Notícias

Projeto idealizado por professora da rede compartilha objetos e conhecimentos sobre a cultura indígena

Ação permite intercâmbio cultural e maior contato com itens do cotidiano dos povos originários

Publicado em: 15/08/2023 15h48 | Atualizado em: 15/08/2023

Fotografia mostra cesto com objetos como maracá, livros, pinha e foto de indígena.
A professora Renilde Passos leva para suas aulas na EMEF Dep. Caio Sérgio Pompeu de Toledo e no CEI Zacaria Mauro Faccio Gonçalves (ambas unidades da DRE Guaianases), objetos da cultura indígena para que os estudantes tenham maior contato e conhecimento. A partir disso, ela teve a ideia de compartilhar esses itens para que outros educadores pudessem trabalhar sobre este tema na prática.

Esse é o projeto “Nossas Raízes”, onde Renilde monta caixas com itens da cultura indígena de seu acervo pessoal como colares e sementes para aprenderem sobre a construção, filtro dos sonhos, maraca, pau de chuva, zarabatana, entre outros. 

Além de circular pelas escolas onde atua, essas caixas são emprestadas para outros educadores, que levam para suas unidades e mostram os itens para os estudantes que podem manipular e conhecer de perto os objetos, potencializando o aprendizado sobre a cultura dos povos originários.

“Comecei usando com meus estudantes e achei que seria legal que outras turmas também tivessem contato com objetos da cultura indígena. É difícil ter nas escolas, então eu faço esses empréstimos”, disse Renilde sobre a criação do projeto.

Junto aos objetos, Renilde também envia uma sugestão de livro do acervo da escola, geralmente de autores indígenas, para que além de ver e manipular o objeto, o estudante conheça mais sobre a cultura como um todo.

“A ideia central é combater estereótipos preconceituosos, proporcionando conhecimento.  É importante conhecer a cultura indígena, que são nossas raízes. É importante conhecer a verdadeira história dos povos originários. A cultura indígena é uma cultura viva que a gente precisa trabalhar nas escolas para não estereotipar”, falou.

A professora idealizadora do projeto ainda relata que um professor levou uma caixa para realizar atividades com sua turma e ao chegar lá a direção escolar pediu que fosse trabalhado com todos. 

Após o uso, os educadores devolvem as caixas e compartilham fotos e relatos de como usou aqueles itens e como eles contribuíram para o ensino dos estudantes. As experiências são divulgadas nas redes sociais.

Renilde também usa esses itens em suas aulas. Durante as atividades, a professora recebeu vídeos de indígenas da comunidade Kariri-Xokó, na Bahia. Um conta um pouco sobre como é feita a maracá e canta uma canção de sua cultura para mostrar como ela é usada. No outro, uma indígena explica sobre o artesanato com as sementes e conta que as mais usadas são a de açaí, mulungu e coco.

Os vídeos foram apresentados para os estudantes da EMEF Dep. Caio Sérgio Pompeu de Toledo, onde Renilde é Professora Orientadora da Sala de Leitura (POSL). Eles ficaram felizes em aprender sobre a cultura indígena com os próprios indígenas, o que fortaleceu ainda mais esse intercâmbio cultural.

Notícias Mais Recentes

1 2 3 1.440