Notícias

Seminário Mediação de Conflitos: Diálogos para uma escola acolhedora e inclusiva

Formação promove diálogo e compartilhamento de práticas sobre mediação, escuta e comunicação não violenta

Publicado em: 24/07/2018 15h19 | Atualizado em: 30/11/2020

seminario_mediacao_740_x_430.jpg

No dia 19 de julho, das 8h às 17h, aconteceu no auditório da Uninove, Campus Vergueiro, o Seminário “Mediação de Conflitos: Diálogos para uma escola acolhedora e inclusiva”, organizado pela Divisão de Gestão Democrática e Programas Intersecretariais (DGP) da Coordenadoria dos CEUs e da Educação Integral (COCEU) da Secretaria Municipal de Educação (SME).

Participaram servidores que compõem a comissão de mediação de conflitos nas unidades educacionais da Rede Municipal de Ensino (RME) no cargo base/função de Agente de apoio, Agente escolar, Auxiliar Técnico de Educação e Secretário de escola.

A formação foi realizada por meio de exposições orais e dialogadas, com apreciação de vídeos e problematização de práticas. Os palestrantes falaram sobre a interface entre o Currículo da Cidade, a mediação de conflitos e o Projeto “Respeitar é Preciso!”, comunicação não violenta e mediação de conflitos: como agir em situações cotidianas.

A Professora Tatiana Cristina Pereira (SME/DGP) iniciou as apresentações falando sobre o tema “A interface entre o Currículo da Cidade, as Comissões de Mediação de Conflitos e o Projeto Respeitar é preciso!”. “Esses três documentos não estão apartados das nossas ações, estão juntos. Conseguimos fazer, a partir desses documentos, uma proposta de projeto político-pedagógico com a cara dos nossos estudantes”, observou Tatiana.

Em seguida, a Professora Glacilda Pinheiro Correia discorreu sobre “Escuta empática”. “O desejo de ajudar e cooperar com o próximo é algo natural do ser humano. O medo nos paralisa de nos aproximar das pessoas, por isso, essa proposta de educação precisa ser trabalhada em uma rede de cooperação de conhecimento e, assim, se transportar para a rede de convivência da escola”, disse Glacilda.

Para falar sobre a comunicação não violenta, o Procurador do Município de São Paulo, Doutor Maurício Tonin, apresentou alguns pontos importantes sobre o trabalho com Mediação de conflitos. “O trabalho do mediador vai além da reunião da Comissão de Mediação na unidade escolar. O tempo inteiro, educadores e profissionais do quadro de apoio estão atuando como mediadores de conflito, por isso é importante conhecer o “Método da comunicação não violenta”, formas de abordagem e de diálogo para conseguir entender e resolver as situações” esclareceu Tonin.

Após a apresentação, os palestrantes se juntaram para responder perguntas do público sobre os temas apresentados.

Na parte da tarde, os participantes participaram de oficinas referentes aos temas “Mediação de Conflitos”, “Comunicação não violenta” e o Projeto “Respeitar é Preciso”, pelos formadores Maurício Tonin, Celinha Nascimento, Regina Dourado e Cristiane Sabino.

Notícias Mais Recentes

Relacionadas

Imagem mostra, em primeiro plano, uma criança se alimentando. Ela está com uma colher na boca e um prato em sua frente. Ao fundo, outras crianças também comendo e funcionarias da escola auxiliando
Programação de dezembro- imigrante e cultura inclusiva

Migração e acessibilidade são eixos centrais da programação dos CEUs em dezembro

Publicado em: 06/12/2021 6h29 - em Secretaria Municipal de Educação

Mão infantil segurando massinha de modelar
mão feminina preenchendo gabarito de prova de concurso

SME convoca candidatos aprovados em lista específica de Negro, Negra ou Afrodescendentes

Publicado em: 04/12/2021 1h30 - em Secretaria Municipal de Educação

Imagem de uma professora sentada do chão. Ela segura um caderno com uma figura e mostra para a criança que está em pé em sua frente.

SME amplia em 1.068 o número de cargos para a Educação Infantil Municipal

Publicado em: 03/12/2021 5h08 - em Secretaria Municipal de Educação

1 2 3 1.212