Núcleo Técnico de Formação – NTF

A Secretaria Municipal de Educação de São Paulo oferece diversas modalidades de formação continuada.

O Núcleo Técnico de Formação (NTF) se responsabiliza em organizar as formações planejadas em formato de cursos livres e eventos. As formações oferecidas em contexto escolar são acompanhadas pela Supervisão Escolar (Projeto Especial de Ação -PEA) e seguem as diretrizes da Divisões de Coordenadoria Pedagógica (COPED). A Universidade dos Centros Educacionais Unificados (UniCEU) é o setor responsável pelas ações em nível universitário.

As formações planejadas em formato de cursos livres e eventos organizadas pelo NTF são oferecidas como:

EVENTOS:

Ações pontuais, de curta duração, que privilegiam a metodologia de exposição de conteúdo feita por especialistas, podendo ter momentos de apresentações de experiências em grupos menores. Para a SME, eles podem acontecer nas modalidades:

  1. Congresso – Reunião de especialistas para aprofundamento de assuntos em determinada área do conhecimento. Apresenta, em sua organização, várias atividades como mesas-redondas, conferências, simpósios, palestras, e aceita inscrição de apresentações orais, pôsteres e mini-cursos aprovados pela comissão organizadora.
  2. Seminário – Reunião planejada para “semear” ideias, ou seja, promover o debate sobre temas ainda pouco estudados, portanto, pode apresentar um foco parcial. Há o momento de exposição de um orador seguido de debate com o auditório e, ao final, um momento de conclusão.
  3. Simpósio – Reunião de pesquisadores ou profissionais apresentam suas visões a respeito de um único assunto ou tema, sempre com a mediação de um coordenador. Não há debate entre os expositores, mas a participação ativa da plateia com perguntas, respostas e proposição de debates.
  4. Conferência – Reunião composta por público específico que demonstra familiaridade com a questão ou problemática abordada, visa o levantamento de soluções, definição de prioridades e propostas. Há expositores com amplo conhecimento que discorrem sobre o assunto e, em seguida, respondem a perguntas formuladas pelo auditório.
  5. Jornada – Evento de estudo e reflexão com a proposição de participação em várias atividades relacionadas à educação como: palestras, debates, exibição de vídeos, rodas de leitura, oficinas, apresentação de projetos etc.
  6. Ciclo de palestras – Uma série de palestras sobre um tema da área de conhecimento dos interlocutores, apresentando diferentes perspectivas. A plateia comparece com a intenção de buscar mais informações sobre os tópicos abordados, podendo haver troca de ideias na qual o público pode interromper o palestrante para perguntas durante a apresentação, e não somente ao final, como nas conferências.
  7. Fóruns – Evento para debate livre sobre uma ideia para obter um grande número de opiniões sobre vários aspectos de um determinado assunto. É essencial a participação ativa da plateia que, em geral, é sensibilizada e motivada para a discussão.
  8. Semana da Educação – Evento que promove discussões sobre temas emergentes que afetam o cotidiano das unidades educacionais. Oferece subsídios teóricos para o planejamento do semestre letivo.
  9. Colóquios – Encontro que reúne um número de pessoas a fim de debater sobre um assunto específico. Há um tema, um tempo e um objetivo determinado para realizar a troca comunicativa.
  10. Encontros – Evento que reúne pessoas da mesma categoria para a realização de debates a respeito de temas associados ao cotidiano de todos, o temas são discutidos através de diferentes prisma de forma que as conclusões ajudem a melhorar o que está em vigor.

 

CURSOS:

Situações de formação com vários encontros organizados de modo a promover o aprofundamento teórico, situações de reflexão, de construção e reconstrução da prática a partir.

  1. Cursos presenciais – Sequência de encontros presenciais, com a exposição e condução de atividades organizadas por um ou mais regentes. Devem ter turmas de, no máximo, 50 participantes para favorecer a interação, debates e experimentação. Pode ter até 10% da carga horária em atividades não presenciais, como tarefas ou desenvolvimento de projetos, por exemplo.
  2. Cursos a distância – Por meio do uso de plataforma de ensino à distância, os conteúdos e atividades são elaborados e apresentados ao participante, que os acessa de um computador conectado à internet. De acordo com o Edital vigente, é obrigatório o mínimo de 20% e máximo de 40% da carga horária total com atividades presenciais ou aulas síncronas.
  3. Oficinas – Momentos de interação e troca de saberes, com propostas de vivências, diálogos e partilhas com a participação ativa dos cursistas.
  4. Grupos de estudos e práticas pedagógicas – Agrupamentos de profissionais em funções específicas bem delimitadas, com encontros semanais ou quinzenais e duração mínima de oito meses completos com a proposta de realizar estudos de situações desafiadoras, investigação e a busca por soluções aos aspectos considerados provocadores no cotidiano das Unidades Educacionais.