Notícias

Dezembro Migrante: Construindo Propostas de Combate à Xenofobia

Entre outubro e dezembro 50 educadores participaram de curso que celebra a diversidade dos povos.

Publicado em: 22/12/2023 16h19 | Atualizado em: 22/12/2023
imagem com desenho de um globo terrestre

No mês em que se celebra o Dia Internacional dos Migrantes (18 de dezembro), 50 educadores da Rede Municipal de Educação finalizaram o curso “Dezembro Migrante: Construindo Propostas de Combate à Xenofobia”. A iniciativa, promovida pela Divisão de Currículo, por meio do Núcleo de Educação Étnico Racial – Migrante, foi iniciada em outubro com uma visita ao Museu da Imigração. 

Já no primeiro encontro os participantes puderam conhecer a história do museu, que já foi uma hospedaria de migrantes, e iniciar o planejamento de visitas com suas turmas.

A cidade de São Paulo, que nos últimos anos têm testemunhado um aumento significativo na chegada de migrantes internacionais, recebeu, em 2023, mais de 11 mil alunos migrantes de mais de 100 nacionalidades diferentes. Além disso, mais de 19 mil matrículas foram realizadas para alunos brasileiros cujos responsáveis nasceram em outros países, reforçando a potência da diversidade cultural na Rede Municipal de Ensino.

Carolinne Mendes, responsável pela frente Povos Migrantes do NEER, destacou a importância da visita prévia: “A formação possibilitou que os profissionais da educação pudessem planejar a visita cuidadosamente, começando a sensibilização para os temas que seriam tratados no Museu da Imigração.”

Como atividade de conclusão da formação, os(as) cursistas apresentaram seus percursos, utilizando diversas abordagens para sensibilizar os alunos sobre a temática da migração. Segundo Carolinne, “Percebemos que alguns iniciaram essa sensibilização com o uso de livros literários com o tema da migração que já estavam nas escolas, por exemplo, outros utilizaram vídeos e imagens que sugerimos. Assim, possibilitaram que a visita fizesse sentido. Muitas turmas depois continuaram o estudo a partir dos conteúdos do museu e da preservação de memória, algumas, por exemplo, montaram suas próprias coleções na escola, colocando em prática a ideia de curadoria e sempre com o olhar que tornasse visível a diversidade.”

A diversidade de métodos não apenas sensibilizou os educadores, mas também permitiu a construção de propostas eficazes de combate à xenofobia, fortalecendo a rede educacional como um ambiente acolhedor e plural.

Notícias Mais Recentes

Relacionadas

Fotografia de grupo de jovens em participação de uma reunião

SME incentiva que estudantes, familiares e profissionais façam parte das instâncias de participação

Publicado em: 27/02/2024 12h36 - em Secretaria Municipal de Educação

Fotografia de cinco estudantes com a camiseta laranja do Imprensa Jovem. Três estudantes estão sentados em bancos altos em frente a uma estante de livros e a menina que está no meio segura um microfone e um celular. Todos olham para o celular. Em primeiro plano, de costas para o ângulo da fotografia, um menino manuseia o tripé em que está a câmera e o celular, atrás de sua camiseta laranja está escrito em preto Imprensa Jovem. Em frente a ele, e também de costas para o ângulo da foto, há mais uma estudante.
Design Sem Nome (1)

DRE Guaianases promove reunião de organização

Publicado em: 22/02/2024 4h37 - em Diretoria Regional de Educação Guaianases

Imagem dividida em 3 retângulos, cada um com imagens que fazem alusão à símbolos indígenas
Foto de um adulto, com camiseta do Fab Lab, escrevendo em uma lousa branca, crianças acompanhando , tanto em pé, ao lado da lousa, como sentados.

Rede Fab Lab Livre SP abre agenda de oficinas para estudantes e professores da Rede Municipal

Publicado em: 22/02/2024 11h30 - em Secretaria Municipal de Educação

1 2 3 1.427