Ensino Médio

Apresentação

Logo

O Ensino Médio, última etapa da Educação Básica, está presente em 9 (nove) Unidades Educacionais da Rede Municipal de Ensino, que atendem 2.409 estudantes (dados fornecidos em maio do presente ano pela Coordenadoria de Informações Educacionais – CIEDU). Dessas Unidades Educacionais, 8 (oito) atendem estudantes em anos iniciais e finais do Ensino Fundamental e são denominadas de Escolas Municipais de Ensino Fundamental e Médio (EMEFM). Também temos a Escola Municipal de Educação Bilíngue para Surdos, a EMEBS Helen Keller que, desde 2019, também possui atendimento a esta etapa, comtemplando estudantes da Educação Infantil, do Ensino Fundamental e do Ensino Médio passando a ser a primeira escola pública a oferecer todas as etapas da Educação Básica Bilíngue.

Temos um grande diferencial no que se refere à nossa Matriz Curricular, pois na Área de conhecimento das Linguagens e suas Tecnologias, oferecemos o componente curricular de Língua Espanhola, além da Língua Inglesa.

 

Produções dos professores do Ensino Médio

Formação Projeto de Vida e o novo Ensino Médio, assista:

CONHECENDO NOSSAS ESCOLAS

Nossas Unidades Educacionais que oferecem Ensino Médio estão em diferentes regiões da capital paulista. São elas: EMEFM Antônio Alves Veríssimo, localizada no bairro Jaraguá e EMEFM Guiomar Cabral, localizada no bairro Jardim Cidade Pirituba – ambas pertencentes à Diretoria Regional de Educação Pirituba/Jaraguá – DRE P/J; EMEFM Professor Derville Allegretti e EMEFM Vereador Antônio Sampaio, ambas localizadas no bairro de Santana – Diretoria Regional de Educação Jaçanã/Tremembé – DRE J/T; EMEFM Darcy Ri beiro, localizada no bairro de São Miguel Paulista – Diretoria Regional de Educação São Miguel – DRE MP; EMEFM Oswaldo Aranha Bandeira de Mello, localizada na Cidade Tiradentes – Diretoria Regional de Educação Guaianases – DRE G; EMEFM Professor Lin neu Prestes, localizada no bairro de Santo Amaro – Diretoria Regional de Educação Santo Amaro – DRE SA; EMEFM Rubens Paiva, localizada no bairro Jardim Ângela – Diretoria Regional de Educação São Mateus – DRE SM e EMEBS Helen Keller, localizada no bairro da Aclimação – Diretoria Regional de Educação Ipiranga – DRE IP.

HISTÓRICO DAS EMEFM E DA EMEBS HELEN KELLER

As 8 (oito) Es colas Municipais de Ensino Fundamental e Médio (EMEFM), assim como a EMEBS Helen Keller, ultrapassam os territórios nos quais estão inseridas, recebendo estudantes dos diferentes bairros da capital paulista e de diversos municípios na Grande São P aulo, como Guarulhos, Itaquaquecetuba, Santo André etc. Cada uma delas possui características ímpares, projetos próprios e grande reconhecimento da comunidade atendida, sendo procuradas pela qualidade de suas propostas pedagógicas.

EMEFM Antônio Alves Veríssimo

Criada em 1985 a partir da doação de um prédio construído e equipada para instalação de uma escola de Educação Infantil, como resultado de um acordo com a Prefeitura do Município de São Paulo, recebeu o nome do fundador da rede que havia ofertado o prédio. A Escola Municipal de Primeiro Grau Antônio Alves Veríssimo pa ssa a oferecer 2º Grau a partir de 1992, sendo, posteriormente, denominada EMEFM Antônio Alves Veríssimo. Oferece o Ensino Fundamental e o Ensino Médio Regular.

EMEFM Vereador Antônio Sampaio

Inaugurada em julho de 1996 no terreno utilizado, anteriormente, pelo c Clube Desportivo Municipal de Santana – CDMS, a E.M.P.G. “Vereador Antônio Sampaio” teve sua nomenclatura alterada em setembro do mesmo ano para E.M.P.S.G. “Vereador Antônio Sampaio”, ao ser autorizada a oferecer o curso de Técnico em Processamento de Dados, descontinuado posteriormente. Atualmente, oferta o Ensino Fundamental e o Ensino Médio Regular.

EMEFM Darcy Ribeiro

Anteriormente denominada E.M.P.S.G “São Miguel Paulista”, foi criada em outubro de 1996, ofertando o curso secundário com habilitação específica para o Magistério. Teve seu nome alterado no ano de 1997 para EMEFM Darcy Ribeiro. Posteriormente, o curso de Magistério foi descontinuado, mantendo a oferta do Ensino Fundamental e o Ensino Médio Regular.

EMEFM Professor Derville Allegretti

Fundada na Baixada do Glicério, em março de 1968, com a denominação de Escola Técnica de Comércio Municipal, oferecia os cursos de Taquigrafia, Vitrinismo e Guia de Turismo. Transferida para o endereço atual, no bairro de Santana, em 1970. Em 1973 recebe o nome de Centro Interescolar Municipal de São Paulo e, em 1979, passa a se chamar Escola Municipal de Primeiro e Segundo Graus Professor Derville Allegretti. A partir de 1982 começa a ofertar também o curso de Magistério e, em 1998, recebe o nome utilizado atualmente. Mantém o curso Normal de Nível Médio (antigo Magistério), além do Ensino Médio Regular e do Ensino Fundamental.

EMEFM Guiomar Cabral

A Escola Municipal de Primeiro e Segundo Graus de “Pirituba” foi criada em julho de 1996. Iniciou o funcionamento dos cursos profissionalizantes com habilitação plena nos cursos de Processamento de Dados e Administração, em 1997. Recebe, em seguida, o nome de E.M.P.S.G. Guiomar Cabral e, a partir de 2002, recebe o nome atual. Continua ofertando o Ensino Fundamental e o Ensino Médio Regular.

EMEFM Professor Linneu Prestes

Fundada em janeiro de 1960, recebeu o nome de Escolas Agrupadas Municipais Professor Linneu Prestes. Em 1970 passa a ser denominada Escola Municipal “Professor Linneu Prestes”, e, em 1975, Escola Municipal de Primeiro Grau “Professor Linneu Prestes”. Passa a oferecer o Segundo Grau, a partir de 1981, e o curso com habilitação para o Magistério em 1995. Oferece, atualmente, o Ensino Fundamental, na modalidade regular e para a Educação de Jovens e Adultos – EJA e o Ensino Médio Regular.

EMEFM Oswaldo Aranha Bandeira de Melo

Inaugurada no ano de 1984 com o nome de E.M.P.G. “Oswaldo Aranha Bandeira de Melo”, foi instalada provisoriamente em um prédio adaptado no Centro Comercial do Conjunto Habitacional Cidade Tiradentes. Em 1985 foi transferida para o prédio atual. Passa a oferecer, no ano de 1996, os cursos de Segundo Grau com habilitação em Magistério e em Contabilidade, e a ser designada Escola Municipal de Primeiro e Segundo Graus Oswaldo Aranha Bandeira de Mello, passando depois a ser conhecida pelo nome atual. Oferece Ensino Fundamental e Ensino Médio Regular.

EMEFM Rubens Paiva

Fundada em 1995 sob o nome de E.M.P.G. Jardim Ângela, foi autorizada em 1996 a oferecer o Curso de 2° Grau, além do Curso de 2° Grau Profissionalizante em Processamento de Dados e Administração, passando a ser denominada E.M.P.S.G. “Rubens Paiva”.

EMEBS Helen Keller

Criado em 1951, o Núcleo Educacional para Crianças Surdas – NECS, dedicava-se inicialmente a atividades de recreação. A partir do ano de 1958, passa a ser denominado Instituto Municipal de Educação de Surdos. Em 1969 tem sua denominação alterada para Instituto de Crianças Excepcionais “Helen Keller” e, a partir de 1979, para Escola Municipal de Educação de Deficientes Auditivos “Helen Keller”, atendendo, desde então, a faixa etária dos 3 (três) aos 14 (catorze) anos, abrangendo assim, desde a Educação Infantil até os anos finais do Ensino Fundamental. A partir de 2019, foi autorizado o funcionamento do Ensino Médio Bilíngue, em regime experimental, para posterior avaliação do Conselho Municipal de Educação (Parecer CME nº 540/18 – aprovado em 06/12/18 e publicado no D.O.C de 11/12/18, pág.12), passando a ser a primeira escola pública a oferecer a Educação Infantil, o Ensino Fundamental, a Educação de Jovens e Adultos e o Ensino Médio Bilíngues.

O CURRÍCULO DA CIDADE

A elaboração curricular do documento do Ensino Médio da Cidade de São Paulo é a última etapa de um processo que se iniciou, em 2017, com a elaboração do Currículo da Cidade: Ensino Fundamental. Em 2018, houve a elaboração dos Currículos da Cidade: Educação Infantil, Educação de Jovens e Adultos, Língua Brasileira de Sinais e Língua Portuguesa para Surdos – Libras. Para saber mais sobre estes documentos acesse:

Curriculo da Cidade

O Currículo da Cidade do Ensino Médio, assim como os outros documentos curriculares da SME, tem como Princípios Norteadores: a Educação Inclusiva, a Equidade e a Educação Integral. Além disso, os materiais trazem também uma Matriz de Saberes que contempla princípios Éticos, Políticos e Estéticos, orientados para o exercício da cidadania responsável, tendo em vista possibilitar a construção de uma sociedade mais igualitária, justa, democrática e solidária, e também os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável – ODS pactuados na Agenda 2030, em que buscamos relacionar os Objetivos de Aprendizagem e Desenvolvimento a cada um dos 17 ODS, por meio de temas prementes, como: direitos humanos, meio ambiente, desigualdades sociais e regionais, intolerâncias culturais e religiosas, abusos de poder, populações excluídas, avanços tecnológicos e seus impactos, política, economia, educação financeira, consumo e sustentabilidade, entre outros, a fim de formar cidadãos globais, entendendo que todos (governos, agências da ONU, sociedade civil organizada, setor privado e cada cidadão do país) têm responsabilidade para que o mundo consiga atingir os ODS, adotados em 2015 pela Assembleia Geral da ONU e inseridos de maneira inovadora, desde 2017, em nossos currículos.

O município de São Paulo, mesmo antes da homologação da última versão da Base Nacional Comum Curricular (BNCC), mobilizou esforços para rever seus materiais curriculares. Em 14 de dezembro de 2018, foi homologada pelo Ministério da Educação, a Base Nacional Comum Curricular do Ensino Médio. Pela primeira vez, o país passou a ter um documento normativo que define o conjunto de conhecimentos essenciais que todos os estudantes devem desenvolver, progressivamente, ao longo da Educação Básica.

Atendendo à demanda da própria rede e à determinação legal de que os municípios deveriam rever seus currículos, em 2017, a Secretaria Municipal de Educação retomou as discussões que vinham acontecendo nos grupos de formação, entre 2015 e 2016, com vários atores do Ensino Médio: professores, coordenadores pedagógicos, diretores e demais profissionais da Rede Municipal de Ensino – RME.

No final do ano de 2019, ocorreu o 1º Encontro do Novo Ensino Médio, que contou com a participação de Professores, Coordenadores Pedagógicos e Diretores das EMEFMs, Supervisores de Ensino, técnicos da SME, Coordenadora da Coordenadoria Pedagógica – COPED e Membros do Conselho Municipal de Educação de São Paulo. Esta reunião teve como objetivo iniciar o diálogo acerca do processo de construção do Currículo do Ensino Médio.

Em 2020, efetivamente, colocou-se em prática a elaboração do Currículo da Cidade: Ensino Médio, tendo como base os documentos federais, publicados a fim de nortear o Novo Ensino Médio. Foram organizados Grupos de Trabalho compostos por especialistas e professores de todas as UEs que possuem Ensino Médio, contemplando todos os componentes curriculares. A produção dos documentos curriculares buscou elucidar os pilares norteadores da SME: a Educação Inclusiva, a Equidade e a Educação Integral, os quais relacionam-se diretamente com o previsto na BNCC ao assegurar para nossos estudantes o desenvolvimento das dez competências gerais (conhecimento; pensamento científico, crítico e criativo; repertório cultural; comunicação; cultura digital; trabalho e projeto de vida; argumentação; autoconhecimento e autocuidado; empatia e cooperação; responsabilidade e cidadania), que consubstanciam, no âmbito pedagógico, os Direitos de Aprendizagem e Desenvolvimento. Também foram considerados os dados levantados sobre demandas e necessidades das escolas, profissionais e estudantes; a Base Nacional Comum Curricular, Diretrizes Curriculares e outros documentos federais; Especialistas dos componentes e áreas curriculares para assessorar os Grupos de Trabalho e professores de todos os componentes curriculares do Ensino Médio; e a escuta feita junto aos estudantes, por meio de rodas de conversa. Desta forma, coletivamente, estudantes, professores e demais profissionais da RME construíram, paulatinamente, um novo documento orientador da rede para o Ensino Médio.

A partir do ano de 2020, a SME, em articulação com as Unidades Educacionais que possuem EM, passa a atender a nova matriz curricular do Novo Ensino Médio, em cumprimento às diretrizes da Base Nacional Curricular Comum Ensino Médio (BNCC- EM) que estabelece que o Currículo do Ensino Médio será composto pelas aprendizagens essenciais definidas pela Base Nacional Comum Curricular e por Percursos de Estudo e Formação – nomenclatura dada pela RME aos Itinerários Formativos previstos na BNCC, DCNEM e demais documentos norteadores, conforme a relevância para o contexto local e a possibilidade dos sistemas de ensino que deverão ser organizados por meio da oferta de diferentes arranjos curriculares.

A Lei Federal determinou um prazo para início da implantação do Novo Médio no ano de 2020 e a SME decidiu realizar a implantação desta robusta mudança, de forma parcial, apenas nas escolas diurnas, transformando-as em período integral, com 9 aulas de 45 minutos e colocando o Itinerário Integrador como primeiro contato dos estudantes com a ideia de aprendizagem por área do conhecimento.

O documento estabelece especificamente para o ano de 2020 uma matriz curricular composta por 900 horas de parte comum, ou seja, de BNCC, além de 450 horas de Itinerários Integradores. Assim, as Escolas Municipais de Ensino Fundamental e Médio (EMEFMs), que oferecem esta etapa da Educação Básica no período diurno, passam, a partir desse ano, a ofertar o Ensino Médio em tempo integral com 45 aulas semanais, ou seja, 9 (nove) aulas diárias, de 45 minutos cada.

A Reforma do Ensino Médio propõe que o currículo tenha um equilíbrio tanto da parte comum quanto dos itinerários formativos. O caminho escolhido pela Secretaria Municipal de Educação, especificamente, no ano de 2020, por meio do “Novo Ensino Médio – Educação Integral” foi de oferecer além dos componentes curriculares da BNCC, os Itinerários Integradores: Cultura dos Países de Língua Espanhola; Práticas Esportivas; Expressões Culturais e Artísticas; Tecnologias para a Aprendizagem; Produção Textual; Sala de Leitura e Investigação Científica e Processos Matemáticos, atendendo assim, ao proposto pela BNCC. Para o ano de 2021, já com os documentos curriculares finalizados, a SME pretende que os estudantes do Ensino Médio tenham como escolher seu trajeto formativo a partir dos diversos Percursos de Estudo e Formação das diferentes áreas.

LEGISLAÇÕES PARA O NOVO ENSINO MÉDIO

A Lei nº13.415, de 16 de fevereiro de 2017 que, dentre outras ações, altera a Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional (nº 9.394 de 20 de dezembro de 1996), estabelece mudanças para a estruturação do Ensino Médio, atribuindo aos Estados e ao Distrito Federal a responsabilidade pela implementação das novas Diretrizes Nacionais – Novo Ensino Médio.

A base para esta implementação deve estar pautada em uma série de documentos, como:

  • Resolução CNE/CEB nº 3 de 21 de novembro de 2018 – atualização das Diretrizes Curriculares Nacionais para o Ensino Médio;

  • Resolução CNE/CP nº 4 de 17 de dezembro de 2018 – aprova a Base Nacional Comum Curricular (BNCC);

  • Portaria nº 1432 de 28 de dezembro 2018 que traz os referenciais para os itinerários formativos para o Ensino Médio.

O currículo do Ensino Médio, de acordo com a referida Lei Federal, será composto por:

  • BNCC – formação geral básica, que tem por objetivo, com equidade e qualidade, garantir a todos os estudantes as aprendizagens essenciais, com um total não superior a 1800 h; define dez competências gerais e um conjunto de objetivos de aprendizagem, sendo que as aprendizagens essenciais introduzidas no Ensino Fundamental deverão ser consolidadas e aprofundadas. Os componentes de Língua Portuguesa e Matemática deverão estar presentes em todos os anos.

  • Itinerários Formativos: conjunto de unidades curriculares que possibilitam ao estudante aprofundar seus conhecimentos e se preparar para o prosseguimento de estudos e para o mundo do trabalho, organizados por área de conhecimento:

    • Linguagens e suas Tecnologias;

    • Matemática e suas Tecnologias;

    • Ciências da Natureza e suas Tecnologias;

    • Ciências Humanas e Sociais Aplicadas.

O Currículo do Ensino Médio prevê a formação integral do estudante, de forma a contribuir com a construção de seu projeto de vida e com o seu desenvolvimento em todas as dimensões (física, intelectual, social, emocional e cultural).

PERCURSOS DE ESTUDOS E DE FORMAÇÃO

É sabido que os Itinerários Formativos propostos pela BNCC para o Ensino Médio seguem cinco grandes áreas de conhecimento: Linguagens e suas Tecnologias; Matemática e suas Tecnologias; Ciências da Natureza e suas Tecnologias; Ciências Humanas e Sociais Aplicadas e Formação Técnica e Profissional, que compõem as possibilidades de escolha das disciplinas a serem cursadas pelos estudantes. Na Rede Municipal de Ensino de São Paulo, dado o seu histórico e especificidades, a opção por criarmos Percursos de Estudo e Formação no lugar de Itinerários Formativos, como os indicados pela BNCC, ocorreu não só devido a uma diferenciação semântica, na qual a ideia de um Percurso de Estudo e Formação estava em maior consonância com as concepções, premissas e princípios já explicitados no Currículo da Cidade, mas também por optarmos por uma proposição que permitisse às escolas estabelecer uma inter-relação com temáticas diversas como: ética, cidadania, democracia, relações étnico-raciais, direitos humanos, diversidade, juventudes, tecnologias e cultura digital, relações interpessoais, meio ambiente e sustentabilidade, inclusão de pessoas com deficiência e transtornos globais do desenvolvimento, gênero e sexualidade, mundo do trabalho, saúde e bem-estar, saúde pública, projeto de vida, desenvolvimento tecnológico-científico, entre outras temáticas emergentes.

Além dos 4 eixos que já constavam dos Itinerários Formativos da BNCC (Empreendedorismo, Processos Criativos, Investigação Científica e Mediação e Intervenção Sociocultural), outros 3 eixos foram acrescidos nos Percursos de Estudo e Formação: Mediação e intervenção política econômica; Multiculturalismo e Multiletramentos, Gestão de conteúdos e informações.

Sendo assim, os adolescentes e jovens poderão ter acesso a uma noção mais ampliada acerca do conhecimento de mundo, em nível médio, de modo que poderão aprofundar o contato, refletir e debater sobre diversos aspectos da vida em sociedade, assim como também com temas que lhes permitam construir e compreender seus processos identitários de forma crítica, interdisciplinar, contextualizada, com vistas à sua educação integral, numa perspectiva emancipatória que respeite seus centros de interesse.

Ações:

  • 2017
    • Formação do Ensino Médio 2017.
  • 2018
    • Curso: Práticas de Leitura no Ensino Médio: teoria e prática.
    • Curso: Práticas de Produção de Textos no Ensino Médio: em busca do sujeito-autor.
    • Curso: Formação do Ensino Médio 2018.
  • 2020
    • Produção do Currículo da Cidade do Ensino Médio

Materiais:

Trilhas de Aprendizagens

Em Ta Livro Web (1)

Destaques:

Responsável:

Lisandra Paes