• Ir para Facebook da Secretaria Muncipal de Educação de São Paulo
  • Ir para Instagram da Secretaria Muncipal de Educação de São Paulo
  • Ir para YouTube da Secretaria Muncipal de Educação de São Paulo
fotos de estudantes e texto Bem Vindo De Volta

Perguntas Frequentes sobre o Retorno às aulas presenciais na cidade de São Paulo

A Prefeitura autorizou o retorno às atividades presenciais, respeitando o limite de 35% da capacidade de atendimento de cada escola. Isto vale para todas as escolas: municipais e estaduais, na rede pública e privada. A medida também se aplica a todas as etapas de ensino: Educação Infantil, Fundamental, Ensino Médio e Educação de Jovens e Adultos – EJA.

Nas escolas municipais, o retorno acontecerá em dois momentos distintos:

1) As atividades de planejamento retornaram de maneira remota no dia 01/01/21 e presencial no dia 10/02/21, com rodízio nos dias 10,11 e 12/02.

Com exceção dos professores em teletrabalho nos termos do artigo 6º do Decreto nº 59.283/20.

2) A partir do dia 15 de fevereiro: início das aulas presenciais regulares.

As aulas presenciais seguirão o horário regular de atendimento para cada etapa. No Ensino Fundamental, por exemplo, serão de 5 horas diárias, podendo acontecer um revezamento organizado pela escola, para respeitar o limite de 35% da capacidade de atendimento. A quantidade de dias que os estudantes frequentarão a escola pode variar em cada unidade educacional, de acordo com o número de estudantes que aderirem às aulas presenciais (e serão comunicadas pela própria escola diretamente às famílias).

Cada unidade educacional entrará em contato com as famílias que manifestarem interesse pelo retorno presencial para realizar as devidas orientações sobre a organização.

Não.  As famílias podem decidir se os(as) estudantes retornam ou não às aulas presenciais. A consulta com a família foi feita, por meio de formulário eletrônico que será disponibilizado no Portal da Secretaria Municipal de Educação (SME) e pelas Unidades Educacionais.

Quaisquer estudantes com doenças que sejam fator de risco para a COVID-19 não devem retornar às aulas.

Todos os(as) profissionais da Educação (professores(as), equipe gestora e quadro de apoio) são obrigados a retornar, exceto professores com mais de 60 anos ou com comorbidades (como diabetes, hipertensão arterial grave e doenças renais crônicas).

Não. O retorno presencial é facultativo aos estudantes. Os que optarem pelo ensino remoto deverão realizar obrigatoriamente as atividades na plataforma Google Classroom ou em outros meios disponibilizados – inclusive material impresso a ser retirado pelos responsáveis, conforme organização da UE.

Por enquanto, não haverá aulas presenciais no contraturno escolar. As aulas de reforço, no contraturno, permanecerão online.

– Um kit individual com sabonete, 3 máscaras e 1 caneca será entregue a cada estudante da Rede Municipal de ensino que retornar às aulas presenciais;

– Será garantido o fornecimento permanente de sabão líquido, papel higiênico e papel toalha nos banheiros;

– Será feita a revisão das torneiras e dispositivos de sabão, papel toalha e das tampas das privadas;

– Os e as estudantes serão orientados a fechar a tampa da privada antes de acionar a válvula da descarga, evitando aerossóis e contaminação das superfícies.

– As salas de aula devem ser organizadas de modo a respeitar o distanciamento mínimo entre as mesas e entre estas e a mesa do professor.

– Outras medidas, que serão comunicadas às famílias pelas escolas, estão disponíveis no Protocolo de Volta às aulas

Não. O fornecimento de crédito no cartão alimentação permanece neste ano para todos os estudantes da Rede Municipal de Ensino, até que a pandemia tenha fim.  Acesse aqui mais informações sobre o cartão alimentação.

As Unidades Básicas de Saúde (UBS, são 472 ao todo no município) acompanharão todas as 4 mil escolas municipais (diretas e da rede parceira). Em 28 delas, espalhadas por toda a cidade, o monitoramento será mais intensivo (são as “Escolas Sentinelas”, que servirão de modelo e termômetro para as decisões da Prefeitura acerca da maior ou menor flexibilização dos protocolos).

A própria escola faz a organização, seguindo as diretrizes presentes no documento Organização Geral 2021 (disponível na página de Volta às Aulas do Portal de SME).

O percentual de 35% dos estudantes matriculados, respeitando a proporção em cada turno, vale para todos as unidades educacionais. Mas talvez não seja necessário fazer rodízio, caso a adesão ao retorno presencial seja inferior a 35% da capacidade de atendimento.

Não. Voltar ou não às aulas presenciais é uma decisão da família.