Notícias

Unidade, que é uma das benfeitorias que estão sendo entregues em residencial construído em antiga favela, é a 15ª entregue neste ano e vai atender crianças de 0 a 3 anos

Publicado em: 21/12/2023 12h54 | Atualizado em: 21/12/2023
Fotografia da fachada do CEI Julia lopes almeida com a imagem do entorno

A Prefeitura de São Paulo inaugurou nesta quinta-feira (21) uma creche dentro do condomínio popular Guaicuri, localizado na região da favela de mesmo nome na Vila Missionária, próximo à represa Billings, Zona Sul da capital. Com capacidade para atender 96 crianças de 0 a 3 anos, o Centro de Educação Infantil (CEI) Julia Lopes de Almeida é a 15ª unidade educacional inaugurada pela Prefeitura neste ano. Até o fim de 2024, a gestão terá entregue 45 unidades.   

Ao inaugurar a nova creche, o prefeito Ricardo Nunes falou sobre o compromisso de sua gestão em valorizar os espaços físicos, conceitos e contextos pedagógicos, melhorar cada vez mais o trabalho dos profissionais, a alimentação dos alunos, que têm 5 refeições por dia, com orientação de nutricionistas. “A questão fundamental é que a creche faz parte do objetivo pedagógico para a criança melhorar a aquisição do seu conhecimento, o bebê, desde um dia de nascido vai desenvolver o cérebro até os 6, 7 anos, e isso ajuda nas questões cognitivas e hoje a gente está fazendo um trabalho fundamental para essa geração e as próximas”, destacou. 

Fotografia de fachada do CEI julia lopes almeida

A unidade será gerida pela OSC Instituto Pleno Viver e já está em funcionamento. O repasse mensal da Prefeitura para custear as despesas da escola é de R$ 145 mil.    

Para o secretário municipal de Educação, Fernando Padula, o fato de a unidade ser dentro do condomínio vai aumentar o conforto das mães que vivem ali. “O fato de esse empreendimento habitacional já ter a creche, a qualidade de vida das pessoas na sua moradia vai melhorar. É importante lembrar que desde 2020, ainda com o prefeito Bruno Covas, São Paulo zerou a fila de vaga de creche. Hoje todas as crianças que precisam têm creche nesta cidade, que já chegou a ter 120 mil crianças na fila por uma vaga e hoje não tem nenhuma criança na fila de creche”, destacou. 

Este é o terceiro ano consecutivo que a Prefeitura permanece com a fila zerada para creche. O atendimento é possível graças a parcerias firmadas com cerca de 700 Organizações da Sociedade Civil (OSCs) e à ampliação de vagas nos CEIs já existentes, garantindo atendimento de todas as famílias cadastradas. Atualmente, há mais de 352 mil crianças de 0 a 3 anos matriculadas nos Centros de Educação Infantil (CEI). 

O CEI está localizado no térreo do condomínio habitacional Residencial Girassol, e foi construído pela Secretaria Executiva do Programa Mananciais, vinculada à Secretaria Municipal de Habitação (SEHAB) com investimento de R$ 2 milhões. “Também sou professora e queria que as mães aproveitassem bem os filhos que estão na creche e junto com os apartamentos que serão entregues agora”, disse a secretária-executiva do Programa Mananciais, Bete França.

 Fotografia de sala do CEI julia lopes almeida

Homenagem 
O nome do CEI é uma homenagem à escritora Julia Lopes de Almeida, única mulher que participou da idealização da Academia Brasileira de Letras. “Essa homenagem tem um significado duplo para nós, um significado para a literatura e escritores e um significado para os avanços em relação ao direito das mulheres”, disse o prefeito Ricardo Nunes, lembrando que Julia não teve o reconhecimento que merecia.  

“É inimaginável que a Academia Brasileira de Letras, em um certo momento, proibia que as mulheres fizessem parte do seu seleto grupo. Fica aqui agora também o nosso reconhecimento a nossa escritora e o nosso reconhecimento a esse avanço e o nosso repúdio a que antigamente havia pessoas com a cabeça bem pequenininha, que não permitiam mulheres na academia, esse avanço que a gente teve aqui na educação”, destacou.  

Autora de diversos textos entre 1887 a 1932, a escritora era conhecida por suas ideias avançadas para sua época, como a defesa da abolição da escravatura, da República, o divórcio, a educação formal para mulheres e os direitos civis.    

Apesar de idealizadora da ABL, a escritora não pôde ocupar uma cadeira por ser mulher. Tendo seu marido no lugar.    

“Estamos muito honrados em poder homenagear uma escritora que contribuiu tanto para a literatura. Uma mulher com ideias fortes e importantes, principalmente no período em que viveu”, destaca o Secretário Municipal de Educação, Fernando Padula.  

Notícias Mais Recentes

Relacionadas

Imagem mostra a aplicação de uma injeção feita no braço de uma mulher com camisa xadrez

Profissionais da Educação já podem se vacinar contra Influenza

Publicado em: 09/04/2024 5h28 - em Secretaria Municipal de Educação

biblioteca

Bibliotecas dos CEUs oferecem acervos literários e diversas atividades culturais para a comunidade

Publicado em: 09/04/2024 5h05 - em Secretaria Municipal de Educação

Mulher está segurando uma pasta verde e usando uma mochila nas costas.

Prefeitura de São Paulo promove 3ª Feira de Estágios em parceria com o CIEE

Publicado em: 09/04/2024 10h49 - em Secretaria Municipal de Educação

Foto de um Notebook
Foto de uma criança com um copo na copa bebendo algo. Atrás dela há outras crianças.

Prefeitura de São Paulo inicia distribuição do 1º ciclo do Programa Leve Leite

Publicado em: 05/04/2024 4h55 - em Secretaria Municipal de Educação

1 2 3 4 5 1.438