Notícias

Educação Ambiental revoluciona arredores da EMEF Sebastião Francisco – O Negro

Iniciativa promoveu conscientização ambiental de estudantes e comunidade

Publicado em: 25/03/2019 16h36 | Atualizado em: 30/11/2020

ONegrofotoPriscilaArce_740X430.jpg
foto @thatacanhete

A Escola Municipal de Ensino Fundamental (EMEF) Sebastião Francisco – O Negro, da Diretoria Regional de Educação (DRE) Itaquera, zona leste de São Paulo, tinha um ponto de descarte inadequado de lixo e entulho em sua calçada. A fim de mudar essa realidade, a professora de Ciências, Janaína da Silva Coelho, encabeçou um projeto denominado “Vamos jogar limpo? O entorno escolar e o caminho para aprender juntos”.

A iniciativa propôs diversas atividades para promover a conscientização de estudantes e da comunidade com o objetivo de eliminar a prática do descarte incorreto de lixo. O primeiro passo desse projeto, que iniciou em 2017, foi reunir os cerca de 20 alunos do 6º ao 9º ano que integravam a turma de Educação Ambiental para caminhar pela calçada do quarteirão da escola e identificar os problemas. Após essa atividade diagnóstica, eles concluíram que os espaços deveriam ser limpos e fizeram reuniões para refletir e pensar em soluções.

O projeto criou novas ramificações e, paralelamente ao desenrolar das atividades com os alunos, outros professores se engajaram e foram cobrar ações do poder público. Eles tomaram conhecimento da Lei 14.492/07, que “estabelece a área escolar de segurança como espaço de prioridade especial do Poder Público Municipal” e reivindicaram algumas intervenções. Conseguiram a instalação de placas de proibição de jogar lixo na calçada da escola.

A ocasião também foi uma oportunidade de criar laços com a vizinhança, uma vez que somente as placas não seriam suficientes para conter o descarte inadequado. Novamente, Janaína e seus alunos saíram para além dos muros da escola e foram, de casa em casa, conversar com os vizinhos para conscientizá-los sobre os problemas causados pelo descarte incorreto de lixo.

No ano de 2018, a escola fez uma parceria com o programa Imagina C, projeto da socióloga paulista Nayana Brettas, e promoveu diversas intervenções na calçada, como pintura e plantio de mudas. A escola também reformou sua lixeira e faz a separação dos recicláveis para entregar aos catadores da região.

Neste ano de 2019, a professora Janaína pretende ampliar a parceria com a comunidade, uma vez que o projeto é permanente e a conversa com a vizinhança deve ser constante. A EMEF também pretende estabelecer parceria com o Centro de Educação Infantil (CEI) Indireta Maria Luiza Americano e está sendo planejada uma oficina de lambe-lambe para revitalizar os muros da escola. “O projeto resgatou o orgulho das crianças pela escola que elas estudam”, conta a professora.

Notícias Mais Recentes

Relacionadas

mão feminina preenchendo gabarito de prova de concurso
ilustração de crianças usando uniforme escolar azul e branco, com silhueta da cidade ao fundo com balões representando idiomas variados simbolizados pelas bandeiras dos países.

Estudantes da Rede Municipal de SP podem manifestar interesse em aprender idiomas no CELP

Publicado em: 19/01/2022 11h05 - em Centro de Estudos de Línguas Paulistano

Imagem de uma mão sobre o computador.

SME abre processo seletivo interno para coordenador de Polo UniCEU

Publicado em: 14/01/2022 5h27 - em Secretaria Municipal de Educação

fotografia de professora atendendo um garoto em sua mesa. Todos usam máscara facial.

SME publica classificação definitiva dos candidatos para eventual contratação

Publicado em: 14/01/2022 10h30 - em Secretaria Municipal de Educação

fotografia de dois notebooks sobre uma mesa
1 2 3 1.211