Notícias

A Arte como Prática Social

Alunos e professor da zona leste publicarão segundo volume de livro de poesias

Publicado em: 08/08/2017 15h46 | Atualizado em: 30/11/2020

a_arte_como_pratica_social_740_x_430.jpg

Com o sucesso do livro Entre versos controversos, publicação lançada na Bienal do livro de 2014 e que reúne as experiências do projeto e as produções dos alunos do ciclo autoral, os estudantes e o professor Daniel Carvalho de Almeida, da Escola Municipal de Ensino Fundamental (EMEF) Professor Aurélio Arrobas Martins, da Diretoria Regional de Educação (DRE) Itaquera, região leste da cidade, já estão produzindo o volume II do livro Entre versos controversos, que será publicado neste ano de 2015.

No primeiro semestre deste ano, professor e alunos fizeram um curta-metragem sobre o projeto “A arte como prática social”, que é a continuidade do projeto do ano passado e tema do próximo livro, explicando-o e mostrando a relação da arte com a intervenção social, a fim de contribuir com a concepção do Trabalho Colaborativo de Autoria (TCA).

Segundo Daniel, a intenção do vídeo é incentivar os demais professores a acreditarem no potencial dos alunos e, também, valorizar a arte produzida nas escolas públicas localizadas nas periferias de São Paulo. A meta do Professor Daniel Carvalho, com a publicação das duas obras literárias no gênero poema, é fundar uma Academia Estudantil de Letras na unidade educacional.

O projeto “A Arte como prática social” é voltado à escrita literária e a apresentações musicais, por meio de eventos como saraus, jornadas estudantis e ações nas redes sociais. “O objetivo é fazer com que o educando, valendo-se de suas produções artísticas, participe de forma mais efetiva da sociedade na qual está inserido, seja criando formas de expressão cultural ou intervindo socialmente, ou seja, que ele aprenda a usar de sua arte para apreensão e mudança de sua própria realidade”, ressalta Daniel Carvalho.

Ainda segundo Daniel, o projeto neste ano conta com a participação de ex-alunos, com a finalidade de orientar os mais novos no momento da escolha de um poema cujo teor tenha relação com o tema debatido em aula. “Geralmente, os autores escolhidos pelos alunos são Carlos Drummond, Brecht, Manoel Bandeira, Dostoiévski e Manoel de Barros”, conta o professor.

As aulas ocorrem no contraturno, às quartas-feiras, de forma livre, dialógica e informal.

Assista ao vídeo sobre o projeto clicando aqui.

Notícias Mais Recentes

Relacionadas

Fotografia de uma mão fazendo o sinal de libras seguida da palavra LIBRAS

SME abre credenciamento para instrutores, intérpretes e guias-intérpretes de Libras/Língua Portuguesa

Publicado em: 30/11/2022 12h22 - em Secretaria Municipal de Educação

SAEL 50 Anos

SME celebra os 50 anos das Salas de Leitura nas escolas municipais

Publicado em: 29/11/2022 6h44 - em Secretaria Municipal de Educação

Estudantes surdos fazem filmagens utilizando câmera filmadora - Cinema

Alunos surdos da EMEF Candida Dora Pino Pretini produzem curta-metragem

Publicado em: 29/11/2022 4h41 - em Secretaria Municipal de Educação

Banner do Festival De Mancala

SME promove festival de jogo de origem africana que reúne mais de mil estudantes e educadores

Publicado em: 29/11/2022 3h00 - em Secretaria Municipal de Educação

Mulheres na sala de aula de Confeitaria. Elas estão de frente para mesa coletiva e manuseiam uma massa em forminhas. Também usam máscara de proteção individual, avental e touca.

Inscrições abertas para as turmas de 2023 dos cursos gratuitos profissionalizantes dos CMCTs

Publicado em: 28/11/2022 11h50 - em Secretaria Municipal de Educação

1 2 3 1.299