Notícias

Vivências com a infância Guarani

Na EMEI Professor José La Torre e no CECI Tenondé Porã aconteceu o projeto Territórios Brincantes marcado pela troca de interações no território Guarani e na escola

Publicado em: 11/02/2021 18h35 | Atualizado em: 11/02/2021
Crianças pequenas e adulto mexendo na terra do canteiro de uma horta.

Subir em árvores. Observar passarinhos. Comer frutinhas do pé. Construir casa com galhos. Ficar descalço na terra. Inventar brincadeiras com elementos da natureza e admirar a sua beleza. Correr livremente. Brincar com folhas. Virar cambalhota. Ficar de cabeça pra baixo. Andar de mãos dadas. Plantar o próprio alimento e se surpreender com o seu crescimento.

Foi assim que as crianças da Escola Municipal de Educação Infantil (EMEI) Professor José La Torre e da aldeia Guarani Tenondé Porã trocaram aprendizados no projeto Territórios brincantes: revelando as múltiplas formas de ser criança no extremo sul – vivências com a infância Guarani.

A ideia do projeto teve início nas avaliações da escola – a institucional e os Indicadores de Qualidade, nas quais o grupo escolar percebeu a necessidade de uma articulação maior com o território onde a escola está inserida e também a importância de realizar um trabalho sistematizado para fortalecer a práticas pedagógicas voltadas à Educação Étnico-Racial.

Quantas formas de viver a infância são possíveis? Pensando na brincadeira como linguagem especial da infância e nesta questão, a equipe da EMEI realizou uma pesquisa sobre as diferentes maneiras de ser criança e de experimentar a infância na escola. O resultado foi a percepção da proximidade geográfica com a aldeia indígena Tenondé Porã e a potência que seria a aproximar as crianças do modo de vida Guarani para ampliar repertórios e possibilitar a ruptura com imagens estereotipadas e estigmatizadas dos povos indígenas.

Após esta reflexão e o mapeamento sobre o potencial educativo do território, houve uma conversa com a equipe do Centro Educação e Cultura Indígena (CECI) Tenondé Porã e as lideranças Guarani da aldeia, para a proposição do projeto de intercâmbio entre crianças, pautado em vivências, experiências e interações infantis no território Guarani e na EMEI.

Essa foi a característica marcante do projeto: a vivência das crianças nos territórios Guarani e da EMEI. Assim, houve uma troca entre estudantes da escola que se interessam em conhecer o espaço Guarani e das crianças Guarani que quiseram conhecer onde as meninas e meninos não-indígenas interagiam.

A ideia central do projeto ganhou contornos mais definidos à medida que os encontros se realizaram. Antes das visitas, aconteceram ações de planejamento, encontros formativos entre professores da escola, os educadores indígenas e as famílias.

A cada ida ao local as crianças puderam explorar sentidos e linguagens através de atividades de artesanato, culinária, música e outras experiências ligadas às tradições e cultura do povo Guarani. Por meio da brincadeira, elas construíram inúmeros conhecimentos acerca de si, do outro, dos elementos naturais e do território, assumindo protagonismo neste processo, que lhes oportunizou vivências carregadas de valores como empatia, solidariedade e respeito às diferenças, entre outros.

Confira o depoimento das crianças contando o que aprenderam no projeto Territórios Brincantes neste vídeo que está no YouTube da EMEI Professor José La Torre.

 Ampliando as experiências educativas

O projeto Territórios Brincantes representou um marco identitário na Unidade Educacional, que se propôs a trabalhar na perspectiva da Educação Integral, compreendendo a complementaridade da Educação formal, informal e não formal e a necessidade de ampliar as experiências educativas para além dos muros da escola.

Assim, foi possível a identificação das particularidades, possibilidades e potencialidades de um trabalho que se articulou com o território e reafirmou o compromisso com uma Educação Infantil, que considera as crianças como sujeitos de direitos, inclusive direito de acesso à cidade.

Reconhecimentos

O projeto Territórios brincantes: revelando as múltiplas formas de ser criança no extremo sul – vivências com a infância Guarani desenvolvido na EMEI Professor José La Torre vem recebendo algumas premiações desde 2019. Conheça:

2019

  • Conquistou o 2º lugar no 7º Prêmio Municipal de Educação em Direitos Humanos, promovido pela Secretaria Municipal de Direitos Humanos e Cidadania em parceria com a Secretaria Municipal de Educação.
  • Ficou entre os 10 selecionados no 4º Prêmio Territórios, realizado pelo Instituto Tomie Ohtake em parceria com a Secretaria Municipal de Educação.

2020

  • Ganhou o 2º lugar no Prêmio Paulo Freire de Qualidade do Ensino Municipal promovido pela Câmara Municipal de São Paulo.
  • Recebeu Menção Honrosa no 1º Prêmio de Aprendizagem Solidária – Experiências que transformam.

Notícias Mais Recentes

Relacionadas

Imagem de uma mão sobre o computador.

SME abre processo seletivo interno para coordenador de Polo UniCEU

Publicado em: 14/01/2022 5h27 - em Secretaria Municipal de Educação

fotografia de professora atendendo um garoto em sua mesa. Todos usam máscara facial.

SME publica classificação definitiva dos candidatos para eventual contratação

Publicado em: 14/01/2022 10h30 - em Secretaria Municipal de Educação

fotografia de dois notebooks sobre uma mesa
Imagem com diversas antenas.

Prefeitura sanciona Lei das Antenas

Publicado em: 13/01/2022 12h07 - em Secretaria Municipal de Educação

fotografia mostra uma mão infantil sendo auxiliada pela mão de um adulto

Bolsas de estágio têm aumento de 30% e SME possui 4 mil vagas para contratação

Publicado em: 12/01/2022 2h50 - em Secretaria Municipal de Educação

1 2 3 1.211