Notícias

Estudantes surdos produzem reportagens em vídeo em Libras pelo Imprensa Jovem no CIEJA Perus I

Próxima pauta do projeto 'Imprensa Surda' será sobre o ator surdo Troy Kotsur, que ganhou o Oscar de melhor ator coadjuvante no filme 'No ritmo do coração'

Publicado em: 13/05/2022 12h03 | Atualizado em: 16/05/2022

Fotografia mostra seis pessoas em pé e uma sentada. A pessoa sentada é uma mulher, veste camiseta preta e está com os braços cruzados sobre a mesa. Ao seu lado esquerdo, há uma repórter, ela veste a camisa laranja da "Imprensa Jovem" e está segurando um gravador. A esquerda da repórter, vemos as outras cinco pessoas em pé, três usam camiseta laranja e duas usam camiseta azul. 

O Centro Integrado de Educação de Jovens e Adultos (CIEJA) Perus I está desenvolvendo uma ação pioneira dentro do Programa Agência de Notícias Imprensa Jovem – Rádio e TV CIEJA Perus I, que ocorre desde 2017. Neste ano, eles criaram o projeto ‘Imprensa Surda’ para dar oportunidade aos estudantes com deficiências de participarem da produção de conteúdos midiáticos na escola.

O projeto tem como objetivo principal articular mídia e educação e possibilitar a produção audiovisual no ambiente escolar incluindo os estudantes com deficiências, em especial estudantes surdos, na  criação de produtos para mídia social com acessibilidade em Libras, o que também estimula  o desenvolvimento da competência leitora e escritora e das expressões comunicativas dos estudantes.

A primeira cobertura jornalística do Núcleo ‘Imprensa Surda’ foi a da eleição do Grêmio Estudantil que aconteceu no CIEJA em abril deste ano. Para realizar a reportagem de cobertura sobre o dia da eleição, a edição e a interpretação em Libras aconteceram quatro encontros de organização. Participaram os estudantes repórteres: Bruno Pinho, Janete Leila de Matos Ygima, Michele Mota Torres, Rosinaide Francisca de Souza e Marly Stella Petitmat Del.

Assista a reportagem:

A próxima pauta da oficina acontece neste mês e será sobre o ator surdo Troy Kotsur, que ganhou o Oscar de melhor ator coadjuvante no filme ‘No ritmo do coração’.  Serão realizadas quatro reuniões durante maio para fazer a matéria. Foi proposto que as estudantes acompanhassem o Oscar, assistissem ao filme e relacionassem suas histórias pessoais com  a história do filme. Em junho a pauta será sobre o lançamento da primeira personagem surda em HQ, criada por Maurício de Sousa.

O coordenador do Núcleo de Educomunicação, Carlos Lima, disse que essa é uma iniciativa inédita para a Educação de Jovens e Adultos e também é uma inspiração. “Promover a inclusão  é uma das premissas dos projetos de Educomunicação. A iniciativa oferece inclusão social e pedagógica  para os estudantes, potencializando a  autoestima e oferecendo espaço expressão comunicativa “, comentou. 

A estudante Janete Leila de Matos Ygima, 53 anos, do 3º Módulo-A, diz que o projeto está “bem legal” e que tem gostado muito “porque mostra o uso da Libras para todas as pessoas.” “Para os surdos ajuda muito, pois falta janela de intérprete na maioria dos jornais da TV, dificultando a informação para nossa comunidade”. Janete é surda e foi repórter na primeira matéria que a equipe do ‘Imprensa Surda’ produziu. 

Já o estudante Matheus Sousa Pereira, 29 anos, do 3º Módulo-G, autista, conta que o projeto é muito interessante e legal, pois integra estudantes com deficiências diferentes, como surdez, Síndrome de Down e autismo.

Live inspirou projeto 

A ideia para a iniciativa surgiu na live promovida pelo Núcleo de Educomunicação sobre ‘Educomunicação pelas ondas do rádio’,  da Secretaria Municipal de Educação (SME) de São Paulo, em dezembro de 2021, quando a intérprete de Libras, que participava da transmissão ao vivo, comentou sobre a dificuldade de estudantes surdos participarem de projetos de rádio nas escolas. 

Ao se sentirem instigados com o comentário feito na live, as professoras Alecsandra Guimarães e Marcela Fontão Nogueira, responsáveis pela Sala de Recursos Multifuncional (SRM), o professor Rossini de Araujo Castro, em parceria com a intérprete de Libras, Priscila França, elaboraram uma formação para que os estudantes com deficiências pudessem integrar a equipe da Agência de Notícias  ‘Imprensa Jovem +’ e participassem das produções audiovisuais.  

Para o professor Rossini, a importância do projeto Imprensa Surda para o CIEJA Perus I é a  confirmação de práticas pedagógicas inclusivas com autonomia dos estudantes. “E a efetivação de um ecossistema educomunicativo em que todas as vozes, línguas e sinais  que compõem as complexidades de sujeitos na escola que são respeitados em suas especificidades e nas inter-relações”. 

Concretizando a ideia

A Professora de Atendimento Educacional Especializado (PAEE) Alecsandra contou que no início deste ano letivo, o Projeto ‘Imprensa Surda’ tinha como desafio o objetivo dar acessibilidade em Libras (Língua Brasileira de Sinais) aos cinco estudantes surdos matriculados na Unidade Escolar.

Ao se reunirem para planejar o projeto eles pensaram “na importância de estudantes se tornarem não apenas ‘seguidores’ das notícias, mas protagonistas, participando de todas as etapas até chegarem ao produto final. “A notícia com a janela de interpretação, não só da Priscila, a intérprete de Libras, mas de repórteres protagonistas usuários de Língua de Sinais”, argumentou Alecsandra.

Dessa forma, uniram a experiência com o Imprensa Jovem, adquirida pelo professor Rossini, ao Atendimento Educacional Especializado (AEE) e aos jovens e adultos surdos com idades e experiências linguísticas com Libras. Começaram o projeto e estão estruturando os encontros em etapas e criando metodologias para que os estudantes desenvolvam autonomia e ampliem o vocabulário nas duas línguas. 

As oficinas acontecem às quartas-feiras, das 10h às 12h15, com as professoras da Sala de Recursos Multifuncional, Alecsandra e Marcela, a intérprete de Libras, Priscila, e o professor Rossini. Nas reuniões, são trabalhados roteiro, escolha de pauta, ação em campo com filmagem, iluminação e edição.

“A Imprensa Surda tem sido um espaço  muito rico de atuação e protagonismo dos estudantes surdos que compõem o projeto. Além disso, traz a LIBRAS (Língua Brasileira de Sinais) para um lugar de destaque, algo que não é comum de se ver numa sociedade ouvinte”, afirma a intérprete de Libras, Priscila.  

‘Imprensa Jovem +’ no CIEJA

A ‘Imprensa Jovem +’ foi criada em 2017, deste ano até 2019, mais de 60 alunos atuaram e participaram das oficinas ‘Imprensa Jovem +’ e foram certificados. As ações são semelhantes a do “Imprensa Jovem”, porém foi acrescentado o símbolo ‘+’ para ilustrar que os participantes são estudantes que têm a idade entre 15 a 78 anos.

Este é um dos três núcleos de atuação da Rádio e TV CIEJA Perus I. Os outros são o Grupo de Trabalho (GT) Educom e, como disse o professor Rossini, responsável pela agência no CIEJA, a “caçulinha Imprensa Surda”.

Conheça mais sobre o trabalho desenvolvido na Rádio e TV CIEJA Perus.

Notícias Mais Recentes

Relacionadas

Menina olha para tabuleiro de xadrez e movimenta uma peça com sua mão direita.

Cerca de 2 mil estudantes participam da Final Municipal de Xadrez Individual

Publicado em: 27/09/2022 4h50 - em Secretaria Municipal de Educação

Fotografia mostra as mãos com um punhado de terra próximas de um broto de árvore que está no centro da imagem. Ao fundo, raios de sol sol e folhas verdes desfocados.

SME abre inscrições para curso sobre sustentabilidade e consumo consciente

Publicado em: 27/09/2022 3h30 - em Secretaria Municipal de Educação

Crianças e professora de Educação Infantil em sala de aula.
Professora de Educação Infantil sentada no chão da sala com cinco bebês sentados a sua volta brincando.

SME faz nova convocação de aprovados em concurso

Publicado em: 22/09/2022 5h07 - em Secretaria Municipal de Educação

Imagem com o fundo em mosaico colorido em tons de lilás, azul e verde, onde se lê
1 2 3 1.283