Notícias

#Estudantetemvoz – Vamos falar sobre diversidade?

Matéria produzida pela equipe de Imprensa Jovem Rádio do Célia 1.6, da EMEF Professora Célia Regina Lekevicius Consolin

Publicado em: 29/06/2018 17h52 | Atualizado em: 30/11/2020

imp_jov_estudantetemvoz_diversidade_principal_740_x_430.jpg
Matéria produzida pela equipe de Imprensa Jovem Rádio do Célia 1.6, da EMEF Professora Célia Regina Lekevicius Consolin

Ao abordarmos o tema “DIVERSIDADE”, percebemos que, em pleno século XXI, ainda é um assunto não só bastante complexo, como também muito polêmico.

Em uma investigação rápida por sites de busca, encontramos algumas definições para o termo, tais como “variedade” e “diferença”. Porém, sabemos que o significado é mais amplo, pois envolve, principalmente, o entendimento de ser diverso enquanto ser humano. Ou seja, a concepção de diversidade está relacionada a comportamentos, a um jeito único de se vestir, de agir, de ser, de amar, de se relacionar, de se sentir.

imp_jov_estudantetemvoz_diversidade_cartaz_02_740_x_430.jpg
 *Cartazes produzidos pelos estudantes da EMEF na disciplina de Artes, referentes a uma sociedade mais justa

Então, vê-se que, ao juntarmos os conceitos, diversidade seria a existência de uma variedade de diferenças que constituem a singularidade de cada ser humano. Então, por que esse assunto causa tanto debate ou necessita de tanta discussão?

Talvez, uma possível justificativa seria o fato de vivermos em uma sociedade que se denomina tão “justa” e “pacífica”, mas que ainda permite que crimes fiquem sem solução e contribuam para o aumento das desigualdades das relações violentas baseadas no gênero.

imp_jov_estudantetemvoz_diversidade_cartaz_03_740_x_430.jpg

Não há muito o que questionar quando os índices revelam o quanto somos preconceituosos. Segundo a ONG “Trangender Europe” (2016), o Brasil é o líder mundial de assassinatos a transexuais. Em um levantamento realizado pelo jornal O Globo (2016), a cada 19 horas, um LGBT é morto ou se suicida, vítima de LGBTfobia. Em um estudo de 2015, realizado pela Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO), mais de 40% dos homens homossexuais brasileiros já foram agredidos fisicamente durante a vida escolar devido à sua orientação sexual.

Assim, percebemos que falar sobre diversidade é extremamente necessário e urgente. Por isso, nós, da Rádio do Célia 1.6 da EMEF Professora Célia Regina Lekevicius Consolin, optamos por esse assunto, porque sabemos que o preconceito/bullying exibido pela sociedade se reflete na escola e cabe também a nós, estudantes (#Estudantestemvoz), lutarmos e caminharmos para um espaço em que se aprenda a respeitar todas as diferenças incríveis que existem e nos tornam seres únicos, especiais, extraordinários…

imp_jov_estudantetemvoz_diversidade_cartaz_04_740_x_430.jpg

Precisa-se compreender que assumir a nossa identidade, nossos gostos, nossas necessidades, nossa cor, nossa religião, nosso estilo de vida é algo fantástico e fundamental para vencermos o preconceito.

Contudo, é nítido que precisamos, todos os dias, lutarmos para que consigamos viver sem medo de algo ou alguém em nosso cotidiano, ou que tenhamos estrutura, especialmente emocional, para que notícias que infelizmente fazem parte de nosso cotidiano não acabem por nos entristecer ou chocar (Marielle Franco, Dandara, Matheusa entre tantos outros/outras que não entram nas estatísticas!). Devemos, sem dúvida, batalhar por uma vida que seja sinônimo de felicidade e superação de preconceito, já que nada é mais incrível do que poder ser quem realmente você é!

imp_jov_estudantetemvoz_diversidade_cartaz_05_740_x_430.jpg

imp_jov_estudantetemvoz_diversidade_principal_740_x_430.jpg
Integrantes da Rádio do Célia 1.6 responsáveis pelo texto e ao fundo mural produzido pela professora Denise, da disciplina  de Artes, que destaca críticas sociais e a necessidade de questionamento da escola enquanto parte da sociedade.

Bibliografia consultada

oglobo.globo.com/sociedade/assassinatos-de-lgbt-crescem-30-entre-2016-2017-segundo-relatorio-22295785 – Acessado em: 17/06/2018

g1.globo.com/profissao-reporter/noticia/2017/04/brasil-e-o-pais-que-mais-mata-travestis-e-transexuais-no-mundo-diz-pesquisa.html – Acessado em: 17/06/2018

unesdoc.unesco.org/images/0022/002213/221314por.pdf – Acessado em: 17/06/2018

especiais.correiobraziliense.com.br/brasil-lidera-ranking-mundial-de-assassinatos-de-transexuais – Acessado em: 17/06/2018

Johnny Hooker (part. Liniker) – Flutua –  www.youtube.com/watch?v=mYQd7HsvVtI – Acessado em 18/06/2018

Seu Costume – Bruno Gadiol, Gabriel Nandes – www.youtube.com/watch?v=asoE9uJF528 – Acessado em 18/06/2018

Notícias Mais Recentes

Relacionadas

Professora Lívia e várias crianças andando de motoca na Praça da república.
Alunos de Dança Cigana do CEU Formosa posam para foto

CEU Formosa promove aulas gratuitas de dança cigana para comunidade

Publicado em: 11/04/2024 4h37 - em Secretaria Municipal de Educação

Alunas do CEU Parelheiros participam de aula de Afromix. No palco as professoras conduzem a aula.

CEUs oferecem aulas de dança do Afromix em sua programação

Publicado em: 11/04/2024 11h51 - em Secretaria Municipal de Educação

Dengue Vacina

Estudantes da Rede Municipal de São Paulo poderão se vacinar contra a dengue

Publicado em: 10/04/2024 6h49 - em Secretaria Municipal de Educação

Fotografia mostra quatro pessoas adultas ao redor de uma mesa com componentes eletrônicos na aula do curso profissionalizante de auxiliar de eletricista.

Cursos gratuitos profissionalizantes dos CMCTs estão com inscrições abertas 

Publicado em: 10/04/2024 5h12 - em Diretoria Regional de Educação São Miguel

1 2 3 4 1.439