Notícias

Tamandaré participa de lançamento de livro de poesias

Alunos do sexto ao nono conheceram em primeira mão mais uma aventura da indiazinha Guaracy

Publicado em: 09/10/2018 16h19 | Atualizado em: 30/11/2020

tamandare_lancamento_livro_poesias_740_x_430.jpg

Matéria produzida pela equipe de Imprensa Jovem da EMEF Almirante Tamandaré

No dia 14 de setembro, os alunos da Escola Municipal de Ensino Fundamental (EMEF) Almirante Tamandaré, da Diretoria Regional de Educação (DRE) Jaçanã/Tremembé, participaram na Biblioteca Álvares de Azevedo, no bairro da Vila Maria, do lançamento do livro As novas aventuras de Guaracy.

A participação dos alunos no lançamento da obra faz parte da programação especial sobre poesia voltada para a terceira edição do Campeonato de Poesia Slam, organizado pela professora Carolina Cortinove (Sala de Leitura) que deve ocorrer entre setembro e outubro na EMEF Almirante Tamandaré.

tamandare_lancamento_livro_poesias_2_740_x_430.jpg

Escrito pelo poeta Paulo D’Áuria e ilustrado por Pam Rabisco, o segundo romance da indiazinha Guaracy tem como objetivo valorizar a cultura brasileira, as tradições, o folclore, a cultura indígena e as nossas raízes. No primeiro livro – “Guaracy”, a indiazinha vivia em uma aldeia Tupinambá na cidade de São Paulo e os personagens do folclore que apareciam na história eram baseados nas anotações de Luís Câmara Cascudo na obra “Geografia dos mitos brasileiros”. “Tenho oito ou nove livros já publicados. A inspiração para escrever vem do dia a dia, das conversas na rua, de ler, assistir televisão, de ir nos saraus. Às vezes estou ouvindo o poema de outra pessoa e uma palavra me faz escrever meu próprio poema”, comentou Paulo D’Áuria.

Paulo é casado há 26 anos com Cissa Lourenço e ambos também fazem parte do grupo Poetas do Tietê. Uma das ações mais conhecidas do coletivo é declamar poesias pelas ruas da cidade de São Paulo e nas faixas de pedestres, inclusive vem daí o nome Poesia na Faixa. O grupo também desenvolve outros projetos sociais. “Meu próximo projeto também é escrever um livro. A gente faz um projeto no presídio feminino e eu quero fazer um livro baseado nas impressões que as meninas de lá deixam em mim, quero fazer um livro para misturar crônica, poesia e pensamentos baseado no que eu vejo e escuto. Quero mostrar para as pessoas que dentro do presídio também tem muito amor, que tem gente lá dentro e que precisamos prestar mais atenção nessas pessoas. A intenção é dar voz a essas pessoas que outros geralmente fingem que não existem”, falou Cissa Lourenço.

Notícias Mais Recentes

Relacionadas

Estudantes sentados na quadra jogando vôlei sentado.

DRE São Miguel realiza 1º Festival de Vivências Paralímpicas

Publicado em: 07/12/2022 8h24 - em Diretoria Regional de Educação São Miguel

Imagem onde se lê

SME realiza I Congresso de Educação em Gênero e Diversidade

Publicado em: 07/12/2022 8h18 - em Secretaria Municipal de Educação

imagem com o texto Esse Lugar Que Tanto Amo

Embaixada da França promove ações voltadas para profissionais da educação

Publicado em: 06/12/2022 4h24 - em Secretaria Municipal de Educação

Fotografia mostra 5 estudantes sentados. Na frente deles há um tecido no chão, com cestas com frutas de brinquedo e livros em cima

Escola da Rede Municipal de SP monta barraca literária em feira livre

Publicado em: 06/12/2022 3h57 - em Secretaria Municipal de Educação

Fotografia de uma estudante negra, ela está concentrada escrevendo no livro sobre sua mesa.

Está aberto período de inscrição para estudantes do Ensino Fundamental e Médio

Publicado em: 05/12/2022 12h43 - em Secretaria Municipal de Educação

1 2 3 1.302