Notícias

Refugiados visitam Escola Municipal de São Paulo

A visita teve como objetivo trabalhar conteúdos históricos atuais, em uma atividade interdisciplinar

Publicado em: 06/11/2019 18h46 | Atualizado em: 30/11/2020

Após um curso de formação com o tema Imigração aplicado para os educadores na Diretoria Regional de Educação Ipiranga, a Escola Municipal de Ensino Fundamental General Osório recebeu a visita de três refugiados. A ideia partiu da Professora de Artes Mirela Valverde, que trabalhou com os alunos do Fundamental II os conteúdos históricos atuais em uma atividade interdisciplinar, com o objetivo de mostrar a empatia e esclarecimentos dos motivos dos refúgios, colocando um fim na xenofobia. Em uma roda de conversa, os visitantes contaram e responderam as perguntas das crianças sobre o assunto.

A primeira convidada foi Prudence Kalambay, em Maio de 2019. Refugiada da República Democrática do Congo, contou aos alunos a riqueza de seu país e a perseguição política que a obrigou fugir com sua filha pequena. Prudence relatou que primeiro foi a pé até Angola, e depois veio para o Brasil. Além disso, a convidada explicou que as novelas brasileiras sempre á encantou, por isso escolheu nosso país como refugio.

Imagem de uma roda de crianças sentadas junto ao refugiado da Síria.

Atualmente no Brasil há 11 anos, Prudence trabalha como modelo e participa de diversos eventos. A refugiada foi premiada com o destaque de mulher negra 2019, no Museu Afro Brasil, além de participações na abertura da novela Órfãos da Terra, revistas e entrevistas. Na visita, Prudence também ensinou aos alunos uma dança congolesa.

O segundo convidado foi Abdulbaset Jarour no dia 10 de Outubro, refugiado da Síria que fugiu da guerra do país.  No Brasil há 5 anos, relatou aos alunos que a língua e as diferenças culturais foram as grandes barreiras iniciais, além de vir sozinho e se encontrar com sua mãe e irmã apenas neste ano.

Hoje Abdulbaset promove a Copa dos Refugiados no Brasil, que acontece em vários estados junto com a ONG África do Coração, que auxilia na integração dos refugiados de diversas partes do mundo que estão no Brasil. Na visita de Abdu, os alunos aprenderam a saudar em árabe: “Salaam alaikum”, acenando com bandeiras da Síria, e também a dança Dabke, tradicional do País.

Já no dia 17 de Outubro, na Reunião Pedagógica os educadores receberam a visita de Yilmay Perdomo, refugiada da Venezuela que está há 3 anos no Brasil. Yilmay  contou sua história, os motivos políticos, de segurança e econômicos, que a obrigaram a sair de seu país, junto com marido e filhos. A refugiada teve que se reinventar, por dificuldades de validação do diploma, e hoje trabalha com a culinária da Venezuela.

A professora de Artes Mirela Valverde, esteve em ambas as atividade e conta que todos se sensibilizaram com os relatos. “A presença dos refugiados foi marcante para os alunos e educadores, muitos se emocionaram, não seguraram as lágrimas ao ouvirem as histórias”.

Crianças posando para foto junto da refugiada da República Democrática do Congo.

Notícias Mais Recentes

Relacionadas

Imagem mostra, em primeiro plano, uma criança se alimentando. Ela está com uma colher na boca e um prato em sua frente. Ao fundo, outras crianças também comendo e funcionarias da escola auxiliando
Programação de dezembro- imigrante e cultura inclusiva

Migração e acessibilidade são eixos centrais da programação dos CEUs em dezembro

Publicado em: 06/12/2021 6h29 - em Secretaria Municipal de Educação

Mão infantil segurando massinha de modelar
mão feminina preenchendo gabarito de prova de concurso

SME convoca candidatos aprovados em lista específica de Negro, Negra ou Afrodescendentes

Publicado em: 04/12/2021 1h30 - em Secretaria Municipal de Educação

Imagem de uma professora sentada do chão. Ela segura um caderno com uma figura e mostra para a criança que está em pé em sua frente.

SME amplia em 1.068 o número de cargos para a Educação Infantil Municipal

Publicado em: 03/12/2021 5h08 - em Secretaria Municipal de Educação

1 2 3 1.212