Educação de Jovens e Adultos – EJA

Educação De Jovens E Adultos Fotografia De Pessoas Idosas Em Uma Sala De Aula

Diante da enorme diversidade de estudantes da Educação de Jovens e Adultos na cidade de São Paulo, a Secretaria Municipal de Educação (SME) entende que diversas, também, devem ser as formas de atendimento à esses estudantes da Rede Municipal de Educação. Para contemplar essa diversidade, a Secretaria Municipal de Educação oferece 5 formas de atendimento: EJA Regular; EJA Modular; CIEJA; CMCT e MOVA-SP.

Educação de Jovens e Adultos – Regular é oferecida nas Escolas Municipais de Ensino Fundamental (EMEFs), Escolas Municipais de Ensino Fundamental e Médio (EMEFMs) e Escolas Municipais de Educação Bilíngue para Surdos EMEBs. Tem como objetivo ampliar as oportunidades de acesso à educação e de conclusão do Ensino Fundamental.

O curso é presencial, tem duração de 4 anos e está dividido em quatro Etapas: Etapa Alfabetização (2 semestres), Etapa Básica (2 semestres), Etapa Complementar (2 semestres) e Etapa Final (2 semestres). Cada etapa tem duração de 200 dias letivos.

Os jovens e adultos que desejarem se matricular ou que quiserem indicar pessoas aos cursos devem procurar as Escolas Municipais mais próximas de seu interesse, fazer cadastro e efetivar matrícula (saiba mais na Carta de Serviços da Prefeitura, disponível no Portal SP 156 – ir para Fazer inscrição na Educação de Jovens e Adultos).

Adultos sentados em mesa circular com material escolar

O Projeto EJA Modular leva em consideração o público potencial da EJA e teve início com a constituição de um grupo de estudos constituído pela Secretaria Municipal de Educação e o encaminhamento para aprovação do Conselho Municipal de Educação, sendo regulamentado pelo Parecer CME nº 234/12 em fevereiro de 2012, momento em que a maioria das unidades educacionais que hoje oferecem esta forma de atendimento aderiram ao Projeto; algumas adesões, no entanto, ocorreram posteriormente, de acordo com a demanda dos territórios.

A Secretaria Municipal da Educação teve como referência os índices de retenção e evasão na modalidade; sendo assim, a proposta da EJA Modular atende ao seu público em 3 horas-aulas diárias obrigatórias para os(as) estudantes, respeitando às necessidades dos(as) que já se encontram inseridos no mercado de trabalho e/ou outras obrigações sociais. As duas horas-aulas restantes, oferecidas pela unidade escolar e ministradas pelos (as) professores(as) dos componentes curriculares são de enriquecimento curricular, por meio de projetos, qualificação profissional, recuperação das aprendizagens e reposição de aulas, uma vez que as três horas-aulas diárias perfazem o mínimo de 75% exigido pela Lei de Diretrizes e Bases 9394/96. O(a) estudante deve utilizar as horas complementares para reposição de suas ausências ao longo do ano letivo.

A proposta pedagógica da EJA Modular visa a atender esse público de uma forma diferenciada – as 3ª e 4ª etapas são organizadas em 4 módulos compostos por dois componentes curriculares, exceto Língua Portuguesa, sendo eles: Módulo de Língua Portuguesa, com 50 dias letivos; Módulo de História e Geografia, com 50 dias letivos; Módulo de Língua Inglesa e Arte, com 50 dias letivos; Matemática e Ciências Naturais, com 50 dias letivos. As aulas de Educação Física devem ser oferecidas fora do funcionamento do turno. Os módulos não são cursados em uma ordem específica pois, na medida em que o(a) estudante for promovido(a) num determinado módulo, ele/ela passa a cursar outro. Essa flexibilidade permite que os(as) estudantes possam ir concluindo os módulos de acordo com as suas possibilidades, não “perdendo” o módulo no qual foi promovido, mesmo que precise se ausentar por um período da escola. No entanto, ele/ela tem um período de até dezoito meses para concluir a etapa.

A organização em módulos permite um maior vínculo entre os(as) colegas de turma e professores(as), uma vez que ficam juntos por 25 dias (no caso de Língua Portuguesa, 50 dias). Esta organização favorece maior integração entre todos(as), sendo uma ótima oportunidade de acolhimento para jovens e adultos(as) que estão retomando seus estudos. Percebe-se, por exemplo, que os casos de indisciplina e conflitos intergeracionais não são uma característica desta forma de atendimento.

O Projeto EJA Modular é, portanto, um curso presencial oferecido nas Escolas Municipais de Ensino Fundamental no período noturno, com flexibilidade curricular e de tempo. A maioria das unidades educacionais oferece as aulas de frequência obrigatória nas 2ª, 3ª e 4ª aulas, entendendo que os(as) estudantes que vêm direto do trabalho têm dificuldades de chegar na 1ª aula; no entanto, existem outras formas de organização que priorizam as especificidades de cada comunidade escolar. Esta forma de atendimento é uma alternativa para que os(as) estudantes não tenham uma quantidade excessiva de horas diárias de efetivo trabalho escolar e nem a necessidade de cursar novamente os componentes curriculares já dominados (Parecer CME 234/12).

A matrícula dos jovens e adultos nesta forma de atendimento pode ser feita nas Unidades Educacionais que desenvolvem este projeto (saiba mais na Carta de Serviços da Prefeitura, disponível no Portal SP 156 – ir para Fazer inscrição na Educação de Jovens e Adultos).

Imagem com dois adultos escrevendo

CIEJA – Centro Integrado de Educação de Jovens e Adultos é uma Unidade Educacional que atende jovens e adultos em três períodos (manhã, tarde e noite) em até seis turnos diários, articulando em seu projeto politico pedagógico o Ensino Fundamental e a Qualificação Profissional Inicial.

Os cursos têm duração de quatro anos e são estruturados em quatro Módulos: Módulo I (Alfabetização), Módulo II (Básica), Módulo III (Complementar) e Módulo IV (Final). Cada módulo tem duração de 1 ano (200 dias letivos) e as aulas são desenvolvidas em encontros diários de 2 horas e 15 minutos (3 horas/aula).

A qualificação profissional inicial está organizada em Itinerários Formativos, definidos a partir das necessidades da comunidade e características locais, desenvolvidos de forma articulada e integrada ao Ensino Fundamental.

A matrícula dos jovens e adultos nesta forma de atendimento pode ser feita nas Unidades Educacionais dos CIEJAs (saiba mais na Carta de Serviços da Prefeitura, disponível no Portal SP 156 – ir para Fazer inscrição na Educação de Jovens e Adultos).

Imagem de sala de aula do CIEJA

CMCT – Centro Municipal de Capacitação e Treinamento oferece a jovens e adultos interessados em qualificar-se profissionalmente cursos de formação profissional inicial de curta duração nas áreas de: panificação, confeitaria, elétrica residencial, mecânica de autos, informática, corte e costura e auxiliar administrativo.

A cidade de São Paulo possui dois CMCTs:

– Unidade I – São Miguel Paulista/ DRE São Miguel Paulista – Telefone: 2297-2844

– Unidade II – Itaim Paulista – DRE São Miguel Paulista – Telefone: 2572-1996

A matrícula dos jovens e adultos nesta forma de atendimento pode ser feita nas Unidades Educacionais dos CMCTs (saiba mais na Carta de Serviços da Prefeitura, disponível no Portal SP 156 – ir para inscrição no Centro Municipal de Capacitação e Treinamento – CMCT).

Imagem de um curso de panificação do CMCT

MOVA – Movimento de Alfabetização de São Paulo é uma parceria entre a Secretaria Municipal de Educação de São Paulo e organizações da Sociedade Civil, com a proposta de estabelecer classes de alfabetização inicial para combater o analfabetismo, oferecendo o acesso à educação de forma a contemplar às necessidades e condições dos jovens e adultos.

As salas do MOVA estão instaladas em locais onde a demanda por alfabetização é grande. Geralmente as aulas são dadas em associações comunitárias, igrejas, creches ou empresas. Depois de alfabetizados, os alunos são orientados a dar continuidade aos estudos em escolas públicas de São Paulo.

As classes são agrupadas em núcleos e desenvolvem atividades educativas e culturais presenciais, por 2 horas e meia, durante 4 dias da semana, de segunda a quinta-feira. A sexta-feira é reservada para formação de educadores / monitores.

Os jovens e adultos interessados em estudar no MOVA-SP devem procurar uma entidade conveniada e fazer sua inscrição.

Imagem com apresentação do Movimento de Alfabetização