Notícias

Cerimônia de entrega do Prêmio Paulo Freire de Qualidade do Ensino Municipal

Confira os dez projetos premiados

Publicado em: 20/09/2017 17h29 | Atualizado em: 04/05/2021

Cerimonia_entrega_Paulo_Freire_Qualidade_Ensino_Municipal_740_x_430.jpg

Uma noite de festa e reconhecimento para educadores e alunos da Rede Municipal de Ensino agitou a Câmara Municipal de São Paulo na última segunda-feira, 18 de setembro. Nesta data, ocorreu a cerimônia de entrega da 12ª edição do Prêmio Paulo Freire de Qualidade do Ensino Municipal.

A iniciativa recebeu a inscrição de 80 projetos desenvolvidos nas escolas municipais de São Paulo, pautados na busca de alternativas, na criatividade e no protagonismo para melhoria do processo de ensino-aprendizagem.

Uma das responsáveis pelo projeto ganhador da Salva de Prata de primeiro lugar, a Diretora Solange de Amorim, da Escola Municipal de Ensino Fundamental (EMEF) Dr. Sócrates Brasileiro Sampaio de Sousa, da Diretoria Regional de Educação (DRE) Campo Limpo, conta que o projeto aborda ações que a escola tem desenvolvido para ocupar um terreno subutilizado. Hoje, ele recebe a intervenção da escola e da comunidade, com apresentações culturais e uma horta solidária.

“O projeto ‘Território do povo: ocupar, resistir e construir o nosso Quilombo cultural’ tem como centro o direito à cidade. Nós queremos que aquele território seja mais produtivo pra a comunidade que está em nosso entorno. Era um espaço abandonado e que estamos ressignificando. Poder apresentar isso no Prêmio Paulo Freire fortalece a nossa luta, é um reconhecimento de que estamos no caminho certo, de que lutar pelo direito à cidade é uma luta legítima e que a escola, aliada à comunidade, consegue se fortalecer e pensar não só em qualidade de ensino, de educação, mas também em qualidade de vida para a população”, comemora Solange.

Leno Vidal, da EMEF José de Alcântara Machado Filho, da DRE Butantã, foi o representante do projeto “Eu venho do mundo, raízes Pankararu: um memorial encantado do outro lado do rio”, que ganhou a segunda posição no prêmio. “Estar entre os vencedores é um dos maiores reconhecimentos para mim. A influência de Paulo Freire na minha vida é muito forte e é uma grande honra ser reconhecido neste prêmio, levando a luta da nossa comunidade do Real Parque e da tribo Pankararú, que está em processo de resistência em todo o Brasil devido aos seus direitos de terra, de reconhecimento e fortalecimento de identidade”, conta Leno.

O projeto “Revitalização – matemática e ludicidade: utilizando a arte e a brincadeira como meios de aprendizagem” recebeu menção honrosa no prêmio. Ele esteve sob a responsabilidade de Shirley de Lima Patriota, professora da EMEF Ulysses da Sylveira Guimarães, da DRE Capela do Socorro. “Para nós é um presente muito grande este reconhecimento. Esse não é um projeto pensado somente pelos professores. Existe uma grande participação dos alunos. Nossa escola tem uma dinâmica horizontalizada e nossos alunos percebem isso”, diz Solange.

A mesa solene foi composta pelos membros da Comissão Julgadora do Prêmio Paulo Freire 2017, Vereador Claudio Fonseca e Keila Pereira Francisco, representante da União Municipal de Estudantes Secundaristas (UMES), além do Professor Daniel Carvalho, vencedor das edições 2015 e 2016 do Prêmio Paulo Freire e do Defensor Público Doutor Rafael Pitanga Guedes.

Confira os projetos vencedores do Prêmio Paulo Freire de Qualidade do Ensino Municipal – 2017

1º lugar – EMEF Dr. Sócrates Brasileiro Sampaio de Sousa
Projeto: “Território do povo: ocupar, resistir e construir o nosso Quilombo Cultural”

2º lugar – EMEF José de Alcantara Machado Filho
Projeto: Eu venho do mundo, raizes Pankararu: um memorial encantado do outro lado do rio

3º lugar – EMEBS Anne Sullivan
Projeto: A escola como espaço de luta e de conscientização.


Menções Honrosas

Projeto: É Ovo de quê?
EMEI Dona Maria de Lourdes Coutinho Torres

Projeto: Pais filhos e mestres – uma conexão com o tempo real
CEI Professora Maria da Gloria Freire Lemos

Projeto: Protagonizado Infâncias e exercitando a cidadania através da autoria do jornal Bagunga de Criança.
CEU EMEI Aricanduva

Projeto: Performance – Violência doméstica
EMEF João Ribeiro de Barros

Projeto: Sociedade e Política: você se acomoda com o quê? Você se incomoda com o quê?
CIEJA Clovis Caitano Miquelazzo

Projeto: Baú das descobertas
EMEI Orígenes Lessa

Projeto: matemática e ludicidade: utilizando a arte e a brincadeira como meios de aprendizagem
EMEF Ulysses da Sylveira Guimarães

Clique e acesse o nome de todos os projetos que concorreram ao prêmio.

Notícias Mais Recentes

Relacionadas

Estudante faz avaliação utilizando um tablet

Provinha e Prova São Paulo são aplicadas pela primeira vez no formato 100% digital

Publicado em: 22/11/2021 10h32 - em Secretaria Municipal de Educação

fotografia de leitura antirracista

Educação antirracista e inclusiva são premissas do Currículo da Cidade

Publicado em: 20/11/2021 8h00 - em Secretaria Municipal de Educação

Estudante de camiseta azul, máscara preta, está escrevendo com um lápis em um caderno.

Inscrições para vagas no Ensino Médio das Escolas Municipais estão abertas

Publicado em: 19/11/2021 6h17 - em Secretaria Municipal de Educação

Notícia (11)

MIS abre inscrições para cursos de telenovela e comunicação

Publicado em: 19/11/2021 4h54 - em Secretaria Municipal de Educação

fotografia de professora atendendo um garoto em sua mesa. Todos usam máscara facial.

Educação tem autorização para abrir novo concurso público

Publicado em: 19/11/2021 2h31 - em Secretaria Municipal de Educação

1 3 4 5 6 7 1.212