Notícias

Família e escola unidas em prol da educação

Objetivo é a valorização das ações propostas pelos educadores e familiares no processo de acolhimento às crianças

Publicado em: 05/04/2019 10h02 | Atualizado em: 30/11/2020

projeto740x430.jpg

A Escola Municipal de Educação Infantil (EMEI) Professora Odilea Botta de Mattos deu início ao projeto “De Mãos Dadas”, que debate a importância dos pais, responsáveis e professores no processo de aprendizagem das crianças e também as novas estruturas familiares.

A Coordenadora Pedagógica da unidade, Erika Luiza da Fonseca, explicou que com o passar dos anos e acompanhando as novas estruturações familiares, os educadores notaram que as reuniões bimestrais com as famílias foram perdendo qualidade porque se voltavam para questões sociais ou de orientações básicas relacionadas à saúde, por exemplo. “A pauta planejada anteriormente contemplava ações pedagógicas, mas na avaliação posterior feita a cada reunião, o relato das professoras continha mais frustração do que avanços com as famílias”, explicou.

Diante dessas constatações surgiu em 2019 o desejo de mudar esse contato com as famílias, garantindo, de fato, um espaço de escuta, acolhimento e orientação, num formato diferente da reunião com as famílias, seguindo um calendário dinâmico mensal.

Passaram então a acontecer encontros nos horários coletivos dos professores e que contam com a participação rotatória de familiares indicados pelos professores, funcionários de vários segmentos da escola e equipe gestora. Como os encontros são temáticos- para o primeiro semestre letivo foram definidos temas como ‘adaptação e ansiedade’, ‘atendimento das crianças deficientes e ‘imigração’, entre outros. As reuniões também contam com profissionais ligados à área de atendimento de cada tema do encontro.

Erika explica que o processo avaliativo começa desde a indicação das famílias e termina no final de cada reunião. “A cada grupo podemos observar o empenho das professoras em lidar com as demandas diárias, quais estratégias utilizaram para se aproximar das famílias e se essa indicação é resultado de uma observação constante da criança”, enfatizando que as reuniões bimestrais passaram a ser valorizadas como momento formativo para se discutir a cultura da infância, os projetos, os avanços e desafios do grupo.

Para a educadora a participação dos convidados, as falas, o acolhimento das demandas e a relação vincular estabelecida através dos encontros são nítidas e transformadoras. “No grupo sempre reafirmamos que somos parceiros e que todos passam ou já passaram pelos mesmos sentimentos e angustias”, explica. “Isso nos aproxima, nos humaniza e traz à tona o verdadeiro sentido de cada encontro que é o atendimento à criança” conclui.

Notícias Mais Recentes

Relacionadas

Imagem mostra, em primeiro plano, uma criança se alimentando. Ela está com uma colher na boca e um prato em sua frente. Ao fundo, outras crianças também comendo e funcionarias da escola auxiliando
Programação de dezembro- imigrante e cultura inclusiva

Migração e acessibilidade são eixos centrais da programação dos CEUs em dezembro

Publicado em: 06/12/2021 6h29 - em Secretaria Municipal de Educação

Mão infantil segurando massinha de modelar
mão feminina preenchendo gabarito de prova de concurso

SME convoca candidatos aprovados em lista específica de Negro, Negra ou Afrodescendentes

Publicado em: 04/12/2021 1h30 - em Secretaria Municipal de Educação

Imagem de uma professora sentada do chão. Ela segura um caderno com uma figura e mostra para a criança que está em pé em sua frente.

SME amplia em 1.068 o número de cargos para a Educação Infantil Municipal

Publicado em: 03/12/2021 5h08 - em Secretaria Municipal de Educação

1 2 3 1.212