Notícias

Educadores da EMEF Mururés participam de palestra sobre diversidade étnico-racial

Projeto da unidade visa à valorização da cultura afro-brasileira e o combate ao racismo no ambiente escolar.

Publicado em: 09/01/2017 10h59 | Atualizado em: 30/11/2020

murares_740_x_430.jpg

No mês de março de 2015, a Escola Municipal de Ensino Fundamental (EMEF) Mururés localizada no Jardim Helena, região leste da capital, promoveu um encontro dos professores que participam do horário coletivo com Sidnei Barreto Nogueira, Professor Linguista e Doutor em Semiótica do Discurso Racista pela Universidade de São Paulo (USP) e sacerdote do Candomblé.

Para os Coordenadores Pedagógicos da unidade Armando Alvino Ferreira Neto e Gisele Soto Avanzo, o evento é o pontapé inicial para essas discussões e não pode ficar só no papel. “Esse encontro de orientação pedagógica sobre diversidade étnico-racial busca garantir subsídios teóricos e metodológicos sobre a temática aos professores” afirmou Armando. “A informação abre possibilidades para o desenvolvimento do trabalho pedagógico com os alunos, desconstruindo estereótipos e, sobretudo, as discriminações que interferem negativamente na convivência escolar”, concluiu.

A ação formativa é parte do projeto da unidade “As relações étnico-raciais nos processos de ensino de Aprendizagem” que, segundo Armando, surgiu da necessidade de se estabelecer um diálogo a respeito dos assuntos ligados a Promoção da Igualdade Racial na Escola, a fim de se criar novas relações entre os alunos, suas identidades e empoderamento perante a autoestima e a representatividade negra, desconstruindo os preconceitos estabelecidos ao longo da formação sócio/cultural brasileira.

O desenvolvimento do projeto educacional da unidade que é jurisdicionada à Diretoria Regional de Educação (DRE) São Miguel é respaldado pela Lei Federal 10.639/03 que trata da obrigatoriedade do ensino da história e cultura afro-brasileira e africana, além de ressaltar a importância da cultura negra na formação da sociedade brasileira. “Durante todo o desenvolvimento do projeto daremos oportunidades aos professores para vivências que contribuam para a desmistificação da cultura negra como, por exemplo, a visita que fizemos ao Museu Afro-Brasil, no dia 6 de abril” disse Armando.

Para o professor Sidnei a formação docente colabora para o enfrentamento dos problemas. “Compreender e respeitar a diversidade constitui uma ação sinônima à ‘cultura de paz’. Compreender as diferenças e os supostamente diferentes contribui para a ausência de violência dentro e fora do ambiente escolar”, ponderou.

Notícias Mais Recentes

Relacionadas

Fotografia mostra vários integrantes de uma fanfarra vestidos com uniforme azul marinho e laranja e seus instrumentos musicais.

Grande Final da 20ª edição FEMIC 2023 no CEU Água Azul

Publicado em: 08/12/2023 1h19 - em Secretaria Municipal de Educação

Foto de professores e estudantes no evento Estudantes Em Ação

Escolas da Rede Municipal de Educação de SP recebem prêmio Estudantes em Ação

Publicado em: 07/12/2023 5h56 - em Secretaria Municipal de Educação

Montagem com seis fotos. Elas mostram crianças experimentando sala de frutas, cenoura, laranja e plantando.

Crianças de CEI têm vivências lúdicas sobre a importância de se alimentar bem

Publicado em: 07/12/2023 3h45 - em Secretaria Municipal de Educação

Imagem com fundo roxo, o título diz
Fotografia de dois estudantes sentado frente a frente em uma entrevista.

Programa Imprensa Jovem celebra 18 anos 

Publicado em: 06/12/2023 5h37 - em Educomunicação

1 2 3 4 1.409