Notícias

Coletivo AMOR – Arte, Movimento e Rebeldia na EMEF Marechal Rondon

Grupo já participou de diversas apresentações e cerca de 40 estudantes possuem poesias publicadas em livro

Publicado em: 18/12/2017 17h21 | Atualizado em: 30/11/2020

Destaque 740_x_430.jpg

Um coletivo de poesia muda a postura de estudantes frente à literatura em escola municipal da zona norte de São Paulo. Em apenas três meses de trabalho, o Coletivo AMOR (Arte Movimento Rebeldia) participou de diversas apresentações e cerca de 40 estudantes já possuem poesias publicados em um livro.

O grupo foi fundado em 2017 e é composto por alunos do 4º ao 8º ano da Escola Municipal de Ensino Fundamental (EMEF) Marechal Rondon, situada no bairro Jardim Joamar, pertencente à Diretoria Regional de Educação (DRE) Jaçanã/Tremembé. A fonte de inspiração e referência para a formação do AMOR se deu a partir da parceria entre os professores Eduardo Neves, de História (POSL), e a Professora Joyce Araújo, de Língua Portuguesa, e também do contato com outro coletivo, o VOPO (Vozes Poéticas), da EMEF Paulo Carneiro, também situado na zona norte da capital.

“A apresentação do VOPO causou em nós e em nossos alunos um impacto devastador. Começamos logo em seguida um trabalho com poesia periférica e literatura marginal. Os alunos se identificaram de imediato”, diz a professora Joyce.

01.jpg

Após a realização de um sarau unindo os alunos das duas escolas e outros encontros promovidos pelo professor Felipe Yañes, da EMEF Paulo Carneiro, começou uma intensa produção de poemas pelos jovens e crianças do AMOR. Em dezembro de 2017, a parceria entre as duas escolas com o Coletivo Poetas do Tietê resultou na publicação de um livro de coletâneas do Projeto Veia e Ventania 2017, que contém cerca de 40 poesias dos participantes do AMOR. Para os professores Eduardo e Joyce, o melhor resultado desse trabalho é poder perceber as mudanças de pensamento e atitude dos alunos em relação a temas como machismo, racismo, homofobia, violência, etc. “A transformação nas relações entre eles e toda comunidade escolar é notória e muito positiva. Podemos ver um fortalecimento das identidades, assim como o aumento da tolerância e respeito”, comenta o professor Eduardo.

Para Joana Ribeiro, estudante e autora do poema “Apenas o seu respeito”, publicado no livro, começar a participar do grupo AMOR foi uma atitude totalmente sem pretensão. Ela conta que quis se apresentar em um sarau que iria acontecer na escola recitando a poesia Mulher, da poeta periférica Zá Lacerda. Ao decorar o texto, percebeu que poesia não era uma coisa chata como pensava. Aos poucos, começou a se interessar mais pelo assunto e, aos 12 anos, já escreveu três poemas. Depressão, machismo e preconceito são temas que aparecem em suas produções. “Eu gosto de poesia porque eu gosto de perceber como é que as pessoas pensam e veem o mundo”, relata a garota.

Lançamento do livro Veia e Ventania 2017 – O evento ocorreu no dia 9 de dezembro, na Biblioteca Afonso Schmidt, na Freguesia do Ó. A publicação teve tiragem de 300 cópias e é composta por cerca de 80 poemas de crianças e jovens dos dois coletivos e de frequentadores de duas bibliotecas municipais. Na ocasião, os estudantes autores puderam autografar os exemplares.

Os professores da EMEF Marechal Rondon estão muito felizes com os resultados. Eles pretendem fortalecer o projeto na escola e também compartilhar essa grande experiência com outras comunidades e unidades escolares. “Realmente é uma sensação de realização. Sabemos das dificuldades de ler e escrever que muitos aqui tinham e perceber que agora eles estão empoderados, dizendo ‘eu sou poeta’, dá muito orgulho”, conta Joyce.

Veja a galeria de fotos.

Notícias Mais Recentes

1 2 3 1.213