Notícias

Crianças da EMEI Monteiro Lobato concluem Educação Infantil com rito de passagem

Pizza, fogueira e ciranda com as famílias simbolizam o fim de um ciclo e início do 1º ano do Ensino Fundamental

Publicado em: 14/12/2022 15h42 | Atualizado em: 15/12/2022
Estudante com um galho em cima de uma fogueira.

O fim do ano para as crianças do último ano da EMEI Monteiro Lobato representa muito mais que a saída da Educação Infantil e a entrada no Ensino Fundamental. As profissionais da unidade veem o processo como o fim de um ciclo, por isso realizaram nesta terça-feira (13) a cerimônia do rito de passagem.

A ideia surgiu com a meta de dar uma segurança emocional de uma forma diferente da formatura tradicional, que já não se encaixa mais no modelo da rede municipal. O objetivo é deixar uma mensagem de alegria e gerar um sentimento de coragem para o início da próxima etapa de ensino.

Pelo fato de o evento acontecer depois do horário normal de funcionamento, foi necessária a colaboração com a comunidade escolar como um todo. “Os pais gostaram da ideia, se comprometeram em participar e fizeram até doações”, afirma a diretora Maria Claudia Vieira.

O rito começou na própria sala de referência, onde foi servido um jantar com pizza e suco. As crianças depois foram para o refeitório, onde foi montada uma roda para cantorias e contação da história “A menina da lanterna”. Em seguida, todas as crianças foram para o parque da unidade, onde foi preparada uma fogueira, queima de palha de aço, marshmallows e uma banda para apresentação.
Após este momento as famílias chegaram e puderam participar. Em seguida foi feita uma ciranda com todos e lanternas foram entregues, marcando o final da cerimônia.

O fogo foi um tema recorrente em toda a noite de rito. Para a diretora, isso carrega um significado forte. “O fogo, a luz e a chama são paralelos com a ideia de transformação passada pelas crianças nesta noite. Aí entra a fogueira, as lanternas e a queima da palha de aço”, afirma a diretora.

Importância pedagógica

Em primeiro plano, uma lanterna com velas. Em segundo plano, uma professora e um estudantes brincam com palha de aço.

Ao ingressar no ensino fundamental, o ambiente se difere tanto no espaço físico – maior, mais variado e com mais estudantes -, quanto no aprendizado, que num primeiro momento será focado no processo de alfabetização.

A Formadora da Divisão de Educação Infantil da SME, Ana Bárbara, acredita que o fim do ciclo de educação infantil não deve ser visto como uma ruptura brusca. “É preciso criar um ambiente onde a estrutura nova não seja vista como uma quebra, mas sim como um processo natural, de uma forma onde a ampliação das relações seja assimilada facilmente pelo estudante”, aponta a formadora.

A proposta do rito de passagem na EMEI Monteiro Lobato se encaixa na visão da Divisão Infantil, que por sua vez está em sintonia com o Currículo da Cidade. O documento de Educação Infantil explica: “cabe aos adultos propiciar às crianças confiança, segurança, boas expectativas para enfrentar os desafios que são colocados pelo crescimento e pelas mudanças educacionais que esse desenvolvimento propicia”.

Em relação à unidade educacional definida, é diferente da transição de Centro de Educação Infantil (CEI) para Escolas Municipais de Educação Infantil (EMEIs), onde as crianças permanecem em unidades da rede municipal.

A transição para o ensino fundamental inclui, desde 1998, as Escolas Municipais de Ensino Fundamental (EMEFs) e também as escolas de ensino fundamental da rede estadual de São Paulo. No caso da EMEI em questão, as quatro escolas de ensino fundamental mais próximas são da rede estadual.

Notícias Mais Recentes

Relacionadas

1 2 3 1.310