Notícias

Prêmio Paulo Freire é tema de reunião do Conselho Municipal de Educação

Unidades Educacionais premiadas apresentaram suas práticas para os conselheiros

Publicado em: 04/12/2019 15h51 | Atualizado em: 30/11/2020
Foto posada de integrantes do Conselho Municipal de Educação com educadores vencedores do Prêmio Paulo Freire

Na reunião plenária do Conselho Municipal de Educação – CME de São Paulo, que aconteceu no dia 21 de novembro, ocorreu a apresentação das Unidades Educacionais da Rede Municipal de Educação premiadas no Prêmio Paulo Freire de Qualidade do Ensino Municipal 2019.

O Prêmio Paulo Freire é uma iniciativa da Câmara Municipal de São Paulo com apoio do Conselho Municipal de Educação – CME, Secretaria Municipal de Educação – SME, do Instituto Paulo Freire, da União Municipal dos Estudantes Secundaristas – UMES, SINESP e SINPEEM.

Na Categoria I – Educação Infantil, o CEI Vila Marilena, da DRE Guaianases, apresentou o Projeto Vila Cidadã Sustentável, que oportuniza a interação e participação de toda a comunidade escolar com o objetivo de contribuir com a melhoria da qualidade de vida da comunidade no território, fortalecendo o CEI enquanto polo de desenvolvimento local. A Profa. Elisabete da Silva, responsável pelo projeto fala das propostas e parcerias que vem trabalhando sobre vários temas, enfatiza os desafios para trabalhar a sustentabilidade com crianças bem pequenas e o prazer em função docente naquele território.

A EMEF Donato Susumu Kimura, da DRE Campo Limpo, foi a primeira colocada na Categoria II – Ensino Fundamental, com o Projeto Ocupa Capão, que através da Música Popular Brasileira – MPB proporciona o mergulho de pais, profissionais da educação, colaboradores, estudantes e ex-estudantes no universo musical, e melhor compreensão do Brasil. O Auxiliar Técnico Paulo Farias enaltece, principalmente, o esforço da gestão da Unidade Escolar que, através da gestão democrática, possibilitou a idealização e execução do projeto.

Já na Categoria III – Ensino Fundamental II e Médio, a EMEF Sebastião Francisco, O Negro, da DRE Itaquera, foi a primeira colocada com o Projeto Coletivo Feminista Estudantil: diálogos para igualdade de gênero na Escola, projeto que partiu da angústia das estudantes de 5º ano que sofriam assédio fora da EMEF. A Profª Débora Regina C. Campos colocou em pauta o Objetivo para o Desenvolvimento Sustentável – ODS 5 Igualdade de Gênero, discutindo a luta pela igualdade de gênero na esfera escolar e social dos estudantes, construindo um espaço de conversa e reflexão no sentido de desconstruir o machismo diário, possibilitar o empoderamento de meninas e mulheres na escola, propiciar a reflexão sobre seu próprio papel na comunidade local e na sociedade avaliando continuamente suas próprias ações lidando com seus sentimentos e desejos e, finalmente, disseminar valores de igualdade e respeito.

E para concluir, o CIEJA Profª Rosa Kazue Inakake de Souza, da DRE Guaianases, premiada na Categoria IV – Educação de Jovens e Adultos, apresentou o Projeto Projeto Saúde e Qualidade de Vida dos Alunos Surdos: possibilidade construída pelas mãos de todos. Segunda a Profª Juliana da Silva Bezerra, o projeto buscou viabilizar o acesso dos alunos Surdos ao Sistema de Saúde, refletir sobre as barreiras encontradas no acesso à saúde e possibilidades de superação, promover hábitos de saúde e qualidade de vida que ultrapassem os limites do muro da escola, promover mudança de hábitos e envolver a comunidade externa (família e Posto de Saúde próximo da Unidade Escolar) na responsabilização e apoio de acesso para os Surdos aos serviços de saúde.

A Conselheira Cristina Margareth de Souza Cordeiro, Presidente da Comissão Temporária que organizou o encontro para exposição dos projetos pedagógicos, fala da satisfação em contar com a presença dos representantes das Unidades Educacionais vencedoras do Prêmio Paulo Freire 2019: “O Conselho Municipal de Educação tem se empenhado em trazer projetos inovadores para apresentações e debates nesta Plenária, a fim de enaltecer importantes trabalhos que há na Rede”.

As Conselheiras Sueli Aparecida de Paula Mondini e Marina Graziela Feldmann, integrantes do júri avaliativo do Prêmio Paulo Freire representando o Conselho Municipal de Educação, reforçam a satisfação em participar do processo avaliativo do Prêmio: “as avaliações são feitas com base em um documento frio e, após as apresentações, percebemos que os projetos são ainda melhores, todos partindo das necessidades dos estudantes” diz a Conselheira Sueli Mondini, também Presidente do CME.

 

Notícias Mais Recentes

Relacionadas

Fotografia de uma estudante negra, ela está concentrada escrevendo no livro sobre sua mesa.

Está aberto período de inscrição para estudantes do Ensino Fundamental e Médio

Publicado em: 05/12/2022 12h43 - em Secretaria Municipal de Educação

Fotografia de estudantes correndo em aralimpíada

Estudantes da Rede Municipal são destaque nas Paralímpiadas Escolares 2022

Publicado em: 05/12/2022 12h06 - em Secretaria Municipal de Educação

EMEF cria escape room sobre mitologia grega para estimular o raciocínio lógico dos estudantes

EMEF cria escape room sobre mitologia grega para estimular o raciocínio lógico dos estudantes

Publicado em: 02/12/2022 1h47 - em Secretaria Municipal de Educação

foto ilustrativa de estágio

Prática de estágio em escola municipal é reconhecida pela Prefeitura de São Paulo

Publicado em: 02/12/2022 12h18 - em Diretoria Regional de Educação São Mateus

Educador Em Destaque

SME homenageia e premia professores da Rede Municipal no Educador em Destaque 2022

Publicado em: 01/12/2022 4h25 - em Secretaria Municipal de Educação

1 2 3 1.301