Estudante Presente Transforma Futuros

Na cidade de São Paulo ninguém fica fora da escola.

Criança, adolescente, estudante municipal, estadual ou federal. Se reside no município, toda a cidade vai cuidar para que frequentem a escola.

O que é

Evasão Escolar e a
cidade de São Paulo

Evasão escolar é o que ocorre quando um aluno  não efetua a matrícula para dar continuidade aos estudos no ano seguinte e, historicamente, é um dos tópicos que faz parte dos debates e análises sobre a educação pública.

Esse é um problema que afeta principalmente quem já vive em situação de vulnerabilidade, por apresentar múltiplas causas, em diversas medidas inter-relacionadas entre si. Ainda segundo a UNICEF, a maioria dos estudantes fora da escola é composta por pretas(os), pardas(o) e indígenas, que  como resultado de um processo histórico de invisibilidade, abandono e silenciamento, nega  o direito dessas(es) crianças e adolescentes ao conhecimento sistematizado, ao desenvolvimento de habilidades e valores necessários à socialização do indivíduo e à possibilidade de fazer escolhas no presente e no futuro.

Na cidade de São Paulo, entre os anos de 2016 e 2019, registrou-se uma diminuição das desigualdades dentro do município, apresentando melhora nos indicadores de exclusão escolar, de 1,12% para 0,95%.

Então, veio a pandemia da Covid-19, que aumentou as dificuldades e problemas sociais que levam ao isolamento e até a exclusão de crianças e adolescentes, com escolas fechadas e estudantes sem condições de se manter aprendendo em casa – seja por falta de acesso à internet, pelo agravamento da situação de pobreza e outros fatores.

É momento de  mobilizar a sociedade, engajando toda a população no incentivo à matrícula, frequência escolar e a re-matrícula, enfrentando um grande problema educacional que assola a sociedade paulista há muitos anos.

Sobre
a campanha

Inspirados pelo provérbio africano, “é preciso uma aldeia inteira para educar uma criança”, e pelas sábias palavras do professor Paulo Freire, “ensinar não é transferir conhecimento, mas criar as possibilidades para a sua própria produção ou a sua construção”, a campanha Estudante Presente Transforma Futuros visa trazer consciência sobre a importância das crianças e adolescentes frequentarem as escolas regularmente e destacar a importância do envolvimento de toda a sociedade na educação e formação dos indivíduos.

Ao longo da campanha, diversas ações vão  incentivar a reflexão de cada um para contribuir de diferentes maneiras, reconhecendo que o aprendizado vai além das fronteiras familiares e é enriquecido pela interação com a comunidade mais ampla.

entenda

Estratégias de
combate à
evasão escolar

Abaixo, listamos algumas medidas de dessa problemática
que assola a educação brasileira e paulista há tanto tempo:

1ª Ação

Promoção da Busca Ativa Escolar  e acompanhamento para que os alunos não deixem suas escolas.

2ª Ação

Oferta de apoio psicológico para que o jovem tome melhores decisões, não apenas no âmbito escolar, mas em sua vida como um todo. Apoiá-los os aproxima mais da escola.

3ª Ação

Reforço escolar, apoio interdisciplinar para superar defasagens escolares e promover o desenvolvimento de múltiplas competências, especialmente para alunos em situação de maior vulnerabilidade social.

4ª Ação

Promover e participar de (agir/ fazer a sua parte) campanhas de conscientização para o combate à evasão escolar que engajem alunos, familiares, comunidade escolar, empresas, organizações e toda a sociedade.

para entender em números

DADOS SOBRE A
EVASÃO ESCOLAR

2 milhões

de jovens brasileiros de 11 a 19
anos abandonaram a escola

11%

desses jovens brasileiros de 11 a 19 não frequentam a escola*

 

60,3%

 dos brasileiros completaram o ciclo escolar até os 24 anos

 

52 milhões de brasileiros não completaram o ensino médio

A  pesquisa “Educação brasileira em 2022 – a voz de adolescentes”, realizada pela Unicef, em 2022, com jovens entre 11 e 19 anos de idade, apontou que, 2 milhões deles,  haviam deixado a escola no Brasil. 11% dos entrevistados não frequentaram a escola, sendo que, nas classes A e B, o percentual é de 4%, enquanto, nas classes D e E, chega a 17%, ou seja, um percentual quatro vezes maior. Isso significa que as desigualdades sociais acentuam o problema.

Sobre o principal motivo da causa da evasão, o levantamento “Combate à Evasão no Ensino Médio: desafios e oportunidades” afirma que 48% das pessoas deixaram de estudar “porque tinham de trabalhar fora”. O estudo, divulgado em 2023, pela Firjan SESI, em parceria com o PNUD, aponta ainda que  apenas 60,3% dos jovens brasileiros completam o ciclo escolar até os 24 anos.  Ainda, de acordo com a PNAD de 2022, cerca de 18% dos jovens entre 14 a 29 anos de idade no Brasil (o que equivale a 52 milhões de pessoas) não completaram o ensino médio, ou porque abandonaram, ou porque nunca frequentaram a escola.

o que ja fizemos

Ações promovidas Secretaria Municipal de Educação de São Paulo

Entre as ações concretas que já desenvolvidas na Rede Municipal de Ensino (RME) de São Paulo para manter a frequência dos alunos e combater a evasão escolar estão o transporte escolar gratuito, auxílio para material escolar e uniforme, o Núcleo de Apoio e Acompanhamento para a Aprendizagem (NAAPA), a busca ativa de alunos e a contratação de mães guardiãs, assim como a presente campanha “Estudante Presente Transforma Futuros”.

unidos em prol do futuro

Quem promove a campanha

Em Cooperação

Estudante Presente Transforma Futuros é uma campanha da Unesco, em parceria com a Secretaria Municipal de Educação de São Paulo (SME/SP), com o objetivo de mobilizar não apenas a comunidade escolar e pais de alunos, mas toda a sociedade no combate à evasão escolar em São Paulo. Esse é um verdadeiro chamado para que todos apoiem a educação e incentivem os alunos a voltarem às salas de aula.