estagiários de CSMB Marcelo Kaique e Vinícius Godoy, uma forma sistemática e analítica de visualizar e controlar as ações e metas das bibliotecas públicas. No segundo, uma inspiração trazida por um projeto de SME que já contemplou cinquenta escolas e instituições de ensino, sendo o CEU Curuçá a quinquagésima, e que pretende implantar mais quinze clubes de leitura do gênero até o final do ano. No último, toda uma rede de ações, publicações, intervenções artísticas e culturais por parte das bibliotecas públicas municipais da zona norte que demonstrou o que significa a expressão “bibliotecas além dos muros”.

Notícias Mais Recentes

1 2 3 1.213