Notícias

CIEJA Campo Limpo promove “VIII Encontro Indígena – Cultura, Lutas e Resistência”

Rodas de conversa, oficinas de grafismo, culinária e colares indígenas, apresentação de coral e dança fazem parte de programação; evento acontece nesta quinta-feira (9)

Publicado em: 06/06/2022 17h50 | Atualizado em: 07/06/2022

Arte com símbolos indígenas nas cores marrom, rosê e marsala. O texto diz "VIII Encontro Indígena - Cultura, Lutas e Resistência". O Centro Integrado de Educação de Jovens e Adultos (CIEJA) Campo Limpo realiza nesta quinta-feira (9) o “VIII Encontro Indígena – Cultura, Lutas e Resistência”, das 8h às 22h. O evento possibilita a todos conhecerem mais sobre a cultura e o modo de vida dos povos originários, bem como suas demandas e lutas históricas.

A programação contará com rodas de conversa sobre temas como a luta contra o marco temporal e ataques aos direitos indígenas, a importância da escola indígena, os interesses do capital sobre as Terras Indígenas, entre outros. Também haverá apresentação de coral, dança e histórias. Durante todo o evento ocorrerão as oficinas de colares indígenas – Avani Fulni-ô, grafismo e culinária indígena, stencil e chaveiro.

Desde março, a equipe do CIEJA Campo trabalha assuntos relacionados à temática indígena, com a intenção de promover momentos de reflexões que fomentem a desconstrução dos estereótipos relacionados aos povos originários. Bem como aspectos relacionados às retomadas territoriais, direitos não reconhecidos e o permanente processo de invisibilização sofrido por eles.

Para trabalhar o tema foram realizadas atividades com os educandos e professores, desde idas a museus e exposições, oficinas, palestras, videoconferências, peregrinação aos territórios indígenas e visitas as aldeias que iniciaram com o grupo de professores e depois foram os educandos e os professores juntos.

Fotografia de adultos em círculo, alguns estão sentados sobre madeiras e outros estão em pé. O espaço em que estão é uma clareira cerca de árvores.
Visita dos estudantes na Aldeia Yvy Porã.

O Encontro Indígena busca promover um dia de aprendizado junto aos povos indígenas, sobretudo na iminência do julgamento da tese do marco temporal e o avanço da violência por seus territórios. A ação foi retomada este ano, após dois anos sem poder realizá-la em virtude da pandemia da COVID-19. Será uma reunião de mais de 10 etnias indígenas brasileiras em sintonia com as ações desenvolvidas no espaço escolar.

Em 2019, o CIEJA Campo Limpo conquistou o 2º lugar, da categoria IV, do 14º Prêmio Paulo Freire de Qualidade do Ensino Municipal, com o projeto “VII Encontro Indígena – Indígenas em Contexto Urbano”. O ‘Encontro Indígena’ ocorre desde 2013 na Unidade Educacional.

Confira, abaixo, a programação completa:

Manhã

8h – Acolhimento e abertura do ‘VIII Encontro Indígena’ com o coordenador geral Diego Elias.

8h15 – Sensibilização: “A história do Encontro Indígena” – em imagens.

8h30 – Roda de Conversa com Letycia Rendy Yobá, indígena da etnia Payayá.

Coral: “Amba Verá” – Aldeia Tekoá Pyau, do Jaraguá.

10h – Sensibilização: “A história do Encontro Indígena” – em imagens.

Oficinas:

Colares Indígenas – Avani Fulni-ô.

Grafismo Indígena

Culinária Indígena

Stencil

Chaveiro

Durante todo o dia haverá exposição de artesanato Indígena.


Tarde

12h – Almoço

12h45 – Sensibilização: “A história do Encontro Indígena” – em imagens.

13h – Roda de conversa: A luta contra o Marco Temporal e outros ataques aos direitos dos povos Indígenas. Rafael Martins – Membro da equipe de São Paulo do Conselho Indigenista Missionário (CIMI).

14h – Inauguração da Colmeia do CIEJA Campo Limpo.

14h30 – Roda de conversa: A importância da escola Indígena, com Chirley Pankará.

Convidados: Awaratan – Wassú Cocal; Avani Florentino – Fulni-ô; Casé Angatu; Clarice Pankararu; David Popyguá; Ivone Pankararu; Jerá Guarani; Verá Mirim Marcio Boggarin; Paulo Wassú Cocal e Yradjzú Kariri Xocó.

 15h15 – Sensibilização: “A história do Encontro Indígena”- em imagens.

16h – Roda de conversa: Os interesses do capital sobre as Terras Indígenas – com Maurício Pinheiro – Historiador.

 Oficinas:

Colares Indígenas – Avani Fulni-ô

Grafismo Indígena

Chaveiro


Noite

17h45 – Sensibilização: “A história do Encontro Indígena” – em imagens.

18h – Roda de conversa: Conhecendo a cultura Guarany, com Cacique Ronildo Wêrá Guarany, da aldeia “Tekoá Paranapuã”, localizada em São Vicente – SP e Michael Tupã, da aldeia “Tekoá Pyau”, da Terra Indígena do Jaraguá.

Apresentação de cânticos Guarani – Grupo “Mensageiros”, da Tekoá Paranapuã São Vicente.

19h30 – Jantar

20h15 – Roda de conversa: A luta Indígena contra o Marco Temporal, com Awa Kuaray Werá – Presidente da Associação Arte Nativa Indígena e Fernandina Maxakali.

21h30 – Encerramento com dança e celebração Indígena.

Oficinas:

Colares Indígenas – Avani Fulni-ô

Grafismo Indígena

Chaveiro

Notícias Mais Recentes

Relacionadas

CACS FUNDEB - Conselho de Acompanhamento e Controle Social do FUNDEB.

SME abre inscrições para compor conselho que vai fiscalizar uso da verba do Fundeb

Publicado em: 28/09/2022 5h06 - em Secretaria Municipal de Educação

Menina olha para tabuleiro de xadrez e movimenta uma peça com sua mão direita.

Cerca de 2 mil estudantes participam da Final Municipal de Xadrez Individual

Publicado em: 27/09/2022 4h50 - em Secretaria Municipal de Educação

Fotografia mostra as mãos com um punhado de terra próximas de um broto de árvore que está no centro da imagem. Ao fundo, raios de sol sol e folhas verdes desfocados.

SME abre inscrições para curso sobre sustentabilidade e consumo consciente

Publicado em: 27/09/2022 3h30 - em Secretaria Municipal de Educação

Crianças e professora de Educação Infantil em sala de aula.
Professora de Educação Infantil sentada no chão da sala com cinco bebês sentados a sua volta brincando.

SME faz nova convocação de aprovados em concurso

Publicado em: 22/09/2022 5h07 - em Secretaria Municipal de Educação

1 2 3 4 5 1.285