Notícias

Curso Viver Literatura reúne cerca de 400 pessoas na Academia Paulista de Letras.

Educadores apreciaram música e poesia no encontro

Publicado em: 08/08/2017 15h25 | Atualizado em: 30/11/2020

alp_sp_740_x_430.jpg

No dia 2 de abril, uma tarde de sábado, teve início na Academia Paulista de Letras (APL) o Curso “Viver Literatura”, promovido pela equipe gestora do Projeto Academia Estudantil de Letras (AEL), da Secretaria Municipal de Educação (SME). A formação pretende ampliar o universo cultural dos educadores, promovendo o protagonismo acadêmico, com a formação da Academia de Letras dos Professores na cidade de São Paulo – ALP-SP, que se organizará com os professores que assumirem uma cadeira literária, na cerimônia de posse, ao final do curso.

Abrindo o encontro, a professora Sueli Vaz, coordenadora do Projeto apresentou o grupo de cordas “Quarteto Zimmer”, que executou o primeiro movimento para cordas, de Nepomuceno. O grupo camerístico feminino é formado pelos violinos de Ana Cavalheiro e Gabriela Fogo, a viola clássica de Jennifer Cardoso e o violoncelo de Patrícia Rezende Vanuci.

Em seguida, Nelson Pascarelli Filho, professor de Ciências, na Escola Municipal de Ensino Fundamental (EMEF) Anália Franco Bastos, Diretoria Regional de Educação (DRE) Penha, abordou a importância de Nepomuceno para a história da música erudita brasileira. A palestra ampliou-se com a análise da obra de Manuel Bandeira que, segundo o professor, tem intensa musicalidade e foi o poeta que mais teve poemas musicados, tanto por compositores eruditos como populares. Pascarelli, como estudioso de Literatura e também escritor de vários livros científicos e didáticos, ocupará a cadeira de Moacyr Scliar, na ALP-SP. Fechando a fala de Pascarelli, o quarteto executou Azulão, música de Jayme Ovalle e poesia de Bandeira.

Dando continuidade, a professora Solange Romagnoli de Andrade, que atualmente faz parte do grupo gestor da AEL, falou sobre o processo de escolha de seu amigo literário, o poeta matogrossense Manoel de Barros, cujo centenário é comemorado neste ano. Ela apresentou poesias e um trecho do documentário, “Só dez por cento é mentira”, que foi premiado no Festival de Cinema de Paulínia (2009), do diretor Pedro Cezar, considerado como a “desbiografia” oficial sobre o poeta. No trecho apresentado, o diretor mostra que o poeta, por mais de setenta anos, não deu entrevista gravada, por se considerar um “ser letral”. Segundo Solange, Manoel se descrevia poeticamente como “Eu sou dois seres. O primeiro fruto do amor de João e Alice. O segundo é letral… O primeiro está aqui de unha, roupa, chapéu e vaidade. O segundo está aqui em letras, sílabas, vaidades e frases”, dizia o poeta.

Em seguida, os professores participantes, ao lado da idealizadora do Projeto Academia Estudantil de Letras, professora Maria Sueli Fonseca Gonçalves, compartilharam,no “Momento Poético”, leituras e autores de sua preferência. Segundo Suelizinha, foi uma manifestação de autêntico protagonismo acadêmico, além de ser uma oportunidade para muitos educadores conhecerem e se envolverem com o Projeto AEL.

O encontro foi encerrado com a exibição do vídeo “Trem de Ferro”, poema de Manuel Bandeira, musicado por Tom Jobim e cantado por Olívia Hime.

Notícias Mais Recentes

Relacionadas

Ilustração de uma jovem negra que é personagem da Revista Jovenilda e sua turma
fotos dos itens que compõe o uniforme das escolas da prefeitura de São Paulo
Fachada de uma Escola Tecnica Estadual - Etec

Aluno da EMEF Coelho Neto conquista primeiro lugar em curso da ETEC São Mateus

Publicado em: 27/01/2023 11h06 - em Secretaria Municipal de Educação

Foto de crianças da Emebs Lucie Bray fazendo pintura em plástico transparente. Uma professora os auxilia
fotografia de auditório com aReunião De Planejamento

SME promove Organização Pedagógica de 2023

Publicado em: 24/01/2023 5h08 - em Secretaria Municipal de Educação

1 2 3 4 1.311