Notícias

SME presta homenagem a professores premiados

Educadores ganhadores da edição 2016 dos Prêmios "Professor em Destaque" e "Professor Emérito de São Paulo" são homenageados.

Publicado em: 05/12/2016 13h38 | Atualizado em: 04/05/2021


SME_presta_homenagem_a_professores_premiados_740_x_430.jpg

A Secretaria Municipal de Educação da cidade de São Paulo homenageou na noite do dia 25 de novembro os educadores selecionados na edição 2016 dos Prêmios “Professor em Destaque” e “Professor Emérito de São Paulo”. A cerimônia reconhece projetos educacionais desenvolvidos nas Escolas da Rede Municipal de Ensino.

O evento aconteceu na sede da Academia Paulista de Letras, no centro da capital. Estavam presentes educadores das 13 Diretorias Regionais de Educação (DRE), alunos e familiares dos premiados. Seguida da coordenadora de Educação Integral e Centros Educacionais Unificados (CEU), Maria Cecilia Carlini, e da Coordenadora da Coordenação Pedagógica, Ana Lucia Sanchez, a Secretária Municipal de Educação Adjunta, Fátima Antonio, saudou os premiados.

“Eu acho que a autoria e protagonismos estão muito bem representados nos trabalhos de vocês, pois há escuta e protagonismo. E o fato de estarem aqui, hoje, de apresentarem o trabalho de vocês, dar visibilidade a esses projetos nós só podemos agradecer. Porque vocês são inspiradores para muitos de educadores de nossa rede que olhando para estas experiências podem criar e recriar experiências. Para mim, é um orgulho e uma honra fazer parte da Rede Municipal de Ensino da cidade de São Paulo”, festeja a Secretária Adjunta.

Representatividade – Leno Ricardo foi premiado com o primeiro lugar na categoria Professor em Destaque. Ele é paraense e há sete anos atua como professor de Artes na Prefeitura de São Paulo, todos eles na Escola Municipal de Ensino Fundamental EMEF José de Alcântara Machado Filho, da DRE Butantã. O projeto que apresentou se chama “Eu venho do mundo: Raízes Pankarau” e foi desenvolvido em 2015 com alunos da Educação de Jovens e Adultos (EJA).

O professor conta que a escola em que trabalha está situada no subdistrito do Morumbi, no bairro Real Parque, no qual existe a comunidade indígena Pankararu. Em suas aulas de Artes Leno motivou seus alunos, muitos descendentes da aldeia, a resgatarem suas culturas tradicionais. A ação resultou no fortalecimento de politicas afirmativas para a população indígena que vive em contexto urbano na cidade de São Paulo. Confira mais detalhes clicando aqui.

Ativista das causas indígenas, LGBTQI e afro religioso, Leno compareceu ao evento com vestimentas que caracterizam a sua luta diária. Usou um cocar que simboliza os povos indígenas, um traje branco e acessórios utilizados em ritual afro religioso, salto alto, turbante, unhas postiças e maquiagem para demonstrar a resistência da comunidade LGBTQIA, a qual faz parte. “Foi uma maneira de que encontrei para quebrar paradigmas sociais, dar voz à resistência da diversidade dos movimentos sociais e minorias das quais eu faço parte, foi um ato político/pedagógico de empoderamento”, completa o professor que também foi ganhador no XVII Prêmio Arte na Escola Cidadã, além de finalista no Prêmio Territórios Educativos.

Premiado em segundo lugar com o Projeto “Cartões Postais”, Renato Fagundes, Professor de Educação Infantil e Ensino Fundamental I na CEU EMEF José Saramago, disse que o principal objetivo do projeto é arrebentar os muros da escola e mostrar aos estudantes que eles são cidadãos do mundo. Que pudessem ampliar seus sonhos e olhares para além da sala de aula, dos muros da escola e de suas casas, do bairro que residem, da cidade que moram e mal conhecem. Saiba mais clicando aqui.

Renato também foi à premiação com roupas e acessórios africanos e justificou: “apresentar-me daquela maneira é uma questão política para marcar nossa presença na sociedade onde os grupos a que pertenço são minorias e marginais. Quando ganhamos um prêmio temos que dar um grito de resistência, dizendo para todos que nos existimos, respeitamos a todos e exigimos respeito. Sou homossexual. Sou nascido, criado, morador e trabalhador no Capão Redondo. Sou obeso. Sou professor e é meu dever ensinar não somente meus estudantes em sala de aula, devo fazer da minha existência um ato pedagógico”, concluiu.

Com o projeto “Sou Indígena” Roseli Santos Mariano de Oliveira, Professora de Educação Infantil e Ensino Fundamental I da Escola Municipal de Educação Infantil (EMEI) Profª Laura da Conceição Pereira Quintaes, da DRE São Miguel Paulista, conquistou o terceiro lugar. Para ela foi um trabalho que falou muito sobre a identidade de cada um dentro da escola, além de desmistificar alguns mitos e fazer os alunos entenderem que os índios existem e que há diversidade de pessoas.

Em quarto lugar ficou Marcos Renato Cezar, Professor de Educação Física para o Ensino Fundamental II e Médio, na EMEF Aldina Anália Agostinha Taddeo Conde, da DRE Capela do Socorro. O projeto em destaque foi “Alunos e Comunidade cuidando da escola: xadrez criando protagonistas”. O educador conta que o projeto de xadrez foi o primeiro a ser desenvolvido na unidade no contraturno e que em pouco tempo foi largamente ampliado. Hoje cerca de 400 crianças e adolescentes, dos 750 alunos matriculados na escola praticam o jogo de tabuleiro. Para o professor, a prática deste esporte tem beneficiado na convivência e no comportamento dos alunos.

Lilian Silva de Souza, Professora de Educação Infantil e Ensino Fundamental I na EMEI Abelardo Galdino Pinto – Piolin, da DRE Freguesia/Brasilândia, ficou em 5º lugar com o projeto “Aventureiros no mundo do Tatu Bolinha”. A professora pesquisou com os alunos sobre o inseto de jardim e diz que a principal conquista com o seu trabalho foi a mudança de comportamento dos alunos sobre o conhecimento. Para ela conseguir plantar a sementinha da dúvida, envolvida no contexto de busca, foi uma vitória. “Encontrar na dúvida o caminho do conhecimento foi a maior conquista”, comemora a educadora.


Receberam menção honrosa para o “Prêmio Professor Emérito de São Paulo – 2016”, as professoras Carmen Lúcia da Silva, do CEU CEI Dirce Migliaccio (DRE Itaquera), Patrícia Cerqueira dos Santos, da EMEF Professor Jorge Americano (DRE Campo Limpo) e Terezinha Maria da Silva Navarro, da EMEI Batista Cepelos (DRE Ipiranga).

Confira a galeria de imagens

Notícias Mais Recentes

Relacionadas

Imagem mostra, em primeiro plano, uma criança se alimentando. Ela está com uma colher na boca e um prato em sua frente. Ao fundo, outras crianças também comendo e funcionarias da escola auxiliando
Programação de dezembro- imigrante e cultura inclusiva

Migração e acessibilidade são eixos centrais da programação dos CEUs em dezembro

Publicado em: 06/12/2021 6h29 - em Secretaria Municipal de Educação

Mão infantil segurando massinha de modelar
mão feminina preenchendo gabarito de prova de concurso

SME convoca candidatos aprovados em lista específica de Negro, Negra ou Afrodescendentes

Publicado em: 04/12/2021 1h30 - em Secretaria Municipal de Educação

Imagem de uma professora sentada do chão. Ela segura um caderno com uma figura e mostra para a criança que está em pé em sua frente.

SME amplia em 1.068 o número de cargos para a Educação Infantil Municipal

Publicado em: 03/12/2021 5h08 - em Secretaria Municipal de Educação

1 2 3 1.212