Notícias

Prefeitura de SP anuncia 15% de reajuste no repasse para as entidades que oferecem alfabetização pelo MOVA-SP

Movimento alfabetiza adultos em espaços não escolares da capital, como associações comunitárias e igrejas

Publicado em: 09/08/2022 18h37 | Atualizado em: 09/08/2022
Sala de aula com estudantes da Educação de Jovens e Adultos.

O prefeito, Ricardo Nunes, e o secretário da Educação, Fernando Padula, anunciaram, nesta terça-feira (9), o reajuste de 15,65% no repasse para custeio das atividades do Movimento de Alfabetização de Jovens e Adultos do Munícipio de São Paulo – MOVA-SP. O valor não era reajustado desde 2018. O investimento é de R$ 422.682,00 mensais.

Hoje o programa abriga cerca de 10 mil educandos atendidos por meio de 290 salas de aula na capital. A verba é usada para custear o material pedagógico e alimentação dos educandos.
O MOVA ocorre em parceria da Secretaria Municipal de Educação de São Paulo e organizações da Sociedade Civil, com a proposta de estabelecer classes de alfabetização inicial para combater o analfabetismo, oferecendo o acesso à educação de forma a contemplar às necessidades e condições dos jovens, adultos e idosos.

As salas do MOVA-SP estão instaladas em locais de grande demanda por alfabetização. Geralmente, as aulas são ministradas em associações comunitárias, igrejas ou empresas.

Para o secretário Fernando Padula, é fundamental que a Prefeitura apoie projetos comunitários que ajudem a diminuir os índices de analfabetismo. “O MOVA-SP é oferecido em espaços não escolares e, por isso, tende a ter uma adesão grande da comunidade. Nosso objetivo é incentivar que esses adultos que, muitas vezes, não tiverem oportunidade de estudar, deem prosseguimentos aos estudos depois que concluírem a alfabetização.”

Método Paulo Freire
O processo de alfabetização Movimento se baseia nos princípios freirianos. Depois de alfabetizados, os educandos são orientados a dar continuidade aos estudos em escolas públicas de São Paulo, em uma das formas de atendimento: CIEJA, EJA Regular ou EJA Modular.

A SME faz um trabalho de busca ativa para que deem continuidade aos estudos, depois de aprenderem a ler e escrever, tendo em vista que este o principal desejo de quem procura o MOVA-SP.
As classes são agrupadas em núcleos e desenvolvem atividades educativas e culturais presenciais, por duas horas e meia, durante quatro dias da semana, de segunda a quinta-feira. A sexta-feira é reservada para formação de educadores e coordenadores.

A SME, por meio da Divisão de Educação de Jovens e Adultos-DIEJA, é responsável pelo acompanhamento das ações desenvolvidas pelas entidades do MOVA-SP nos territórios. Dessa forma, promove encontros formativos mensais com os formadores das diretorias pedagógicas que atuam no programa. Também são realizadas, periodicamente, reuniões com as lideranças do movimento.

Notícias Mais Recentes

Relacionadas

Fotografia de cinco estudantes com a camiseta laranja do Imprensa Jovem. Três estudantes estão sentados em bancos altos em frente a uma estante de livros e a menina que está no meio segura um microfone e um celular. Todos olham para o celular. Em primeiro plano, de costas para o ângulo da fotografia, um menino manuseia o tripé em que está a câmera e o celular, atrás de sua camiseta laranja está escrito em preto Imprensa Jovem. Em frente a ele, e também de costas para o ângulo da foto, há mais uma estudante.
Design Sem Nome (1)

DRE Guaianases promove reunião de organização

Publicado em: 22/02/2024 4h37 - em Diretoria Regional de Educação Guaianases

Imagem dividida em 3 retângulos, cada um com imagens que fazem alusão à símbolos indígenas
Foto de um adulto, com camiseta do Fab Lab, escrevendo em uma lousa branca, crianças acompanhando , tanto em pé, ao lado da lousa, como sentados.

Rede Fab Lab Livre SP abre agenda de oficinas para estudantes e professores da Rede Municipal

Publicado em: 22/02/2024 11h30 - em Secretaria Municipal de Educação

fotografia de uma Menina Pintando Com Tinta
1 2 3 1.426