Notícias

Grandes avanços marcaram a Rede Municipal de Ensino em 2019

Secretaria Municipal de Educação realizou ações significativas e novos projetos na maior rede de ensino público municipal do país

Publicado em: 03/01/2020 15h56 | Atualizado em: 04/05/2021
Menina vestindo o agasalho azul do uniforme sorri para a câmera, segurando peças de blocos de montagem

 

2019 foi um ano de avanços na educação na cidade de São Paulo e os números mostram as ações de melhoria e do contínuo processo em atender aos estudantes e a comunidade escolar, pedagogicamente e em questões administrativas, de atendimento e comunicação pela Secretaria Municipal de Educação.

As escolas fecham o ano recebendo um 4º repasse de verbas, do Programa de Transferência de Recursos Financeiros (PTRF) que não ocorre todos os anos. Cerca de R$ 200 milhões foram repassados, durante o ano, para Centros de Educação Infantil (CEIs), Escolas Municipais de Educação Infantil (EMEIs), Escolas Municipais de Ensino Fundamental (EMEFs) e outras, de acordo com a modalidade e o número de alunos. Os repasses começaram já em janeiro, com o recurso especial denominado “Volta às Aulas”, para aquisição extra de itens de consumo e serviços.

O ano foi de resoluções importantes nas questões relacionadas às vagas, sobretudo na Educação Infantil e diminuição da fila de espera. Mais 35 mil novas vagas em creches estão sendo criadas e foram implantados os Programas Mais Creche e o Bolsa Primeira Infância.

O Programa Mais Creche viabiliza o atendimento de crianças em instituições de ensino privadas, enquanto aguardam vagas na rede. É um benefício temporário e emergencial e a Secretaria não irá repassar valor maior, por estudante, do que o já destinado às CEIs parceiras.

O Bolsa Primeira Infância é um benefício à famílias em situação de vulnerabilidade social, para atender crianças de até 3 anos que não estejam matriculadas no Ensino Infantil. A família receberá R$ 200,00 por mês por cada criança, até o limite de 3 filhos, incluindo mais de um nascimento por gestação, como gêmeos. Há requisitos que devem ser cumpridos como o cadastro no CadÚnico, participação em atividades pedagógicas familiares e estar em dia com o calendário de vacinação. Com a disponibilização da vaga na rede, o benefício é suspenso.

Em setembro de 2019 foi alcançado o recorde histórico de matrículas em creches, com o total de 348,5 mil estudantes. Foi a menor fila da história, acompanhada desde 2017, para o período.

Ainda em 2017 também houve, pela primeira vez, o fim da fila na Pré-Escola. Desde aquele ano, foram criadas 64,1 mil vagas em Centros Educacionais Unificados (CEUs), CEIs, e 8,6 mil em EMEIs, totalizando 72,7 mil vagas na Educação Infantil, até novembro de 2019. A zona sul com 32.281 vagas novas em CEIs, e 4.221 em EMEIs é a região da cidade com mais vagas criadas.

Para 2020, novas creches estão previstas melhorando a oferta nas regiões da Freguesia do Ó, Brasilândia, São Mateus, Itaquera, Campo Limpo e Sé, assim como 12 novos CEUs, com investimento de R$ 543 milhões para atender 8 mil alunos. Na Capela do Socorro, além de creche, para 2020 estão previstas também 2 novas EMEFs, com investimento de R$ 20 milhões.

Nos cadastros novos para intenção de vagas, as escolas oferecem agora a possibilidade de inserção de dois endereços de interesse, como o residencial e o de trabalho. Isso aumenta a oportunidade de acesso e ajuda a preencher vagas ociosas. Com o auxílio da central municipal 156, foi feita campanha aos interessados, comunicando essa facilidade por mensagem de texto no celular, via SMS. Também foi feita parceria com a Receita Federal permitindo aos estudantes matriculados a emissão gratuita de CPF.

A Secretaria lançou também o Portal Imóveis, possibilitando que interessados cadastrem seus imóveis para serem locados como creche. É uma plataforma interativa que mostra as regiões da cidade com maior procura e os já cadastrados estão em fase de avaliação para possíveis vistorias.

O portal da Secretaria Municipal de Educação também foi reformulado, dividido em três grandes áreas: Estudantes e Famílias, Educadores e Comunidade, a fim de facilitar a comunicação e a localização de informações. Questões de acessibilidade também foram aprimoradas, com o recebimento do Selo de Acessibilidade Digital. A Secretaria também conquistou o 2º lugar no Índice de Transparência Ativa, medição realizada pela Controladoria Geral do Município, CGM, de São Paulo, que está em 1º lugar.

Acompanhando as necessidades e transformações tecnológicas, as ações da Secretaria equiparam as escolas com notebooks, impressoras 3D e até óculos scanners, que “lêem o texto em áudio” para pessoas com baixa visão. Até o final de 2020 a previsão é que as 13.500 salas de aula da rede sejam digitais, dotadas com computadores, projetores de tela, caixas de som e internet banda larga, um investimento de mais de R$ 90 milhões em modernização.

Os Laboratórios de Informática Educativa, instituídos assim em 1994, foram modernizados para Laboratórios de Educação Digital (LED) assim como seus docentes, que passam a ser denominados Professores Orientadores de Educação Digital (POED). São sutilezas importantes, atentas às necessidades pedagógicas em uma sociedade, 25 anos depois, imersa em redes sociais, podcasts e fake news.

Somente para aquisição direta de insumos e materiais tecnológicos foi repassado R$ 3,5 mil por EMEF, EMEBS e EMEFM. Em junho, foi concluído o plano de conectividade dos 46 CEUs e agora todos contam com links de internet de 100 Mbps. E em 21 unidades o Programa WiFi Livre SP já foi instalado, disponibilizando internet pública e gratuita.

Questão de resguardo também são os uniformes escolares, que foram remodelados, em constante melhoria. Foram distribuídos, em 2019, mais de 650 mil kits contendo camiseta, calça, bermuda, agasalho, tênis e meia. Para 2020, foram pensados de acordo com as opiniões de pais e estudantes, acompanhando as tendências, mantendo a neutralidade do ambiente e garantindo mais conforto, investimento de R$ 100 milhões.

Em relação aos profissionais da educação, o déficit de professores foi reduzido em 42% com as contratações feitas desde 2017 e também foi concedido reajuste salarial. Para capacitação e cursos está prevista a instalação de uma Escola de Formação para Professores, na Vila Mariana, para atendimento de 600 profissionais por dia.

Os docentes também receberam auxílio com a contratação de 300 estagiários de nível superior, para atuação nas EMEFs e atendimento em sala aos alunos da educação especial. Hoje são 3.698 alunos atendidos e o quadro atual do programa Aprender Sem Limite conta com quase 3.000 estagiários ativos.

Durante o ano também foi disponibilizado para todos os servidores da rede o acesso gratuito ao Microsoft Office 365, permitindo que os mais de 77 mil educadores, em órgãos administrativos e escolas, inclusive, utilizem as ferramentas do Microsoft Word, editor de textos, Excel, de planilhas e Power Point, para apresentações e montagem de slides.

O serviço é um termo de cooperação, sem utilização de recursos públicos, entre Microsoft e a Secretaria de Educação e oferece inúmeras outras ferramentas, como e-mail com capacidade de 50 GB (gigabytes) e armazenamento em nuvem do Microsoft OneDrive com 1TB (terabyte) de espaço à disposição.

Houve entendimento com outras organizações também, como a Fundação Maria Cecília Souto Vidigal e a Prefeitura, para avaliação externa das unidades por meio do Instrumento de Avaliação, Measure of Early Learning Environments (MELE). Foram avaliadas 65 EMEIs e 50 CEIs.

Em julho, a Secretaria lançou o Índice de Desenvolvimento da Educação Paulistana (IDEP), para colaborar com o estabelecimento de metas anuais em cada escola, do 2º ao 9º ano, e propondo pagamento de bônus para os docentes das unidades que atingirem as metas. E mais de 380 mil estudantes fizeram a Provinha São Paulo, do 2º e 3º ano, e a Prova São Paulo, do 4º ao 9º ano.

2019 foi o segundo ano pedagógico do Currículo da Cidade de São Paulo, com aulas de programação e letramento digital, desde o 1º ano do Ensino Fundamental. São Paulo foi a primeira rede a abordar estas habilidades, assim como inovações em relação à diretriz nacional, com objetivos de aprendizado que envolvem as chamadas habilidades socioemocionais e também igualdade de gênero.

O Programa São Paulo Integral também avançou, com mais de 18 mil estudantes atendidos, em 146 escolas. Criado em 2016, começou com 71 unidades e em 2020 deverá atingir 192, um recorde. E o Minha Biblioteca, que havia distribuído 860 mil livros para o Ensino Fundamental, no último ano, foi ampliado também, agora contemplando igualmente a Educação Infantil, totalizando mais de 1,3 milhão de livros entregues.

Os Grêmios Estudantis também aumentaram, presentes em 60% das escolas. As agremiações começaram a receber da Prefeitura R$ 5 mil anuais para desenvolver suas atividades, um investimento de R$ 2,9 milhões. As escolas receberam também instrumentos musicais para fanfarra, com a distribuição de 115 kits pela Secretaria, investimento de R$ 1,8 milhão.

Uma demanda antiga da comunidade escolar foi atendida em 2019, referente às solicitações de transporte para atividades culturais como teatros, cinemas, zoológico e museus. O Programa Rolê Cultural foi lançado em julho, garantindo o aluguel de ônibus para 1.150 escolas, investimento de R$ 6,5 milhões.

Em paralelo na rede, segue o Programa Imprensa Jovem, com cerca de 12 mil estudantes participantes, funcionando como uma agência própria de notícias e atividade educomunicativas. 386 unidades receberam R$ 2 mil para aquisição de novos equipamentos, visando o aprendizado e seus canais de comunicação. O projeto foi premiado com o Prêmio Desafio de Aprendizagem Criativa, do MIT, Instituto de Tecnologia de Massachusetts, EUA, e também representou o Brasil como Prática de Alfabetização Midiática e Informacional, reconhecida pela UNESCO no Global MIL Weeks, na Suécia.

No Ensino Superior, a Rede UNICEU/UAB utilizando as instalações dos CEUs, teve 14.018 estudantes matriculados este ano, com quase R$ 3 milhões de investimento.

Em relação à alimentação dos alunos de toda a Rede, 2019 foi o ano em que mais compras de agricultura familiar e agroecológica foram realizadas, além do recorde de aquisição de alimentos dentro do Estado, fomentando políticas públicas de desenvolvimento. Somente para a agricultura familiar foram R$ 30 milhões investidos.

Os alimentos orgânicos também bateram recorde, com R$ 8,5 milhões em compras dentro do Programa Alimento Saudável, com variedades de arroz, banana, além de doce de banana, molho de tomate e suco de uva. Quanto às Hortas Pedagógicas, o número subiu para 959 em 2019 e para abril 2020 está previsto o início da instalação de 300 composteiras nas escolas.

São passos importantes, acompanhando as transformações da sociedade e de consumo, acostumada aos produtos industrializados, açúcar em excesso e falta de preocupação com questões de nutrição. Hoje, tanto na área pública como privada, há um movimento por hábitos mais saudáveis, ligados à qualidade de vida e bem estar.

A Secretaria Municipal de Educação está atenta, não só a esta demanda, mas também aos outros segmentos. Com mais de 1 milhão de alunos, com cerca de 4 mil instalações, é a maior rede municipal de ensino do país, em constante atuação.

Encerra 2019, focada não apenas no ensino e nos estudantes, mas em tudo que envolve esse universo, passando pelos cidadãos e a comunidade escolar. Em 2020, mais avanços estão por vir.

Notícias Mais Recentes

Relacionadas

Unidades da Rede Municipal participam da Ciranda do Movimento Humano

Unidades da Rede Municipal participam da Ciranda do Movimento Humano

Publicado em: 09/10/2015 4h51 - em Diretoria Regional de Educação Butantã

Filmes e vídeos - NAAPA

Filmes e vídeos – NAAPA

Publicado em: 09/10/2015 4h19 - em NAAPA

Legislação – NAAPA

Legislação – NAAPA

Publicado em: 09/10/2015 4h18 - em NAAPA

Lançamento do NAAPA na DRE Santo Amaro

Lançamento do NAAPA na DRE Santo Amaro

Publicado em: 09/10/2015 4h14 - em Diretoria Regional de Educação Santo Amaro

Lançamento do NAAPA da DRE São Miguel

Lançamento do NAAPA da DRE São Miguel

Publicado em: 09/10/2015 4h13 - em Diretoria Regional de Educação São Miguel

1 1.426 1.427 1.428 1.429 1.430 1.440