Notícias

Prefeitura de SP adquire 741 mil livros que abordam temática étnico-racial para serem utilizados nas escolas municipais

Obras de Emicida, Bell Hooks, Conceição Evaristo e Lelia Gonzalez vão compor acervos das unidades e bibliotecas pessoais dos estudantes

Publicado em: 01/04/2022 14h03 | Atualizado em: 06/04/2022
fotografia de pilhas de livros

A Prefeitura de São Paulo adquiriu 741.333 livros literários sobre a temática étnico-racial para compor os acervos das escolas municipais e serem distribuídos entre os estudantes por meio do programa Minha Biblioteca. A compra faz parte do programa “São Paulo Farol Antirracista”, realizado em parceria com a Secretaria Municipal de Relações Internacionais com intuito de promover ações de combate ao racismo.

São 178 títulos diferentes de atores consagrados destinados a diferentes públicos. Para crianças há, por exemplo, obras como “Meu Crespo é de Rainha”, de Bell Hooks, “E foi assim que eu e a escuridão ficamos amigas”, de Emicida, e “O Pequeno Príncipe Preto”, de Rodrigo França.

Destinados aos alunos do ensino fundamental e médio, há obras como “Torto Arado”, romance premiado de Itamar Vieira Junior, “Miss Davis”, que conta a história da ativista Angela Davis, além de títulos de Conceição Evaristo, Lelia Gonzalez e Carolina Maria de Jesus.

Pelo programa Minha Biblioteca, desde 2007, cada aluno da rede recebe dois livros para levar para casa, compor seu acervo pessoal e ser uma alternativa simples e gratuita de acesso à cultura. Neste ano, pela primeira vez, os alunos de ensino médio e EJA também serão contemplados.

No total, neste ano, a Prefeitura de SP comprou 7 milhões de livros. O número recorde de 5 milhões será destinado ao programa Salas e Espaços de Leitura que completa 50 anos agora em 2022. Essa quantidade é três vezes maior do que a adquirida no ano anterior. Os títulos vão compor e renovar os acervos das escolas. As outras 2 milhões de unidades serão para o Minha Biblioteca.

Para o secretário Fernando Padula, ao investir na compra de livros com a temática étnico-racial, a SME colabora com a representatividade dentro da escola. “É necessário que as crianças e jovens se sintam representados, inclusive na literatura.”

Notícias Mais Recentes

Relacionadas

Ilustração de uma jovem negra que é personagem da Revista Jovenilda e sua turma
fotos dos itens que compõe o uniforme das escolas da prefeitura de São Paulo
Fachada de uma Escola Tecnica Estadual - Etec

Aluno da EMEF Coelho Neto conquista primeiro lugar em curso da ETEC São Mateus

Publicado em: 27/01/2023 11h06 - em Secretaria Municipal de Educação

Foto de crianças da Emebs Lucie Bray fazendo pintura em plástico transparente. Uma professora os auxilia
fotografia de auditório com aReunião De Planejamento

SME promove Organização Pedagógica de 2023

Publicado em: 24/01/2023 5h08 - em Secretaria Municipal de Educação

1 2 3 1.310