Notícias

EMEF Cidade Dutra nas ondas do rádio

Atividade tem o objetivo de incentivar o protagonismo estudantil e colocar alunos em contato com tecnologias de comunicação

Publicado em: 21/10/2016 9h49 | Atualizado em: 30/11/2020
Nas ondas do radio_740x430.jpg

A Escola Municipal de Ensino Fundamental (EMEF) Cidade Dutra, que fica dentro do Centro Educacional Unificado (CEU) Cidade Dutra, trabalha o projeto “Nas Ondas do Rádio” entre os alunos. A atividade existe há quatro anos na unidade e tem o objetivo de incentivar o protagonismo estudantil e colocar os jovens em contato com tecnologias de informação e comunicação.

Voltado para alunos que estão entre o 5º e o 9º ano, o projeto “Nas Ondas do Rádio” atende atualmente 13 estudantes, de 9 a 14 anos, divididos em duas turmas: uma de manhã e outra à tarde. Os encontros ocorrem duas vezes por semana e as responsáveis por coordenar a iniciativa, as Professoras Daniela Nascimento e Kátia Boaventura, passam conteúdo teórico para os jovens, fazem oficinas, dividem as tarefas e auxiliam os jovens quando necessário.

Entre o conteúdo teórico trabalhado nas reuniões do projeto estão: história do rádio, linguagens, gêneros e formatos radiofônicos, equipamentos de rádio, estrutura de um programa de rádio, exposição oral das vinhetas, notícias, entrevistas e informações de utilidade pública, etapas da montagem de programas radiofônicos, tutorial do software, formatação do jornal mural, locução e pauta.

Prática – O projeto busca trabalhar bastante a parte prática, passando para os alunos como é o dia a dia de uma rádio. Eles fazem pesquisa, escolhem músicas para tocar no intervalo das aulas e até cobrem eventos. Esse ano, por exemplo, estiveram presentes na Bienal Internacional de Arte de São Paulo, na Bienal Internacional do Livro de São Paulo e na 2Brasil Game Show, além de outros eventos realizados no CEU Cidade Dutra.

Emily Fernanda de Oliveira começou a participar do projeto em 2015. Para ela, a atividade tem sido importante porque a ajuda a superar a timidez. “Antes eu não falava nada. Hoje, quando a rádio precisa, falo com as pessoas, faço perguntas”, relata a aluna de 14 anos. Já Gabriela Provasi e Davi Soares, ambos também com 14 anos, dizem que o projeto despertou neles a vontade de trabalhar nesse tipo de mídia. “Quero trabalhar na parte mais técnica. Gosto mais dessa área”, explica o garoto.

Abacaxi na Churrasqueira – É da responsabilidade dos alunos também fazer a edição das matérias e a divulgação delas na página de Facebook da rádio, cujo nome é Rádio Abacaxi na Churrasqueira. Naara Corrêa, 14 anos, diz que o nome foi uma sugestão de um dos alunos da escola, que havia comido abacaxi na churrasqueira e adorado. “Gostamos do nome. Até porque o abacaxi é uma fruta ruim de descascar, mas quando você faz isso ele é delicioso. Achamos que refletia a situação da rádio: no começo foi muito difícil colocar ela no ar, mas agora adoramos e nos divertimos muito”, completa a estudante, que participa do projeto desde o começo.

Para Emily Fernanda de Oliveira, que começou a participar do projeto em 2015, a atividade tem sido importante porque ajuda a superar sua timidez. “Antes eu não falava nada. Hoje, quando a rádio precisa, falo com as pessoas, faço perguntas”, relata a aluna de 14 anos. Já Gabriela Provasi e Davi Soares, ambos também com 14 anos, dizem que o projeto despertou neles a vontade de trabalhar nesse tipo de mídia. “Quero trabalhar na parte mais técnica. Gosto mais dessa área”, explica o garoto.

Ao término de cada aula, os alunos fazem uma autoavaliação na qual apontam as ações que conseguiram desenvolver e as que necessitam de apoio para executar. A avaliação geral do projeto é feita por meio de registros no diário de classe e leva em conta a participação direta e indireta dos alunos. Todas as aulas são registradas a fim de sistematizar as experiências e monitorar a evolução da prática dos envolvidos nas ações.

A Professora Daniela Nascimento foi uma das fundadoras do projeto. Para ela, a iniciativa tem evoluído ao longo dos anos e chamado cada vez mais a atenção dos demais alunos, da direção da escola e também da gestão do CEU. “Nós conquistamos um espaço muito importante aqui. Temos nosso próprio espaço para trabalhar com as crianças. Nosso equipamento. As pessoas veem o resultado deste trabalho, percebem que ele está dando certo e apoiam. É muito gratificante”, comemora.

Conheça a fanpage da Rádio Abacaxi na Churrasqueira.

Notícias Mais Recentes

Relacionadas

Fotografia de um rapaz, dos olhos para baixo. Ele está escrevendo em uma agenda. Ao fundo há um computador portátil e uma planta desfocados.

IFSP recebe inscrições para especialização em Educação Profissional e Tecnológica

Publicado em: 21/06/2022 2h18 - em Secretaria Municipal de Educação

Junho Migrante - diversos retratos de crianças com a imagem de um mapa do mundo

SME promove o Junho Migrante com rodas de conversa sobre migração

Publicado em: 21/06/2022 12h16 - em Secretaria Municipal de Educação

Fotografia fragmentada mostra 3 pares de pés, todos com o pé esquerdo no chão e o direito pouco levantado. No tornozelo direito da pessoa que está no meio há uma tornozeleira para dança de origem indígena, as pessoas que estão nas extremidades têm uma tornozeleira feita de material reciclável.

SME reúne relatos de práticas pedagógicas sobre histórias e culturas indígenas

Publicado em: 20/06/2022 4h12 - em Secretaria Municipal de Educação

Sobre um fundo verde, um mapa da cidade de São Paulo e os dizeres: Curriculo da Cidade, Considerações do Conselho Municipal de Educação de São Paulo

Conselho Municipal emite parecer sobre o Currículo da Cidade

Publicado em: 15/06/2022 3h02 - em Conselho Municipal de Educação

Fotografia de um garoto adolescente sentado em uma escada e mexendo no celular

Estudantes participam do Projeto “Sou Adolescente, e agora?”

Publicado em: 15/06/2022 12h52 - em Secretaria Municipal de Educação

1 2 3 4 5 1.248