Educação Integral

Programa São Paulo Integral: experiências pedagógicas nos Territórios do Saber

Apresenta concepções sobre Experiências e Territórios  do  Saber em  diálogos  com  as ações  pedagógicas realizadas,  ao  longo  do  ano  de  2016,  nas  escolas  municipais  da cidade  de  São  Paulo  que  trabalharam  em  Educação  Integral.

Acesse aqui o documento


Programa São Paulo Integral: construir novos caminhos pedagógicos

Expressa os princípios, as diretrizes e as propostas da Educação Integral assumida como compromisso de uma política pública de Educação.  

Acesse aqui o documento


A implementação do Programa São Paulo Integral e a Qualidade da Educação no Ensino Fundamental – análises e proposições

Pesquisa realizada para compreender implementação do “Programa São Paulo Integral (PSPI)” no período de 2015 a 2018.

Acesse aqui a pesquisa


Educação Integral: Política São Paulo Educadora

Documento conceitual sobre a Política são Paulo Educadora e a Educação Integral reunindo um conjunto de referenciais teóricos que subsidiam o trabalho pedagógico na concepção da Educação Integral. 

Acesse aqui o documento


Instrução Normativa SME nº34, de 26 de agosto de 2021.

Acesse aqui a Instrução Normativa


Vídeo: História da Educação Integral

Acesse aqui o vídeo


Vídeo: Educação Integral: por uma política de Cidade Educadora

Baseado no documento “Educação Integral: Política São Paulo Educadora”, traz a história da Educação Integral na nossa cidade, concepção e princípios e um pouco da luta tão recente em nosso país pela consolidação, defesa e garantia do Estado Democrático de Direito. 

Acesse aqui o vídeo


Vídeo: Educação Integral: por uma política de Cidade Educadora

A essência da Educação Integral está em seus princípios que, independentemente do tempo, considera as dimensões intelectual, cultural, emocional, social, lúdica e física dos bebês, crianças, jovens e adultos. Como conceito orientador do Currículo da Cidade em nossa Rede, a Educação Integral deve garantir o direito fundamental de circular pelos territórios educativos, apropriando-se deles, como condição de acesso às oportunidades, aos espaços e aos recursos existentes, além da ampliação contínua do repertório sociocultural e da expressão autônoma e crítica.