Notícias

DRE Penha participa de Oficina de “Desprincesamento”

Projeto visa ensinar meninas a quebrarem padrões e a valorizarem as suas identidades e singularidades

Publicado em: 29/03/2017 17h08 | Atualizado em: 30/11/2020

DRE_Penha_participa_de_Oficina_Desprincesamento_740_x_430.jpg

No dia 24 de março, educadores das Unidades Educacionais da Diretoria Regional de Educação (DRE) Penha participaram no SESC Itaquera da palestra e bate-papo “As Princesas Convencionais e Outras Princesas Possíveis”, ministrado pelas idealizadoras do projeto “Desprincesamento” no Brasil, a jornalista Mariana Desimone e a pedagoga Larissa Gandolfo. Esta ação faz parte do ciclo de projetos oferecido pelo Serviço Social do Comércio (SESC) “Trocando Figurinhas”.

O projeto Desprincesamento nasceu na cidade de Iquique, no Chile, criado pelo Escritório de Proteção de Direitos da Infância da cidade. Posteriormente, o órgão ofereceu uma capacitação para mulheres latino-americanas também aplicarem a oficina a meninas que vivem em situação de vulnerabilidade.

Mariana Desimone explicou que, após um terremoto em Iquique, foram criados “bairros de emergência”. Lá, foi percebido que as meninas ficavam muito vulneráveis a situações de assédio e violência, e que a ideia de ser princesa deixava as meninas ainda mais suscetíveis a esse tipo de ataque. “Ao aprender a ser dócil e obediente, não falar alto e não oferecer nenhum tipo de resistência, a menina tende a achar que é normal e aceitável um caso de abuso”, disse Mariana.

Larissa Gandolfo iniciou a sua fala explicando o funcionamento do curso e o que acontece durante os encontros. “O curso vai falar sobre identidade. A nossa ideia é apresentar o que é uma princesa e fazer as meninas entenderem de que forma esse modelo coincide com o que elas acreditam que é ser menina”, explanou Larissa.

As palestrantes trataram sobre assuntos delicados como o assédio. Abordaram a forma como as meninas devem lidar com essa questão e como os educadores podem ajudá-las. Também falaram sobre a questão da quebra de padrões de beleza, a liberdade, valorização da identidade e singularidade de cada um. Houve grande participação por parte destes educadores que, preocupados com a formação de seus alunos, perguntaram e debateram ideias referentes a estes e outros diversos temas apresentados.

A representante da Divisão dos Centros Unificados e da Educação Integral (DICEU) da DRE Penha, Sandra Magraner, relatou as suas considerações acerca do projeto. “Foi uma oficina muito proveitosa a todos nós. Esse “desprincesamento” não abrange só a parte física, mas também a inserção social e política. Para nós, enquanto educadores, foi uma oficina muito boa e que veio para agregar muitos conhecimentos. Eu acredito que esse projeto deve ter continuidade e que devemos aprofundar o tema em alguns aspectos para lidarmos pedagogicamente com as nossas crianças”, explicou.

Notícias Mais Recentes

Relacionadas

ilustração de crianças usando uniforme escolar azul e branco, com silhueta da cidade ao fundo com balões representando idiomas variados simbolizados pelas bandeiras dos países.

Estudantes da Rede Municipal de SP podem manifestar interesse em aprender idiomas no CELP

Publicado em: 19/01/2022 11h05 - em Secretaria Municipal de Educação

Imagem de uma mão sobre o computador.

SME abre processo seletivo interno para coordenador de Polo UniCEU

Publicado em: 14/01/2022 5h27 - em Secretaria Municipal de Educação

fotografia de professora atendendo um garoto em sua mesa. Todos usam máscara facial.

SME publica classificação definitiva dos candidatos para eventual contratação

Publicado em: 14/01/2022 10h30 - em Secretaria Municipal de Educação

fotografia de dois notebooks sobre uma mesa
Imagem com diversas antenas.

Prefeitura sanciona Lei das Antenas

Publicado em: 13/01/2022 12h07 - em Secretaria Municipal de Educação

1 2 3 1.211